No mês dos pais, especialista da PPG dá dicas para preservar a pintura automotiva

Todo pai apaixonado por carros sabe que a conservação da pintura é um item muito importante, sobretudo quando se pensa o quanto o veículo pode ser valorizado ao apresentar uma boa aparência.

O que nem todos sabem, porém, é que vários fatores são fundamentais para garantir a resistência da pintura ou repintura de um veículo. Ricardo Vetorazzi, Supervisor de Desenvolvimento da PPG no assunto, fala de alguns deles. Confira:

Lavagem – Se o carro estiver muito empoeirado, é importante retirar toda a poeira antes de lavar, além de priorizar a lavagem à sombra e proteger de intempéries da natureza, como seiva de árvores e fezes de pássaros.

“Ao realizar a lavagem em casa, use um sabão de pH neutro. Não utilize gasolina, álcool ou outros solventes na superfície pintada”, alerta Vetorazzi. No caso de eventual queda do sabão, lembra o especialista, é importante lavar a área afetada imediatamente com água. Também é importante secar o carro para evitar o acúmulo de novas sujeiras e manchas na pintura.

Outro cuidado relevante é evitar a utilização de métodos automáticos, caso o veículo esteja recém-pintado. É recomendável recorrer ao método somente 30 dias após o serviço. A mesma lógica vale para a aplicação de cera, mas neste caso depois de 90 dias.

Materiais utilizados – Vários fatores são fundamentais para garantir a resistência da repintura de um veículo, sendo os materiais utilizados na lavagem e eventuais limpezas de dejetos ou manchas os itens de maior relevância.

Produtos que utilizam água como base e os de alto sólidos garantem uma durabilidade superior aos convencionais de mercado.

O especialista pondera que o conhecimento do profissional na preparação e aplicação dos produtos é essencial. O ideal é que ele seja qualificado para fazer o melhor uso de um produto com desempenho superior.

Boas práticas e conservação da limpeza do ambiente também contribuem para a prolongação da vida-útil da pintura ou repintura.

Evitar maus hábitos – Ainda sobre a vida-útil da pintura e repintura, Vetorazzi afirma que uma boa maneira de preservá-la é não exagerar nos polimentos.

Segundo ele, a frequência deles não ajuda tanto na conservação da pintura ou repintura, quanto se imagina. E ainda garante: estes cuidados valem para veículos de todas as cores, inclusive brancos.

“Apesar de, atualmente, as tecnologias de aplicação original serem iguais, a montadora varia a cor do carro, utilizando o mesmo verniz como camada de proteção final da cor, o que nem sempre assegura sua durabilidade”, explica o especialista.

Ele destaca que, caso ocorra algum problema na pintura do veículo, o proprietário deve procurar um profissional qualificado, que fará uma avaliação do reparo que deverá ser feito.

Muitas vezes, o reparo é um simples polimento e em outros é necessário remover a tinta e o tratamento começar na chapa do carro.

Outros cuidados – A seiva de árvores e fezes de pássaro são, realmente, inimigos da conservação da pintura ou repintura, portanto, evitar deixar o veículo embaixo de árvores é um cuidado simples e que deve ser levado em consideração sempre que possível.

“Estes dois elementos são bem ácidos e não só prejudicam a pintura, como também danificam quimicamente o verniz do carro, pois são de difícil remoção”, reforça Vetorazzi.

“Os raios solares, também agressivos, queimam a pintura e desbotam a cor, bem como as goteiras, que carregam sais que podem estragar a tinta do veículo”, finaliza.

 

- Publicidade - Cursos Mecânica Online®