Segundo estudo divulgado em setembro pela consultoria Mckinsey, até 2030, de 15% a 30% da frota de veículos vendidos no Brasil será híbrida ou totalmente elétrica.

Isso demonstra que, cada vez mais, as pessoas estão interessadas em conhecer mais sobre um veículo eletrificado e seus benefícios.

“As pessoas pensam que o carro elétrico é mais devagar, menos divertido, que a bateria vai estragar. Os países que estão mais avançados na eletromobilidade possuem maior presença dos carros na rua, assim as pessoas conseguem ver como funciona. Quem dirige sente a diferença e acaba quebrando vários conceitos, como achar que a bateria acaba, entre outras coisas”, explica Bernardo Ferreira, consultor associado da Mckinsey.

Dentro dos números projetados para a venda de modelos mais eficientes, acredita-se que os veículos híbridos serão os destaques, até mesmo por ser uma mudança menos radical de consumo.

A Toyota, uma das principais montadoras do mundo, foi pioneira em produzir e comercializar o primeiro híbrido em escala mundial, o Prius.

Nos últimos 20 anos, já foram comercializados quase 12 milhões de unidades.

Em 2016, a montadora lançou a quarta geração do modelo, que é considerado atualmente o carro mais eficiente do País – segundo o Programa de Etiquetagem Veicular do Inmetro.

“Num primeiro momento, é preciso que o consumidor tenha o conhecimento a respeito do que é um veículo eletrificado, conheça os seus benefícios e tenha segurança para incorporar este tipo de tecnologia na sua rotina. No caso da Toyota, diversas atividades para o público envolvendo a tecnologia híbrida têm sido realizadas ao longo dos últimos anos. Por outro lado, com base no que já foi feito em outros países para tornar possível a introdução de veículos eletrificados em seus mercados, também é importante investir em políticas públicas estaduais que incentivem e estimulem a produção nacional”, conta Thiago Sugahara, chefe de relações governamentais da Toyota do Brasil.

A montadora também acredita que o mercado brasileiro está em fase de transição e adequação às novas tecnologias.

Por esse motivo, apresentou o primeiro híbrido flex do mundo, em parceria com a Toyota Motor Corporation.

“É um bom exemplo de adaptação necessária para a criação de um mercado sólido para veículos eletrificados no Brasil”, complementa, Sugahara.

Além da adequação aos modelos híbridos e elétricos, outro fator que ainda trava o consumo desses modelos é o preço.

Muitos agentes do setor defendem a desoneração do IPVA para consumidores, que já acontece em São Paulo, porém o valor do tributo ainda não está sendo devolvido aos proprietários.

Outro ponto é a revisão do IPI (Imposto Federal) e a desoneração do ICMS (Imposto Estadual), ajudando a viabilização da produção de carros híbridos e elétricos no médio prazo.

“Políticas de estímulo em P&D e Engenharia podem ajudar a desenvolver novos produtos no médio e longo prazo, tornando os custos dessa tecnologia mais acessíveis a partir da localização de partes e componentes para a fabricação de carros híbridos e elétricos. Por parte da Toyota, criamos a garantia estendida de oito anos para o sistema híbrido do Prius, além de oferecer ao cliente pacotes de manutenção com preços competitivos ao consumidor, com valores próximos ao praticados no caso do Corolla, por exemplo”, cita o executivo.

Até 2020, a multinacional japonesa contará com 10 modelos elétricos.

Segundo o estudo da Mckinsey, citado anteriormente, nos próximos dois anos serão lançados, aproximadamente, 300 novos modelos mais sustentáveis e eficientes.

Abordando o cenário atual, a Toyota afirma que os carros híbridos são mais populares no Japão, Europa e Estados Unidos.

“Alguns mercados emergentes como China e Índia despontaram como terceiro e quarto lugar nos maiores mercados individuais no primeiro trimestre de 2018. A disseminação dos benefícios e funcionamento dessas tecnologias é essencial para o conhecimento do público em geral; muitos ainda não sabem as diferenças entre um veículo híbrido e elétrico”, finaliza o chefe de relações governamentais da Toyota do Brasil.

Todas estas tendências do mercado e da indústria automobilística elétrica e de seus componentes foram apresentadas no Veículo Elétrico Latino-Americano, que aconteceu entre os dias 17 e 19 de setembro, no Transamerica Expo Center.

Acesse o site do evento para continuar tendo acesso aos conteúdos exclusivos e de relevância para o setor. http://www.velatinoamericano.com.br/