sábado , 18 novembro 2017
ACELERANDO
Capa » Destaque » Chuva na estrada pede mais atenção
Chuva na estrada pede mais atenção
Chuva

Chuva na estrada pede mais atenção

Por Ricardo Leptich* – Diversos fatores de risco tornam as estradas particularmente perigosas em momentos de festas ou mesmo feriados. O grande volume de carros e a maior incidência de motoristas embriagados geralmente são os problemas mais lembrados, mas há um agravante nesse período que não pode ser ignorado: o verão costuma ser uma época extremamente chuvosa. Diante desse cenário, o condutor deve ter cautela redobrada para manter a segurança mesmo em uma pista escorregadia e sem visibilidade.

Os cuidados devem começar já antes de tirar o automóvel da garagem. Viajar com um carro sem vistoria é uma grande irresponsabilidade com a própria vida e dos demais motoristas. Para evitar deslizamentos com a pista molhada é fundamental estar com os pneus calibrados e em bom estado, especialmente em casos de asfaltos acidentados ou estradas de terra, infelizmente ainda comuns no nosso país.

Outro importante aliado para situações adversas é o freio, que deve ser inspecionado regularmente. Desde 2014 as montadoras são obrigadas a incluir sistema antitravamento de freios (ABS) e airbags como itens de série em seus carros. A norma é tardia, mas ao menos demonstra algum avanço na nossa legislação em prol da segurança.

Situações chuvosas estão entre aquelas que mais exigem bom uso dos faróis, cuja manutenção deve ser constante. Faróis de milha e de neblina são itens opcionais que ajudam a orientar o motorista, porém, para chuvas de menor intensidade, a recomendação é que seja ligado apenas o farol baixo, como forma de evitar ofuscamento na visão de outros condutores. Por fim, antes de qualquer viagem é fundamental certificar o estado dos limpadores de para-brisa, o desembaçador e o sistema de sinalização de veículo.

Tão importante quanto o bom estado do carro é a condição do motorista. Mesmo nos primeiros minutos de temporal, a atenção já deve ser total. É logo no começo da chuva que muitos deslizamentos acontecem, quando a mistura entre água, óleo e sujeiras da pista afeta a aderência do automóvel de forma significativa.

Imediatamente, nos primeiros sinais de chuva, o motorista deve, além de ligar os faróis e os para-brisas, reduzir a velocidade e aumentar a distância de outros veículos, sobretudo ônibus e caminhões. Ultrapassagens e freadas bruscas, evidentemente, não são recomendadas. Mesmo que a visão esteja boa para você, pode ser que a situação seja diferente para os outros condutores, portanto todo cuidado é pouco.

Com água na pista pode ocorrer a aquaplanagem, que é a perda total de aderência do pneu com o solo. Para não correr o risco de perder o controle do carro, o melhor é conduzir com concentração em locais molhados e, de forma alguma, utilizar o freio quando estiver sobre uma poça.

Em casos de chuvas de granizo ou tempestades, o ideal é procurar um local seguro para manter o carro estacionado até que as condições melhorem. Parar no acostamento deve ser evitado ao máximo, pois em dias de pouca visibilidade representa um grande risco de acidente, mesmo com utilização de triângulo e pisca-alerta. São cuidados simples, mas necessários. A recompensa vem com um fim de viagem sem preocupações.

* Ricardo Leptich é Gerente de Vendas e Marketing da Divisão de Lâmpadas Automotivas e Especiais da OSRAM para a América Latina.

Toyota

Sobre Redação Mecânica Online®

Um dos principais portais quando o assunto é mecânica na internet brasileira, o Mecânica Online® é feito por você! Através de nosso público procuramos cada vez mais oferecer um conteúdo que leve sempre o nosso principal objetivo: mecânica do jeito que você entende.
Scania