Tecnologia digital, conectividade, dados na nuvem, Big Data e Internet das Coisas: os pilares da Indústria 4.0 na prática

Continuamos o assunto iniciado na coluna passada sobre a Indústria 4.0 e a relação entre o trabalho das máquinas e os seres humanos, na busca por soluções colaborativas. Foram duas visitas que permitiram conhecer “in-loco” a evolução da indústria brasileira no tocante a produção de veículos e caminhões.

Estive em Betim, Minas Gerais, para conhecer a evolução dos processos na busca pelo aumento da qualidade e competitividade no Polo Automotivo Fiat, destacados na coluna do dia 10 de março.

Depois foi a vez da fábrica da Mercedes-Benz para conhecer na prática a tecnologia digital, conectividade, dados na nuvem, Big Data e Internet das Coisas que já estão presentes na Linha de Cabinas na fábrica de São Bernardo do Campo, em São Paulo, que vamos abordar com mais detalhes agora.

A Indústria 4.0 nada mais é que a 4ª Revolução Industrial.

Temos um conjunto de tecnologias que se beneficiam da redução dos limites ou barreiras entre as pessoas e os mundos digital e físico, permitindo que as máquinas e os seres humanos trabalhem e se comuniquem de maneira colaborativa, o que promove a eficiência, minimiza a ociosidade e o desperdício, além de possibilitar a criação de processos e mercados.

Ela chegou para ficar. Essas mudanças foram impulsionadas pelo acesso maciço da sociedade ao mundo digital, que passou a influenciar todos os mercados.

No contexto da Indústria 4.0, esse conjunto de tecnologias, chamadas habilitadoras, possibilita que as linhas de produção sejam ágeis e atendam o consumidor final de maneira personalizada, sem prejudicar sua produtividade.

Do ponto de vista do consumidor, a Indústria 4.0 adequa sua linha de produção para a customização em massa com bens ou produtos que atendam aos desejos e necessidades de cada consumidor, com custos semelhantes aos dos produtos não customizados e com prazo de entrega relativamente curto.

É uma nova indústria automotiva que nasce conectada a sistemas como Internet das Coisas, Realidade Aumentada, Big Data, entre outras soluções.

Outro diferencial desse modelo, agora do ponto de vista da empresa, é a rastreabilidade que possibilita acompanhar um produto, desde a fabricação até a entrega ao consumidor.
Permite, ainda, que a empresa analise o comportamento dos produtos durante o uso pelo consumidor e implemente, automaticamente, melhorias decorrentes desta análise, por meio de um processo ágil.

Os pilares da quarta revolução industrial já estão presentes na Linha de Cabinas de caminhões da fábrica da Mercedes-Benz de São Bernardo do Campo (SP).

“Há pouco menos de um ano, inauguramos nesta planta a nova Linha de Montagem de Caminhões, trazendo grande impacto para o setor de veículos comerciais no País, com a implantação pioneira e efetiva de conceitos da Indústria 4.0”, ressalta Philipp Schiemer, presidente da Mercedes-Benz do Brasil e CEO América Latina.

“Agora, com a Linha de Cabinas, estamos dando mais um passo histórico e decisivo, que terá continuidade, porque iremos avançar para a produção de agregados, como motores, câmbios e eixos, e também de chassis de ônibus”.

Com um novo ambiente de trabalho na produção de cabinas, a Mercedes-Benz projeta ganhos de 15% em eficiência e 20% em logística em relação a processos anteriores. Para tanto, além de tecnologias, processos e recursos avançados, a nova Indústria 4.0 que cresce cada vez mais dentro na Empresa também dedica atenção muito especial aos colaboradores.

A nova Linha de Cabinas 4.0 vem desenvolvendo e testando, por exemplo, o uso de avançadas soluções – inéditas na Empresa, na Daimler Trucks e em veículos comerciais no País – como óculos de realidade aumentada, robô colaborativo e exoesqueleto, ferramentas inovadoras para uma nova realidade nas linhas de produção. Essas tecnologias trazem ganhos importantes de ergonomia, qualidade de vida e segurança no ambiente de trabalho para os colaboradores.

“Com a nova Linha de Cabinas, seguimos entregando investimentos no Brasil, dentro do aporte de R$ 2,4 bilhões programado entre 2018 e 2022”, informa Philipp Schiemer. “Ou seja, a Mercedes-Benz segue confiando no potencial do mercado brasileiro”.

Uma nova era da interação entre homens e a tecnologia – A nova Linha de Montagem de Caminhões da Mercedes-Benz inicia uma nova era da interação entre homens e tecnologia.

