Volvo Cars e Geely pretendem fundir operação de motores a combustão

A Volvo Cars e a Geely pretendem fundir suas operações de motores a combustão em um negócio independente. O objetivo é estabelecer um novo fornecedor global que buscará desenvolver propulsores térmicos e híbridos da próxima geração.

O novo negócio proposto abriria caminho para a Volvo Cars focar no desenvolvimento de sua linha totalmente elétrica de carros premium, como parte de sua ambição de colocar a sustentabilidade no centro de suas operações.

Em meados da próxima década, a marca espera que metade de suas vendas globais sejam totalmente elétricas e a outra metade híbrida, fornecida pela nova unidade.

A nova empresa planejada ofertaria motores de combustão tecnologicamente avançados e eficientes e motores híbridos disponíveis para Geely Auto, Proton, Lotus, LEVC e LYNK & CO.

Atuando de forma independente, também poderia fornecer propulsores a outras fabricantes, garantindo o crescimento do negócio.

A fusão dessa operação representaria ainda uma colaboração industrial significativa entre a Volvo Cars e a Geely com importantes sinergias operacionais, industriais e financeiras.

O novo negócio pretende ser um empregador atraente para aproximadamente 3 mil funcionários da Volvo Cars e cerca de 5 mil funcionários das operações de motores de combustão da Geely, incluindo funções de pesquisa e desenvolvimento, compras, fabricação, TI e finanças. Não estão previstas reduções na força de trabalho.

Tanto a Volvo Cars quanto a Geely estão no processo de transformar suas operações em novas unidades em suas respectivas organizações, como um primeiro passo para a fusão das duas em um novo negócio independente.

A Volvo Cars acredita que a eletrificação da indústria automotiva será um processo gradual, o que significa que haverá uma demanda contínua significativa por motores híbridos eficientes, além de ofertas totalmente elétricas.

No Brasil, temos hoje 22% de vendas no portfólio de produtos eletrificados – em 2020, a meta é ir para 40% de participação. Ainda dentro da estratégia de eletrificação, temos 250 pontos de carregamento Volvo instalados no Brasil em 2019 e projetamos 500 para 2020.

“Os carros híbridos precisam dos melhores motores a combustão interna. Esta nova unidade terá os recursos, a escala e a experiência necessária para desenvolver esses propulsores de maneira econômica”, disse Håkan Samuelsson, presidente e CEO da Volvo Cars.

Os planos detalhados do novo negócio estão em desenvolvimento e sujeitos a negociações sindicais, bem como a aprovação do conselho e das autoridades competentes.

- Publicidade - Mercedes-Benz