Certificação de qualidade é caminho virtuoso para o mercado da reparação, diz Antonio Fiola

O empresário Antonio Fiola, proprietário da Dimas Reparadora e presidente do Sindicato da Indústria de Reparação de Veículos e Acessórios (Sindirepa Nacional), investiu na certificação de qualidade da oficina Dimas Reparadora, que oferece serviços de pintura, funilaria e mecânica no bairro Carandiru, em São Paulo.

Com 25 funcionários, o centro automotivo atende mensalmente cerca de 120 veículos, entre particulares, seguradoras e frotas.

Para obter a certificação da oficina em novembro, Fiola aderiu o Programa de Incentivo à Qualidade (PIQ), que é resultado de parceria entre o Instituto da Qualidade Automotiva (IQA) e o Sindirepa Nacional.
O PIQ visa conscientizar os empresários da reparação sobre a importância da qualidade para os negócios, com o foco de intensificar a certificação de oficinas independentes no País.
Nesta entrevista, Fiola avaliou o cenário do mercado da reparação no Brasil, abordou as vantagens da certificação de qualidade para os centros automotivos e falou sobre o PIQ, considerado como um amplo programa da qualidade dirigido a oficinas independentes do País.
1) Como avalia o cenário do mercado da reparação automotiva no País?
O mercado da reparação automotiva está difícil, porque as colisões estão em queda, as seguradoras aumentaram os valores de franquia e as perdas totais estão com percentuais menores, então todos esses fatores dificultam o dia a dia do nosso negócio, sem contar a grande variedade de modelos de veículos, que representa um desafio na hora da compra de peças.
Assim, nós temos nos tornado menos eficientes e alcançado faturamentos significativamente menores.
2) De que modo a certificação contribui para a evolução dos negócios?
A certificação é um diferencial para o nosso negócio, não apenas perante o cliente, mas sobretudo nós mesmos porque nós desenvolvemos uma série de novas atitudes e procedimentos que facilitam a existência do negócio sempre que nos preparamos para um processo de certificação.
Acredito que a certificação é um caminho virtuoso, porque possibilita atingir métodos de trabalho mais eficientes, que permitem melhorar a produtividade, reduzir os desperdícios e aumentar os números de faturamento.
3) A certificação da qualidade é uma ferramenta para a melhoria contínua?
A certificação tem dois lados, o de dentro e o de fora.
Do lado de fora, traz credibilidade e expectativa de evolução do negócio na visão do cliente.
Do lado de dentro, é uma fonte de inspiração para a melhoria contínua.
Ao mesmo tempo em que devemos estar prontos para receber a certificação, nós precisamos estar prontos para mantê-la.
A certificação nos inspira a continuar no caminho virtuoso, então deve ser vista como um investimento em qualidade que agrega ao negócio.
4) O Programa de Incentivo à Qualidade é um caminho para o empresário que deseja certificar a oficina independente. Como funciona o programa?
O Programa de Incentivo à Qualidade disponibiliza dois serviços complementares, um de qualificação e outro de certificação, sendo o primeiro serviço um diagnóstico do momento do meu negócio.
Dessa maneira, o processo de qualificação mostra um raio x de como estou e o que devo fazer para atingir a certificação.
Ao se qualificar, o empresário da reparação percebe que pode se certificar de maneira fácil e acessível.
5) Qual mensagem deseja transmitir aos empresários da reparação?
A certificação de qualidade é um caminho sem volta para a rede independente porque existe uma série de desafios para os próximos anos, como a entrada de novas tecnologias nos veículos, que irá cobrar o dono da oficina a estar mais atento e mais capacitado.
Se os negócios não evoluírem com as mudanças, os empresários da reparação perderão muito, sem dúvida alguma.
Os gestores interessados em participar do Programa de Incentivo à Qualidade devem preencher um formulário que está disponível no site do programa (www.projetopiq.com.br).
- Publicidade - Mercedes-Benz