Honda CG 160 versão 2016: mais bonita, funcional e com nova motorização

Não é fácil mexer em time que está ganhando, mas a Honda reforça nos aspectos que o consumidor busca na linha CG – robustez e exclusividade – Com uma série de inovações e principalmente com nova motorização, agora de 160 cm3, em substituição as versões com motorização de 150 cm3, a Honda apresenta ao mercado brasileiro, totalmente remodelada, a nona geração do seu principal modelo na categoria street, a Honda CG 160 versão 2016.

A marca reuniu a imprensa especializada em suas instalações no CETH em Recife, e o Mecânica Online® marcou presença para conhecer de perto as principais novidades, principalmente no aspecto das tecnologias e inovações.

O estilo da nova CG 160 versão 2016 está ainda mais moderno e jovial, com novos grafismos inspirados em modelos de maior cilindrada da marca. Visualmente, suas linhas estão mais avançadas e agradáveis.

Na CG 160 Titan, a carenagem do grupo ótico é nova, pintada agora na cor do tanque. Com traços levemente inclinados, remete a um estilo mais esportivo e aerodinâmico.

Na CG 160 Fan permanece o formato atual, porém com acabamento injetado na cor preto fosco. Com lâmpadas de 35/35w, o farol proporciona iluminação eficaz para ambas as versões. As setas, discretas, estão acopladas nas laterais formando um conjunto simples e harmonioso.

O tanque de combustível manteve capacidade total para 16,1 litros, porém ganhou novo desenho nas duas versões, com linhas mais altas na parte superior, incluindo uma tampa esportiva de engate rápido, inspirada nos modelos de alta cilindrada e com funcionalidade técnica.

Na lateral, as semi-carenagens e defletores também são novos, com formas mais anguladas e vincos marcantes, que remetem a um conjunto mais encorpado. Na CG 160 Titan, as linhas são diferenciadas e ligeiramente maiores do que na CG 160 Fan.

A Honda CG 160 versão 2016 passa a ser oferecida nas concessionárias da Honda em todo o país em dois modelos: CG 160 Titan e CG 160 Fan. Seus preços públicos sugeridos são R$ 9.290,00 (CG 160 Titan) e R$ 7.990,00 (CG 160 Fan), com base no Estado de São Paulo e não incluem despesas com frete ou seguro.

Painel mais funcional e completo – O painel de instrumentos tem novo design na CG 160 Titan. As informações do visor digital estão dispostas para facilitar a leitura, incluindo computador de bordo, marcador de combustível, relógio, hodômetro total e parcial, além dos indicadores de farol alto, luzes de direção, injeção eletrônica e neutro.

O grande destaque é a adoção de tacômetro, uma inovação desejada pelos clientes do modelo, segundo pesquisas realizadas pela marca. O painel da CG 160 Fan permanece com design atual e conta com velocímetro, hodômetro total, marcador de combustível, neutro, luzes de direção, farol alto e injeção eletrônica.

O assento da CG 160 Titan tem novo desenho e proporciona conforto e facilidade para pilotos de qualquer estatura. Suas linhas estão mais imponentes, com disposição em dois níveis, característico de motocicletas maiores e esportivas. A rabeta também foi redesenhada e ganhou linhas mais atuais.

Ainda como novidades estão o suporte para placa e a alça para apoio do garupa em alumínio, agora removível.

O suporte de pedal do garupa, agora em alumínio, tem novo posicionamento das pedaleiras, propiciando ainda mais conforto, principalmente nas viagens mais longas. O sistema de escapamento também foi remodelado e a versão 2016 incorporou ponteira mais curta, de maior diâmetro, desenho mais afinado e ângulo de fixação mais alto. O resultado garantiu visual mais esportivo e imponente.

Destaque ainda para a adoção das novas rodas de liga leve da CG 160 Titan. Apresentadas em preto fosco e em design exclusivo, trouxe um toque diferencial ao modelo. Já a CG 160 Fan incorporou, a partir de agora, rodas de liga leve em preto fosco, antes utilizadas na versão EX.

