Aprenda a se defender melhor no trânsito urbano

“Mais uma vítima de trânsito”. “Veículo desgovernado colide com caminhão e mata uma família”. “Nevoeiro provoca colisão de veículos e congestiona trânsito”. Estas são algumas das informações sobre a violência no trânsito veiculadas nos jornais diários. Esta estatística também é real e preocupa as autoridades e a sociedade.

De acordo com pesquisas, mais de 90% dos acidentes no trânsito são causados por falhas humanas, seguidas de condições externas ao veículo e ao motorista, como estado da via, sinalização insatisfatória, condições de tempo e falhas técnicas.

Para superar algumas deficiências e driblar certos problemas, vale a pena conhecer algumas dicas de direção defensiva que podem ajudar a evitar acidentes e salvar vidas.

A maioria dos acidentes ocorre durante uma ultrapassagem, uma manobra arriscada que exige muitos cuidados.

Ao ultrapassar, avalie a velocidade do veículo que será ultrapassado e o espaço disponível para a ultrapassagem. Certifique-se de que o carro à frente está lhe favorecendo a ultrapassagem e sinalize sua intenção. Se a faixa contrária estiver livre, vá em frente, mantendo-se nela o tempo necessário para ultrapassar, retornando à direita assim que puder.

Não ultrapasse em curvas, túneis, viadutos, subidas, descidas, cruzamentos e onde a sinalização for com linha contínua. Ao ultrapassar um veículo, você poderá ultrapassar a barreira da morte. Em caso de dúvida, não arrisque, espere outra chance.

Neblina: perigo à frente

Durante o Inverno e o Outono, estradas são invadidas pela neblina, que exige dos motoristas mais atenção.

Quando a neblina estiver muito forte, impedindo a visibilidade, o melhor é esperar no acostamento. Não se esqueça de ligar o pisca-alerta e sinalizar a área com o triângulo a uns cinquenta metros de distância do veículo.

Se não houver encostamento, prossiga a viagem. No entanto, redobre a atenção, utilizando faróis baixos e uma velocidade reduzida. Nunca ligue o pisca-alerta com o carro em movimento.

Deixe à mão um pano ou flanela limpos para desembaçar o para-brisa. Evite passar a mão, que pode engordurar o vidro e piorar o problema. Há no mercado diversos aerossóis e sprays antiembaçantes à venda em supermercados, postos de abastecimento e lojas de autopeças.

Antes de qualquer viagem, verifique se os faróis estão bem regulados; se as lanternas traseiras e luzes de freios estão funcionando. O motorista é responsável pelas falhas técnicas que o veículo apresentar, cabendo a ele conservar o automóvel em perfeito estado, realizando manutenção periódica.

As lanternas, os faróis, a direção, os pneus, os freios, o limpador de para-brisas, a suspensão e buzina são itens importantes para praticar uma direção defensiva. Se eles apresentarem algum defeito, podem prejudicar ou impedir o controle em uma situação de emergência, colocando em risco a sua vida e a de outras pessoas.

Cuidados para não derrapar

No caso de pistas derrapantes, o certo a fazer é diminuir a velocidade. Se o carro derrapar, o motorista vai precisar saber se o carro é do tipo que “sai de frente” ou de “traseira” para saber como agir. Um carro com proporções de peso maior na frente (motor, câmbio, diferencial, tração), geralmente “sai de frente”. Neste caso, a correção da derrapagem se faz tirando o pé do acelerador e conservando o volante virado para dentro da curva até retomar o controle do veículo.

Se o peso do carro está concentrado atrás, ele tenderá a sair de “traseira”. A alternativa nesta caso é manter a aceleração e virar o volante para fora da curva até corrigir a derrapagem.

- Publicidade - Mercedes-Benz