Librelato investe em eixos autodirecionais com ponteiras móveis

A partir de 2020, a Librelato passará a trabalhar com a tecnologia de Suspensão Pneumática com Eixo Autodirecional, conhecido como “eixo de manga”.

Para isso, a empresa está substituindo 100% dos Quadros Autodirecionais por Eixos Autodirecionais para a sua linha de semirreboques com eixos distanciados, como por exemplo, os equipamentos das linhas graneleira, furgão alumínio, furgão lonado e tanque.

Para Rafael Bett, diretor comercial da Librelato, “são inúmeras as vantagens trazidas por essa nova tecnologia, entre elas maior segurança, menores custos de manutenção e um retorno de investimento muito mais rápido em relação à tecnologia de suspensão por quadro autodirecional”.

Ele explica que, com a nova tecnologia de Eixo Autodirecional, apenas as ponteiras do eixo são móveis, o que permite menor arraste do conjunto e menor desgaste de pneus.

Além disso, a nova solução pesa cerca de 400 kg a menos do que a suspensão por quadro autodirecional, dependendo do tipo de implemento em que é aplicado. Como possui menor número de componentes na sua estrutura, também traz a vantagem de reduzir a necessidade de manutenção do conjunto como um todo.

Sistema de Eixo Autodirecional traz segurança e economia às operações de transporte
O novo Eixo Autodirecional adotado na linha de produtos da Librelato possui um sistema de bloqueio do esterçamento para as manobras em marcha a ré, que mantém o eixo centralizado automaticamente, sem a necessidade de alinhar o conjunto ou suspender o eixo antes da manobra, o que torna a operação mais rápida e segura.

De acordo com o executivo, entre outras vantagens, os amortecedores de direção estabilizam o esterçamento, eliminando vibrações nos rodados. Seu sistema de mancais é extremamente durável.

O eixo possui ainda um exclusivo sistema de alinhamento que, em caso de manutenção, permite sua remontagem sem que seja necessário refazer a convergência das rodas.

Sua barra de ligação é de regulagem extremamente simples e isenta de lubrificação. Todas essas características  facilitam a manutenção e reduzem custos e tempo de parada.

Para Bett, “a aplicação desta tecnologia significa que o equipamento operará com o máximo desempenho e segurança, por muito mais tempo”, prevê.

De acordo com a Anfir, Associação Nacional dos Fabricantes de Implementos Rodoviários, que defende a utilização da suspensão pneumática, atualmente seu uso não é obrigatório em todas as composições no Brasil, mas somente naquelas com eixos distanciados, conforme previsto na resolução Contran 210/06.

Com esta nova tecnologia atrelada à suspensão pneumática, a Librelato projeta um incremento da ordem de 20% nas vendas dos implementos com eixos distanciados.

- Publicidade - Cursos Mecânica Online®