Mecânica Online – Os novos modelos evoluíram não só visual como também no conjunto mecânico. A capacidade cúbica agora é de 162,7cm³, característica que proporcionou maior potência e torque ao desempenho geral.

Versátil e de baixa manutenção, o motor é do tipo monocilíndrico com sistema OHC (Over Head Camshaft), quatro tempos, arrefecido a ar, com injeção eletrônica PGM-FI (Programmed Fuel Injection).

Seu desenvolvimento já está em total conformidade com a segunda fase do PROMOT4 (Programa de Controle da Poluição do Ar por Motociclos e Veículos Similares), que intensifica as regras para a diminuição dos gases tóxicos emitidos por veículos automotores a partir de 2016. Possui tecnologia FlexOne, possibilitando o abastecimento com etanol (álcool), gasolina ou com a mistura de ambos.

São 14,9 cv a 8.000rpm se abastecido com gasolina, e 15,1 cv a 8.000 rpm com etanol. O torque máximo é de 1,40 kgf.m a 6.000 rpm e 1,54 kgf.m a 6.000 rpm, respectivamente.

Entre as novidades, estão também aspectos que serão úteis, principalmente, para procedimentos de manutenção.  Agora não é mais necessário desmontar o cabeçote para tirar o comando. Com isso, o acesso passa a ser feito por tampa lateral, tornando todo o trabalho mais rápido e simples. Esta modificação possibilitou que a altura do motor também diminuísse, formando um sistema mais compacto, apesar do aumento de sua capacidade.

Outra novidade é a localização da vareta de medição de óleo, antes ao lado da tampa de embreagem. Seu posicionamento agora está mais a frente, facilitando manuseio para verificação dos níveis do fluído.

O funcionamento do novo motor está ainda mais suave e linear. Isso porque, além de dois balanceiros, o eixo primário agora está apoiado em rolamentos na tampa lateral. Além disso, a saia do pistão está mais curta e a biela tem curso mais longo, o que garantiu um conjunto com áreas menores de atrito, com maior torque e potência em seu funcionamento.

Um detalhe importante é que, apesar de melhor eficiência e performance, o consumo de combustível foi otimizado. Testes iniciais revelaram que o novo propulsor, mesmo de maior cilindrada e mais potente, se mostrou até 8% mais econômico, dando mais autonomia ao modelo e sem a necessidade de paradas extras para o abastecimento em viagens mais longas.

A partida elétrica oferece maior conforto e comodidade ao motociclista que utiliza o modelo com frequência. Dotada de embreagem multidisco em banho de óleo, possui sistema de lubrificação do tipo forçado, por bomba trocoidal. Em ambas  as versões, o câmbio é de 5 velocidades, com transmissão final por corrente.

Pilotagem – O equilíbrio ciclístico sempre foi um dos principais pontos fortes da CG. Leve, todo o conjunto é extremamente eficiente e oferece uma pilotagem fácil e segura para os motociclistas menos experientes. Sua ergonomia permanece inalterada para o piloto, oferecendo total conforto.

O chassi é de aço do tipo Diamond, e oferece boa rigidez contra torções. Mesmo em situações extremas, como vias em desnível ou buracos, a pilotagem com segurança fica garantida.

Mais uma novidade na CG 160 Titan é o pneu traseiro de perfil mais baixo e mais largo, com maior área de contato. Suas medidas são 100/80–18M/C REINF 59P para o pneu traseiro, e 80/100-18M/C 47P para o dianteiro. Na CG 160 Fan, os pneus permanecem com as mesmas especificações: 80/100-18M/C 47P (dianteiro) e 90/90-18M/C REINF 57P (traseiro).

A suspensão usa um garfo telescópico com curso de 135 mm na frente, e sistema de duplo amortecimento de 106 mm atrás. Os freios possuem disco dianteiro simples de 240 mm, e tambor traseiro com 130 mm.  O modelo CG 160 Titan conta ainda com a exclusiva tecnologia CBS (Combined Brake System). Quando o piloto utiliza o freio traseiro, o dianteiro é acionado simultaneamente e a frenagem é distribuída de modo inteligente, frenando a motocicleta em uma distância menor e com mais estabilidade.