Os colaboradores estão no seu comando na Indústria 4.0, assegurando altos padrões de qualidade, produtividade e flexibilidade para atendimento aos clientes.

“A Linha de Cabinas também é resultado do aprimoramento do processo ergonômico nas células de trabalho e do investimento contínuo na qualidade de vida dos colaboradores, com participação da área de Medicina e Segurança do Trabalho”, diz Carlos Santiago, vice-presidente de Operações da Mercedes-Benz do Brasil.

“Nosso foco é a evolução do ambiente de trabalho, contribuindo para o desenvolvimento das equipes”.

O diversificado universo de equipamentos, ferramentas e tecnologias de última geração está totalmente conectado na atual Linha de Cabinas. A alta tecnologia aplicada por toda linha permite disponibilizar dados em tempo real para diversas áreas da fábrica.

Um App permite acompanhar 100% da produção pelo celular e de qualquer lugar. Essa ferramenta tem interface com a planta de Juiz de Fora (MG), em que ocorre a pintura das cabinas, e com diversas áreas de São Bernardo do Campo.

Dados gerados por equipamentos como as apertadeiras eletrônicas, robôs e AGVs (Automatic Guided Vehicle ou Veículo Guiado Automaticamente) são armazenados em um Data Lake e alimentam sistemas de inteligência artificial e Big Data.

Utilizando recursos de Analytics, pode-se monitorar a qualidade de todos os produtos, detectar falhas e até fazer uma correlação com as informações de Vendas, flexibilizando o mix de produção.

Realidade aumentada é pioneira na produção de caminhões – O uso da realidade aumentada é uma iniciativa pioneira na Mercedes-Benz do Brasil e na Daimler Trucks.

Com testes ao longo de 2018, está sendo utilizada, a partir deste ano, no início do processo de montagem inferior da cabina para manutenção preventiva.

O óculos de Realidade Aumentada possibilita visualizar imagens com parâmetros e informações dos sensores de um determinado equipamento ou do processo produtivo.

Permite ao operador ou inspetor que atue de forma rápida e com as mãos livres, tendo o suporte de áudio, vídeo e outros documentos que auxiliam o processo de manutenção, garantindo redução no tempo de atendimento e qualidade na execução da tarefa.

Robô auxilia os operadores em ações repetitivas – O robô colaborativo trabalha em total sintonia com os operadores, aliviando esforços em atividades repetitivas, contribuindo para maior assertividade e qualidade. Na Mercedes-Benz do Brasil, o primeiro robô colaborativo atua na montagem da chave geral do caminhão.

De braço duplo e mãos flexíveis, o robô colaborativo manuseia qualquer objeto, com alto nível de precisão. Graças a seu design compacto e ao controle preciso, não exige barreiras, gaiolas ou grades para utilização, nem zonas restritas de uso, garantindo a segurança dos colaboradores e das pessoas à sua volta.

Exoesqueleto, novidade que privilegia a ergonomia dos colaboradores – Agregando mais novidades à Linha de Cabinas, o exoesqueleto é uma evolução do posto de trabalho com foco na ergonomia, saúde ocupacional e segurança para os colaboradores.

Já são mais de três meses de estudos e testes, realizados em parceria com a Escola Politécnica da Universidade de São Paulo – Poli-USP em um laboratório montado dentro da própria Empresa. Esta solução moderna e avançada é inédita na montagem de cabinas no País e na Mercedes-Benz do Brasil.

O exoesqueleto é uma estrutura de suporte ao colaborador projetada ergonomicamente para ajudar nas realizações de movimentos repetitivos. Conforme o modelo, pode diminuir esforços nos ombros, coluna, quadril e pernas. Não aumenta a força do colaborador, mas reduz a fadiga muscular e o risco de lesões.

Tecnologias avançadas ganham evidência na nova Linha de Cabinas
· AGV (Automatic Guided Vehicle ou Veículo Guiado Automaticamente)
· AIV (Autonomous Intelligent Vehicle ou Veículo Autônomo Inteligente)
· Transelevadores
· EOM (Electrical Overhead Monorail), sistema de transporte aéreo
· Elevadores automáticos
· Célula robotizada
· Novas botoeiras
· Monitores touch screen de tela ampla.
Coluna Mecânica Online® – Aborda aspectos de manutenção, tecnologias e inovações mecânicas nos transportes em geral. Menção honrosa na categoria internet do 7º Prêmio SAE Brasil de Jornalismo, promovido pela Sociedade de Engenheiros da Mobilidade. Distribuída gratuitamente todos os dias 10, 20 e 30 do mês.
http://mecanicaonline.com.br/wordpress/category/colunistas/tarcisio_dias/