Entenda como funciona o sensor do ABS

A WABCO, fornecedora global líder em sistemas de controle de frenagem e em tecnologias avançadas que melhoram a segurança, a eficiência e a conectividade de veículos comerciais, explica o funcionamento do sensor de velocidade do sistema de freio antitravamento de rodas (Anti-Lock Braking Systems – ABS) e esclarece pontos que geram polêmica em muitas oficinas.

Há motorista que acha que o sensor do ABS do ônibus, caminhão ou semirreboque é frágil, mas não é.

O sensor resiste ao contato com barro, água ou outras adversidades provenientes da estrada, além de suportar baixas e altas temperaturas (de 40 graus centígrados negativos até 150 positivos).

Desenvolvido para enfrentar o trabalho pesado no transporte, o sensor é robusto.

O sensor de ABS tem a função de emitir o sinal de velocidade das rodas para a unidade eletrônica do sistema, que processa as informações necessárias para o controle do veículo, controlando a pressão do freio sobre a roda que estiver na iminência de travamento ou escorregamento.

Para saber se o sistema ABS, com seus sensores, está funcionando, basta observar as luzes de controle.

Se a luz no painel da cabine ou na carreta permanecer acesa é sinal de que pode haver alguma falha.

Neste caso, o sistema ABS precisa ser checado.

O mecânico sabe que quando a luz permanece acesa indica que o sistema ABS apresenta alguma anomalia.

Para especificar qual componente do sistema está com problema é preciso utilizar equipamentos de diagnóstico para freios ABS WABCO, que reúnem recursos suficientes para fazer avaliações precisas, verificando o tipo da falha ocorrida e indicando os procedimentos necessários para solucionar o problema.

Se for detectada falha no sensor é necessário substituí-lo.

Na hora da troca, a dúvida mais comum do profissional é sobre a distância do sensor em relação à roda dentada.

“No processo de montagem, o sensor deve ser ajustado de maneira a tocar a roda dentada. Assim, quando do início do movimento da roda, o sensor se ajustará automaticamente. A máxima distância que o sensor poderá ficar afastado da roda dentada é de apenas um milímetro”, explica Osmar Lopes, coordenador de assistência técnica e treinamento da WABCO e responsável pela WABCO Academy América do Sul.

“Se superar a distância indicada, ocorrerá uma ineficiência na leitura da velocidade da roda. Neste caso, o sistema ABS, por meio da lâmpada de advertência, indicará que algo está errado”, diz Lopes.

A recomendação é de que, quando ocorrerem falhas no sistema ABS, uma oficina da rede WABCO Service Partner seja procurada para a correção do problema.

O sensor deve ser substituído tão logo o defeito seja detectado.

Por meio de um teste específico, equipamentos da WABCO indicam se a distância do sensor em relação à roda dentada está correta.

No processo de reparação, é sempre recomendado substituir a bucha e fazer corretamente a lubrificação do componente, assegurando o correto funcionamento do sensor.

A WABCO disponibiliza para o mercado de reposição sensores, em cartelas contendo bucha e graxa.

- Publicidade - Cursos Mecânica Online®