Os novos lançamentos serão disponíveis nas cores vermelha, cinza e preta (CG 160 Fan 2016) e vermelha, branca e preta (CG 160 Titan 2016). A garantia é de três anos, sem limite de quilometragem, com fornecimento gratuito de óleo em sete revisões. Os preços públicos sugeridos são R$ 7.990,00 (CG 160 Fan) e R$ 9.290,00 (CG 160 Titan). Os valores têm como base o Estado de São Paulo e não incluem despesas com frete ou seguro.

História e evolução – Lançada em 1976, a família CG é sucesso absoluto no Brasil, onde representa 75,91% dos emplacamentos totais de sua categoria dentro do mercado nacional de duas rodas, segundo dados da Fenabrave (Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores).

Com a expressiva marca de mais de 11 milhões de unidades comercializadas ao longo de quase 40 anos de mercado, a CG também encabeça a lista de veículo automotor mais vendido do país, com 28.549 unidades (junho/15) da versão Titan.

Sempre buscando inovações dentro da categoria, a CG detém ainda o título de primeira motocicleta a ser oferecida com sistema bicombustível do mundo (FlexOne), além de ter sido o primeiro modelo de baixa cilindrada equipado com o sistema de freios CBS (Combined Brake System).

Com a CG 160 versão 2016, a Honda aposta em sua tradição em oferecer produtos de alta qualidade e tecnologia, como forma de manter sua hegemonia no mercado nacional.

Gerações CG Lançamento Histórico da evolução
1ª GERAÇÃO(1976 a 1982)
1976
O sucesso da família CG é resultado de anos de inovações tecnológicas. Tudo começa em 1976 quando chega ao mercado a CG 125, primeira motocicleta Honda de fabricação nacional, em Manaus (AM). O modelo conta com motor de 125 cm³, de grande desempenho, durabilidade e agilidade.
1978 Agrega inovações na suspensão dianteira, que utilizava sistema de molas externas com cobertura de metal. Instalado garfo com amortecedores dotados de molas internas.
1981 Apresentada ao mercado brasileiro a CG 125 a álcool, primeira motocicleta do mundo com este tipo de combustível. Trazia também câmbio de cinco marchas, que chegaria à versão a gasolina apenas em 1985.
2ª GERAÇÃO(1983 a 1988) 1983 CG ganha alterações visuais e fica mais encorpada. Carburador recebe o sistema Ecco de injeção de combustível.
1985 O câmbio passa de quatro para cinco velocidades, de acionamento universal, novo escalonamento e melhor aproveitamento da potência do motor.
1988 Apresentada a versão para uso profissional: CG 125 Cargo. Com banco individual e mais largo, conta com bagageiro para receber a instalação de baú. Entre outras alterações, o chassi e roda traseira são reforçados e a suspensão dianteira passa a ser regulável.
3ª GERAÇÃO(1989 a 1993) 1989 É lançada a CG 125 Today. Grandes alterações visuais no painel e no banco, além de rabeta com estilo inovador e quadro mais reforçado, mudanças que marcaram o modelo.
1991 O modelo recebe no motor e chassi, respectivamente, nada menos que 69 e 74 alterações. As novidades resultam em aumento da potência em ampla faixa de rotação, economia de combustível, reduzido nível de ruído e baixa manutenção, além de maior rigidez estrutural. Entre as inovações, adoção do sistema CDI.
4ª GERAÇÃO(1994 a 1999) 1994 É lançada a CG 125 Titan, com novo design e 90 alterações técnicas. Entre elas, comandos elétricos em novo desenho; alças traseiras nas laterais; tanque de formas arredondadas, novos freios e conjunto de embreagem.
5ª GERAÇÃO(2000 a 2003) 2000 Apresentada a quinta geração da família CG 125, que continua com o nome Titan. O exclusivo sistema anti-esvaziamento de pneus Tuff-up passa a equipar o modelo.
2002 Lançamento de mais uma versão intermediária daCG 125 Titan, a KSE, com partida elétrica e freios a tambor.
6ª GERAÇÃO(2004 a 2009)
2004
CG 150 Titan: A CG ganha novo motor de 150 cm³ e passa a chamar-se CG 150 Titan. Mais econômica, ágil e durável, tem design renovado para acompanhar as modernas tendências.CG 150 Job: É lançada a nova Honda CG 150 JOB, evolução da consagrada CG 125 Cargo. Única motocicleta nacional homologada para transporte de carga.

