Motocicletas com segurança de quatro rodas

Imagine-se em uma estrada bem asfaltada e sinalizada, ainda mais com belas e boas curvas de alta velocidade, circundada por montanhas cobertas de uma vegetação verde e florida depois de um período de chuva.

Se você for motociclista, esse cenário convida a enrolar cada vez mais o cabo do acelerador e deitar cada vez mais na próxima curva. Mas se você não é, pensa logo na queda.

Pelo início do texto fica claro que falaremos de motocicletas, e isso é para aproveitar que na última quinzena, mais precisamente de 19 a 24 de novembro, aconteceu em São Paulo o Salão Duas Rodas, que apresentou no complexo São Paulo EXPO os lançamentos para o segmento nos próximos anos.

Mas nós iremos um pouco mais além e falaremos sobre sistemas de segurança que já equipam e equiparão nossas motocicletas no futuro.

Já é de conhecimento comum que o sistema de ABS evita o travamento das rodas mantendo o controle do veículo em uma frenagem de emergência. Mas, já ouviu falar em um sistema que desliga a moto em caso de queda?

Isso existe e chama-se BAS, sistema que controla a inclinação do chassi da motocicleta e desliga a mesma em caso de queda.

Sem falar no CBS, controlador de frenagem que utiliza os dois freios apenas com o acionamento de um deles, ou seja, freou a roda traseira, o sistema freia também a dianteira e vice-versa.

Esse sistema possuía um ABS mecânico, sem uso da eletrônica, que consistia de uma válvula reguladora de pressão dentro que aliviava a pressão do fluido de freio em caso de travamento das rodas.

Todos esses sistemas foram precursores dos sistemas que hoje apontam o futuro na segurança de duas rodas, como o CONTROLE DE ESTABILIDADE E TRAÇÃO, ANTIWHELLING, ABS DE CURVA, ALERTA DE PONTO CEGO, ACC e IMU.

Os CONTROLES DE ESTABILIDADE E TRAÇÃO são uma evolução do ABS e trabalham mesmo quando o piloto não aciona os freios.

Eles agem monitorando a motocicleta em tempo integral e evitam que em caso de uma curva, por exemplo, o veículo perca a trajetória, o sistema faz isso diminuindo a entrega de torque pelo motor e em casos mais extremos, acionando os freios de forma controlada com o objetivo de trazer a motocicleta de volta para o seu eixo.

Uma outra situação que pode ser evitada por essa inovação, é a derrapagem da roda traseira em piso com baixa aderência, mantendo o piloto seguro em uma arrancada.

Outro sistema, muito importante, pois sem ele alguns pilotos já suaram frio por baixo do capacete, o ANTIWHEELING, evita que a roda traseira levante do chão em caso de uma frenagem de emergência, provocando o famoso BABALU.

Essa situação além de assustar o condutor, pode provocar por perda de controle e capotamento da motocicleta por falta de perícia. Agora a tecnologia está aí para ajudar aos menos experientes.

O ABS DE CURVA visa manter a motocicleta na sua trajetória caso seja necessário frear no meio de uma curva.

O sistema monitora a rotação, a velocidade e a inclinação da motocicleta por volta de 100 vezes por segundo para cumprir com o prometido. Esse sistema, certamente, salvará muitas vidas no futuro.

Muitos acidentes com motocicletas não envolvem automóveis e sim outras motocicletas. Um sistema que muito ajudará os pilotos, principalmente em grandes cidades, com trânsito pesado, que obrigam a mudança de faixa constantemente, é o ALERTA DE PONTO CEGO associado ao ALERTA DE COLISÃO.

Como o utilizado nos carros, esses sensores avisarão ao piloto quaisquer veículos que aproximar-se pelas laterais, evitando a mudança de faixa repentina e alertará o piloto sobre a possibilidade de colisão dianteira ou traseira.

Além disso ainda teremos o ACC, que não só alerta, mas também controla a velocidade da motocicleta em relação ao veículo da frente.

E para finalizar, uma pequena amostra do que esse mercado das duas rodas pode trazer de inovação e segurança, vamos falar sobre o IMU (unidade de medidas inerciais).

Essa unidade é um conjunto de sensores, giroscópios e um processador que controla todo o comportamento do chassi, como acelerações, longitudinais e transversais, inclinação do chassi e velocidade, essas informações servem como base para muitos outros sistemas, deixando a entrega de potência e o funcionamento dos freios muito mais adaptado para a situação na qual se encontra a motocicleta.

Então, você que já é amante do mundo das duas rodas, sinta-se seguro em pilotar cada vez mais, seja na estrada ou no trânsito caótico das nossas grandes cidades.

E você que ainda não é fã das motocicletas, perceba que este mercado, além da esportividade e liberdade que só uma moto dá, também está preocupado em entregar cada vez mais segurança para o seu público e através disso, conquistar novos clientes.

Quem sabe o próximo pode ser você!

- Publicidade - Mercedes-Benz