Volvo Cars vai rastrear o cobalto de baterias de carros elétricos por meio da tecnologia blockchain

Após apresentar seu compromisso de reduzir as emissões de carbono em seus processos produtivos e de revelar seu primeiro carro totalmente elétrico, o XC40 Recharge, a Volvo Cars se tornará a primeira montadora a implementar a rastreabilidade global do cobalto usado em suas baterias, aplicando a tecnologia de blockchain.

A rastreabilidade das matérias-primas utilizadas na produção de baterias de íons de lítio, como o cobalto, é um dos principais desafios de sustentabilidade enfrentados pelas fabricantes de veículos.

A Volvo Cars está comprometida com o registro total deste material, garantindo que os clientes possam dirigir um Volvo eletrificado, sabendo que os componentes das baterias foram adquiridos com responsabilidade.

A tecnologia blockchain estabelece uma rede de dados compartilhada transparente e confiável, o que aumenta significativamente a clareza da cadeia de suprimentos de matérias-primas, pois as informações sobre a origem do material não podem ser alteradas após serem detectadas e confirmadas.

A Volvo Cars chegou agora a um acordo com seus dois fornecedores globais de baterias, a CATL (China) e a LG Chem (Coréia do Sul), e as principais empresas globais de tecnologia de blockchain para implementar a rastreabilidade do cobalto a partir deste ano.

As empresas de tecnologia Circulor e Oracle passaram a operar a tecnologia blockchain na cadeia de suprimentos da CATL após um piloto bem-sucedido, enquanto a Rede de Blockchain de Fornecimento Responsável (RSBN), juntamente com os especialistas em sourcing da RCS Global e IBM, está lançando a tecnologia para a cadeia de fornecedores da LG Chem.

“Sempre nos comprometemos com uma cadeia ética de suprimentos para nossas matérias-primas”, disse Martina Buchhauser, chefe de compras da Volvo Cars.

“Com a tecnologia blockchain, podemos dar o próximo passo no sentido de garantir a transparência total de nossa cadeia de suprimentos e minimizar os riscos relacionados, em estreita colaboração com nossos fornecedores”.

A blockchain é um livro digital que contém uma lista de registros vinculados entre si por criptografia.

Dentro das cadeias de suprimentos, a tecnologia cria registros de transações que não podem ser alteradas, além de impor um conjunto comum de regras para quais dados podem ser registrados. Isso permite que os participantes verifiquem e auditem transações independentemente.

Nesse caso específico, os dados no blockchain incluem a origem do cobalto, atributos como peso e tamanho, a cadeia de custódia e informações que estabelecem que o comportamento dos participantes é consistente com as diretrizes da cadeia de suprimentos da OCDE.

Essa abordagem ajuda a criar confiança entre os participantes ao longo de todo a vida útil da matéria-prima.

A Volvo Cars lançou no mês passado o XC40 Recharge, o primeiro de uma família futura de carros totalmente elétricos sob a bandeira Recharge. Até 2025, espera que metade de suas vendas globais seja de carros totalmente elétricos, com o restante de híbridos.

No mês passado, a Volvo Cars também lançou um ambicioso plano climático, que inclui uma redução radical das emissões de carbono em 40% por veículo até 2025, além de um compromisso contínuo com negócios éticos em toda a sua cadeia de operações e suprimentos.

A CATL e a LG Chem são fabricantes de baterias renomados, com longa e bem-sucedida trajetória no fornecimento de baterias de íons de lítio para a indústria automotiva global.

Eles atendem às rígidas diretrizes de fornecimento da Volvo Cars em termos de liderança tecnológica, cadeias de suprimentos responsáveis, redução de emissões de carbono e modelos de custos competitivos.

Os acordos entre a Volvo Cars, a CATL e a LG Chem cobrem o fornecimento de baterias para a próxima década para os modelos Volvo e Polestar da próxima geração, incluindo o XC40 Recharge.

- Publicidade - Mercedes-Benz