domingo , 30 abril 2017
ACELERANDO
Capa » Destaque » Mecânica em Dias | Você já fez o recall do seu veículo? A lista só aumenta.
Mecânica em Dias | Você já fez o recall do seu veículo? A lista só aumenta.

Mecânica em Dias | Você já fez o recall do seu veículo? A lista só aumenta.

Porque muitos motoristas não prestam atenção aos recalls? Será que eles não consideram a sua segurança, da sua família e das pessoas ao seu redor um item importante? Precisamos tão logo encontrar uma fórmula para mudar essa realidade.

Os recalls de veículos representam mais de 70% do total de chamamentos já realizados no Brasil. Em termos de unidades, foram mais de 2 milhões de carros convocados para reparos só em 2015. E este número só aumenta!

Os principais componentes afetados pelas campanhas de recall de veículos nos últimos três anos são os air bag, freios, sistema de combustível, motor, direção, cinto de segurança, luz de freio, lanterna traseira, farol, rodas, suspensão, entre outros.

Então meu amigo, talvez até mesmo o motorista brasileiro precise de um recall, mas nesse primeiro momento é importante que ele saia do seu conforto e procure a solução que o fabricante disponibiliza.

Os recalls de segurança de carros e caminhões leves são super importantes. Por exemplo, em 2015, cerca de 51 milhões de veículos e 34 milhões de peças de veículos tiveram recall, de acordo com a National Highway Traffic Safety Administration.

Um total de 20 por cento dos proprietários de veículos continuam a ignorar os chamados dos recalls, de acordo com a NHTSA.

Um levantamento que explora por que muitos consumidores não fazem os recalls de segurança dos veículos e quais medidas poderiam melhorar essa falha foram apresentados recentemente pela Universidade de Michigan.

“O problema é a baixa taxa de resposta para os avisos de recall”, disse Michael Sivak, professor de pesquisa do U-M Transportation Research Institute.

A nova análise foi baseada em dados de uma pesquisa online com 516 entrevistados,  conduzida por Sivak e seus colaboradores da UMTRI. Essa pesquisa se concentrou em recalls relacionados à segurança do automóvel.

As três preocupações mais frequentemente mencionadas, que impedem os indivíduos de responderem os avisos de recall de segurança dos veículos foram:

  • Preocupação que a concessionária vai tentar vender mais serviços durante a visita (38%)
  • Dificuldade em ficar sem o veículo durante o reparo (37%)
  • O tempo para conserto do carro era muito longo (36%)

Possíveis novas opções que poderiam aumentar ‘o sim’ aos recalls das montadoras incluem:

  • A capacidade de agrupar um recall com manutenção programada regularmente (52%)
  • Incentivos com serviços gratuitos, como a troca de óleo ou tanque de gasolina (51%)

Outros resultados notáveis ​​da pesquisa:

Os consumidores preferem ser notificados dos recalls pelo correio (74%) e e-mail (64%), em vez de mensagem de texto, telefone ou anúncio de serviço público.

Cerca de 60% dos entrevistados acham que os estados deveriam exigir que os consumidores passassem pelos recalls antes de renovar o registro anual de veículos. E 61% acreditam que os veículos deveriam ser obrigados a estarem em dia com os recalls antes de poderem ser revendidos.

Apenas 45% dos motoristas definitivamente fazem o  recall de segurança do veículo fixado quando a concessionária mais próxima fica a 30 minutos, em comparação com 81% quando a concessionária fica a até 15 minutos.

A probabilidade dos recalls diminui acentuadamente quando os consumidores têm que esperar mais tempo pelo conserto. Quando os motoristas têm que esperar uma semana ou menos, 74% dizem que definitivamente passariam pelo recall, em comparação com apenas 27% se tempo de espera for mais de seis meses.

A pesquisa, Consumer Preferences Concerning Vehicle-Related Safety Recalls, foi apoiada pelo Programa de Transporte Mundial Sustentável da UMTRI.

Sobre Tarcisio Dias

Tarcisio Dias
Gerente de conteúdo do Mecânica Online®, Tarcisio Dias é responsável também pela área de cursos e CDs interativos. Possui formação em engenharia Mecânica com habilitação em Mecatrônica pela Universidade de Pernambuco, formação técnica em mecânica pela Escola Técnica Federal de Pernambuco (CEFET/PE) e profissional em Mecânica Automotiva de Motores Diesel no Centro de Formação Profissional de Jaboatão dos Guararapes – RFFSA acordo SENAI. Também possui formação como Radialista – Locutor/entrevistador.