Volkswagen celebra 15 anos de pioneirismo e inovação da tecnologia Total Flex

A Volkswagen está comemorando o 15° aniversário do lançamento do primeiro modelo no Brasil capaz de rodar com gasolina, etanol ou a mistura dos dois combustíveis em qualquer proporção.

A tecnologia Total Flex estreou no País no dia 23 de março de 2003 no Gol Power 1.6.

“A marca Volkswagen comemora em 2018 seus 65 anos de atividades no Brasil. Nesse tempo, a marca foi e continua sendo protagonista de muitas tecnologias e inovações. Um exemplo é o Total Flex, tecnologia bicombustível lançada pela Volkswagen e que está completando 15 anos agora em março. De lá para cá foram cerca de 6 milhões 700 mil carros produzidos com essa tecnologia pela Volkswagen. Assim como a Volkswagen, esse sistema é algo que hoje é parte integrante da vida dos brasileiros”, afirma Pablo Di Si, Presidente e CEO da Volkswagen Região América do Sul e Brasil

Essa tecnologia proporcionou ao consumidor brasileiro a liberdade de escolha e a possibilidade de optar pelo combustível mais econômico.

O Total Flex foi inteiramente desenvolvido no Brasil e é reconhecido internacionalmente como exemplo de contribuição da indústria automobilística brasileira à sustentabilidade e à preservação ambiental.

Desde o lançamento do primeiro modelo Total Flex, a Volkswagen do Brasil já comercializou 6.673.709 veículos flexíveis (dados acumulados de março de 2003 a fevereiro de 2018).

A gama atual de motores aspirados Total Flex inclui versões com 1,0l (com até 82 cv) e duas opções 1,6l (com até 104 cv e 120 cv).

Além desses, há três configurações TSI (Turbocompressor e injeção direta de combustível) com essa tecnologia: dois 1.0l (de 105 cv a 128 cv e um 1.4 (de até 150 cv).

Vale destacar que, ao longo desses 15 anos, a Volkswagen promoveu uma série de melhorias em seus motores, incluindo os que utilizam a tecnologia Total Flex.

O resultado são motores cada vez mais modernos, que combinam bom desempenho com baixo consumo de combustível.

Sucesso imediato – Desde que foi lançada, em março de 2003, a tecnologia Total Flex teve sucesso imediato e, sete meses depois, mais um marco na história da indústria nacional: a Volkswagen lançou em outubro de 2003 o Fox 1.0 Total Flex, primeiro motor 1.0l do mercado nacional com essa tecnologia.

Três anos depois de chegar ao mercado, a tecnologia Total Flex já alcançava a marca dos 500 mil veículos comercializados no Brasil, marco atingido em março de 2006.

Já no ano seguinte, em maio de 2007, a Volkswagen comemorava o recorde de 1 milhão de veículos Total Flex vendidos.

A marca do segundo milhão de modelos flexíveis comercializados no País foi registrada em fevereiro de 2009.

Em agosto de 2010, a Volkswagen celebrou as 3 milhões de unidades com motores Total Flex vendidas no Brasil, e, em janeiro de 2012, chegou às 4 milhões de unidades.

O marco de 5 milhões foi atingido em julho de 2013 e, em junho de 2015, a Volkswagen registrou a venda do veículo Total Flex de número 6 milhões no País.

Eficiência energética – Além de robustez, tecnologia e prazer ao dirigir, o baixo consumo de combustível sempre foi uma das premissas no desenvolvimento dos motores da Volkswagen.

E a busca por oferecer motores cada vez mais eficientes é contínua. Com o Total Flex não é diferente.

Quando foi lançado em março de 2003, o Gol 1.6 Total Flex já era considerado um dos modelos mais econômicos da categoria.

Em 2004, o modelo passou a contar com o mesmo propulsor 1.0 Total Flex do Fox.

Corrigindo os valores de acordo com as normas atuais do Programa Brasileiro de Etiquetagem Veicular (PBEV) do INMETRO (Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia), o Gol 1.0 Total Flex 2004 teria consumo combinado (estrada/cidade) com gasolina (E22) na ordem de 11,3 km/l.

Em 2012, o Gol 1.0 Total Flex passou a contar com o motor 1.0 TEC, com uma série de melhorias e inovações.

Considerando o mesmo fator de correção do Inmetro, o Gol 1.0 2012 apresentaria consumo combinado de 12,1 km/l – ou seja, melhoria de 7% em relação ao modelo de 2004.

Mas a Volkswagen não parou de inovar. Atualmente, o Gol é comercializado com o motor 1.0 de três cilindros, da Família EA211.

Esse modelo apresenta consumo combinado de 13,9 km/l, ou seja, 15% melhor do que o Gol em 2012 e impressionantes 23% mais econômico do que o Gol 1.0 Total Flex 2004.

Tecnologia avançada e robustez – A tecnologia que possibilita o uso de gasolina, etanol ou a mistura dos dois combustíveis em qualquer proporção.

O sistema flexível tem um complexo software capaz de, em segundos, adaptar o motor ao combustível presente no tanque.