2005
Lançada a CG 125 Fan, com a proposta de ampliar a base do mercado. Dotada de grandes atributos como qualidade, resistência, economia, baixo custo de manutenção e motor OHV (Over Head Valves) de 124,1 cm³, torna-se em pouco tempo o segundo modelo mais vendido do mercado brasileiro.

2006
Apresentada a Honda CG 150 Sport.  Busca atingir o consumidor  que valoriza tecnologia,  esportividade e diferenciação.
7ª GERAÇÃO(2009 a 2013)     
2009
CG 150 Titan: motocicleta mais vendida do Brasil amadurece e chega ao mercado totalmente renovada. Além de novo visual, incorpora sistema de injeção eletrônica (PGM-FI), tecnologia, que pela primeira vez equipa uma motocicleta da categoria Utility no Brasil. Modelo apresenta, com antecedência de três anos, níveis bem abaixo dos limites estabelecidos pela terceira fase do Promot, previsto para vigorar a partir de 2009.CG 125 Fan: Cresce em força e desempenho, agora com motor OHC (Over Head Camshaft), de comando de válvulas no cabeçote. Modelo antecipa em três anos os limites previstos pelo Promot, aplicáveis a partir de 2009.CG 125 Cargo: Projetada especialmente para o transporte de carga e para o uso utilitário, o modelo tem como diferenciais o bagageiro exclusivo, para transportar até 20 kg de carga, e o novo assento de uso individual.
Lançada a CG 150 Titan Mix, com novo e inédito conceito de mistura de combustíveis para motocicletas. É o primeiro modelo no mundo, produzido em série, que utiliza tanto o álcool quanto a gasolina como combustíveis, em sintonia com a estratégia mundial da Honda voltada para a preservação do meio ambiente
  Ainda em 2009, a Honda oferece ao mercado uma opção mais
completa, a nova CG 150 Titan Mix EX, que agrega
esportividade e mais sofisticação dentro da categoria Utility.
2010 Impulsionada pelo sucesso, a Honda amplia sua linha Flex com a CG 150 Fan,

8ª GERAÇÃO
(2013 a 2015)
2013 A Honda inicia mais um ciclo da família CG, uma das mais bem-sucedidas da marca. Renovada, traz as últimas tendências em design e tecnologia voltadas para a funcionalidade e diversão.  A Linha 2014 apresenta três opções: CG 125 Fan (KS/ES/ESD), CG 150 Fan (ESDi)
CG 150 Titan (ESD/EX).
2014 Em ação inédita no mercado dentro de seu segmento, família Honda CG 2014 passa a ter três anos de garantia.
Honda lança série especial CG 150 Titan EX BR com cores da bandeira brasileira. Versão foi apresentada 1 mês antes do inicio da Copa do Mundo de Futebol, sediada no Brasil naquele ano.
 Família Cargo (125 e 150) ganha duas versões, com destaque
para o modelo com motor Flex de 150cc.
Honda lança primeira motocicleta de baixa cilindrada com sistema de freios CBS (Combined Brake System). Com objetivo de oferecer mais segurança aos motociclistas, modelo se tornou o primeiro do mundo a oferecer a tecnologia em sua faixa de cilindrada.
CG 150 Start é lançada no mercado. Modelo chega com conceito inovador: objetivo é oferecereficiência mecânica com o custo dos modelos de 125cm³
9ª GERAÇÃO(2015)  2015  Linha CG chega como modelo 2016 e com uma grande novidade:nova motorização de 160 cm³, em substituição às versões com motor de 150 cm³. Com um projeto totalmente novo, a nona geração também trouxe design renovado, mais esportivo e moderno.

- Publicidade - Mercedes-Benz