A implantação do sistema Total Flex exigiu também a adaptação de vários componentes e sistemas, que precisaram ser protegidos da ação corrosiva do etanol.

Entre eles figuram o tanque, bomba e condutos de combustível, válvulas e sedes de válvulas, bicos de injeção, velas de ignição, catalisador e sistema de escapamento.

Desde o seu lançamento, os motores Total Flex continuaram a ser desenvolvidos, visando sempre a maior eficiência energética e, consequentemente, a redução de emissões.

O desenvolvimento da tecnologia eletrônica possibilitou a elevação da taxa de compressão, por exemplo, melhorando o desempenho quando o etanol é utilizado, sem prejudicar o funcionamento do motor apenas com gasolina.

Outro avanço da Volkswagen na tecnologia flexível foi a adoção do sistema de partida a frio sem necessidade de tanque auxiliar de gasolina, lançado em março de 2009, no modelo Polo E-Flex.

Atualmente, essa tecnologia está presente em modelos como up!, Saveiro Cross, Novo Polo, Virtus, Golf e Golf Variant

TSI: desempenho, economia de combustível e prazer ao dirigir – Em agosto de 2015, a Volkswagen apresentou o modelo que revolucionou o mercado brasileiro no que diz respeito a motores, com a combinação perfeita de alta eficiência energética com desempenho e prazer ao dirigir: o up! TSI Total Flex.

Trata-se do primeiro motor com injeção direta, turbocompressor e flexível produzido no Brasil. Esse motor reforçou, mais uma vez, a identidade da Volkswagen como empresa líder em inovação.

Cerca de um ano depois, em setembro de 2016, A Volkswagen deu um passo que novamente revolucionou o mercado nacional, com a introdução do Golf equipado com o motor TSI Total Flex de 125 cv.

Fabricado em São José dos Pinhais (PR), o modelo foi o primeiro hatchback médio a oferecer o que há de mais moderno em tecnologia para motores.

Ao mesmo tempo, a marca passou a oferecer a tecnologia Total Flex também para as motorizações 1.4 TSI, que passaram a desenvolver até 150 cv.

O recém-lançado Virtus e o Novo Polo também revolucionaram seus segmentos com o motor 1.0 TSI, com até 128 cv.

Os motores TSI Total Flex são produzidos em São Carlos, no interior de São Paulo.

A tecnologia TSI Total Flex é oferecida nos motores da família EA211 (com 1 litro e 1,4 litro de cilindrada e potência entre 105 cv e 150 cv), equipando os modelos up!, Golf e Golf Variant.

Diferentes elementos combinados- A sigla TSI representa toda a tecnologia que resulta nas qualidades entregues pelo motor: injeção direta de combustível, combinada ao turbocompressor, que permite o downsizing (redução da cilindrada, com excelente desempenho), de forma a entregar muito prazer ao dirigir e alta eficiência energética.

Essa eficiência em combinar performance com prazer ao dirigir e baixo consumo é demonstrada em números.

Em economia – os Volkswagen estão entre os melhores em consumo energético do Brasil – e em eficiência: todos os modelos equipados com motor TSI aceleram de 0 a 100 km/h em menos de 10 segundos.

Essa fórmula de sucesso é composta por diferentes elementos.

O primeiro deles é um motor pequeno, que é mais eficiente por desperdiçar menos energia em atrito; também é mais leve, o que colabora para a redução de peso total do carro.

A tecnologia TSI está baseada na injeção direta de combustível, que possui as vantagens de ser mais precisa e de não depender dos tempos de abertura das válvulas, injetando a quantidade exata de combustível em todas as condições de uso.

Outro recurso importante é o turbocompressor, que aumenta a massa de ar admitida pelo motor para seu funcionamento ao comprimir esse ar.

Ao se utilizar turbocompressor, parâmetros como potência, torque e eficiência são aumentados significativamente em comparação a um motor de mesma cilindrada com aspiração natural.

Além de aumentar a potência, o turbocompressor tem a função de poupar energia e gerar mais força – ele aproveita gases de escapamento que seriam descartados.

Já a válvula wastegate (ou válvula de passagem) é o “acelerador” do turbo, controlando a passagem dos gases de escape pela turbina.

Controlada eletronicamente pela unidade eletrônica de controle do motor (ECU), a válvula wastegate deve ser fechada em baixos regimes de rotação de modo a permitir ao turbocompressor receber toda a corrente de gases de escapamento (que atingem altas temperaturas), o que assegura formação de torque consistente.

Evolução das vendas dos modelos Total Flex – cronologia

•    Março de 2006 – 500.000 de unidades vendidas
•    Maio de 2007 – 1.000.000 de unidades vendidas
•    Fevereiro de 2009 – 2.000.000 de unidades vendidas
•    Agosto de 2010 – 3.000.000 de unidades vendidas
•    Janeiro de 2012 – 4.000.000 de unidades vendidas
•    Julho de 2013 – 5. 000.000 de unidades vendidas
•    Junho de 2015 – 6.000.000 de unidades vendidas

- Publicidade - Cursos Mecânica Online®