New Holland celebra 70 anos inovando para os desafios do futuro

Conceitos da marca de construções da CNH Industrial ditam tendências para o setor, enquanto fábrica de Contagem (MG) e Centro de Distribuição de Peças de Sorocaba (SP) alcançam importantes metas ambientais

Em sete décadas, marca contribuiu ativamente para o desenvolvimento do país participando de grandes obras como Furnas, Brasília, a Ponte Rio-Niterói e Itaipu

Sempre próxima do cliente e com uma linha completa de máquinas para diferentes aplicações, a New Holland Construction celebra 70 anos de Brasil acreditando no país e na América do Sul, e inovando para os desafios do futuro, para as próximas sete décadas que virão.

O espírito de união que levou ao surgimento da marca da CNH Industrial vem de uma construção sólida e conjunta, feita pelo time de especialistas e colaboradores, uma rede de concessionários em constante crescimento e evolução, e clientes, comprovada pela presença de máquinas em grandes obras que movem o país.

Uma trajetória iniciada em 1950, com a montagem de equipamentos em um galpão no bairro do Brás, em São Paulo, ampliada pelas expansões da fábrica de Contagem (MG), a partir da década de 1970, e consolidada por uma linha completa de retroescavadeiras, pás carregadeiras, motoniveladoras, escavadeiras hidráulicas, tratores de esteira, minicarregadeiras, miniescavadeiras, soluções e tecnologias – da construção ao agronegócio.

A evolução da New Holland Construction é confirmada por uma das mais completas linhas de produtos e soluções do mercado; máquinas conceito que ditam as possibilidades de futuro e tendências do setor; pela meta alcançada de Aterro Zero, tratando 100% dos resíduos gerados na fábrica do Brasil; e uma nova plataforma online de venda de peças, que conta com componentes disponíveis em qualquer lugar, dia ou hora.

A dedicação em excelência de atendimento levou a New Holland Construction a ser reconhecida, pelo segundo ano consecutivo, no Prêmio Destaque Pós-Venda 2019 da Associação Brasileira de Tecnologia para Construção e Mineração (Sobratema).

“Chegamos aos 70 anos unidos, inovando com eficiência e prontos para entregar o melhor ao mercado. Construímos, dia após dia, algo maior: o futuro do Brasil. Nos últimos 70 anos foi assim. Nas próximas sete décadas queremos fazer ainda mais”, afirma a vice-presidente da New Holland Construction para a América do Sul, Paula Araújo.

Mais 70 anos em evolução-Os próximos 70 anos da New Holland Construction serão pautados na inovação. Seu foco em evolução, aliado ao desenvolvimento de produtos, soluções e tecnologias, caminha junto com valores de sustentabilidade e responsabilidade social, construindo uma das marcas mais modernas do setor.

Alguns conceitos reforçam esse DNA: as tecnologias wi-fi e de Biometria para máquinas de construção e a retroescavadeira B95B Acessível.

Os protótipos da New Holland Construction, juntos com outras ações, contribuíram para que a CNH Industrial fosse eleita uma das empresas mais inovadoras do Brasil pelo segundo ano consecutivo, no Prêmio Valor Inovação Brasil 2019, conquistando o 1º lugar no setor Automotivo e Veículos de Grande Porte e aparecendo entre as 10 mais inovadoras do país.

A Biometria permite que o operador acesse a cabine da máquina e acione a ignição do motor com apenas um toque.

A operação, simples e prática, pode ser feita em um tablet ou smartphone, permitindo que o responsável defina um nível de acesso adequado à cada integrante do seu time. Apresentada ao público, como conceito, na pá carregadeira W190B Conecta, a tecnologia segue em desenvolvimento.

Outro projeto que continua em estudos pela New Holland Construction é a retroescavadeira acessível, que foi projetada para oferecer ao operador com mobilidade reduzida as mesmas condições de trabalho, conforto, performance e praticidade de uma retroescavadeira convencional.

A configuração inclusiva permite que a B95B Acessível seja operada por operadores com ou sem mobilidade reduzida. Dois pilares nortearam o projeto: inclusão e qualidade de vida.

“A configuração acessível é totalmente inclusiva, podendo ser operada por qualquer tipo de operador. A solução representa um marco, proporcionando novas oportunidades de trabalho, além de auxiliar as empresas, promovendo a integração das pessoas”, afirma o gerente de Marketing da New Holland Construction para a América do Sul, Giovanni Borgonovo.

Conectados e alternativos-Além da acessibilidade, comando por rede sem fio e a Biometria, daqui para frente, teremos máquinas e soluções ainda mais eficientes.

A New Holland Construction segue pautada por pilares importantes, como a automação e a digitalização. “Telemática, telemetria e conectividade chegaram para ficar e tornar as máquinas ainda mais eficientes, rentáveis e sustentáveis”, afirma Paula Araujo.

“No Brasil, temos um enorme potencial de evolução nessas áreas, mas precisamos acompanhar o andamento e a necessidade dos clientes, mantendo o mercado sempre competitivo”, completa a vice-presidente.

A marca aposta também em combustíveis alternativos como uma possibilidade válida para o setor. Eletrificação e hibridização para máquinas são uma tendência para as máquinas e equipamentos do setor, mas num futuro de médio a longo prazo.

“Por aqui, a adoção dessas tecnologias tende a ser mais lenta, mas o Brasil conta com diferenciais interessantes, como o gás natural, biometano e, por que não, o etanol”, diz Araujo.

70 anos de grandes obras e histórias-A participação ativa da marca na história do Brasil contribuiu diretamente na realização de grandes obras fundamentais na interiorização e no desenvolvimento do país.  Inicialmente como Moto Agrícola Indústria e Comércio, depois como Fiat Tratores, Fiatallis, e, finalmente, como a New Holland Construction.

Os tratores da linha amarela atuaram como testemunhas e construtores ativos da arquitetura e construção brasileiras, como a Usina Hidrelétrica de Paulo Afonso, localizada no Rio São Francisco entre os estados de Alagoas e Bahia; a rodovia Belém-Brasília, primeira ligação por terra entre o Norte do Brasil e as regiões Sudeste e Sul; a construção de Furnas, no Rio Grande, em Minas Gerais; Brasília, símbolo do modernismo; a Ponte Rio-Niterói, um marco na engenharia nacional; o metrô de São Paulo, o primeiro do país; e uma das maiores hidrelétricas do mundo, Itaipu, cuja energia é compartilhada entre o Brasil e Paraguai.

Responsável por lançar a primeira escavadeira hidráulica do Brasil, o modelo S90, em 1973, a marca nasceu e cresceu juntamente com um Brasil que se preparava para encarar o desafio de se desenvolver.

“Nos orgulhamos de ter contribuído para sete décadas de desenvolvimento. Essa evolução fez com que o Brasil se tornasse uma das grandes referências em engenharia e arquitetura. Não apenas testemunhamos, como temos um compromisso com a construção histórica e cultural desse país”, afirma Giovanni Borgonovo.

Portfólio ampliado em infraestrutura viária-Dando sequência à atualização da linha de produtos, a New Holland Construction estuda a ampliação do seu portfólio para a infraestrutura viária com o rolo compactador V110.

Com cabine aberta ou fechada – ambas com a certificação ROPS/FOPS de segurança –, e motor FPT S8000 3,9 litros turboalimentado, com transmissão hidrostática, o V110 reforça o conceito de compactação dinâmica, combinando os efeitos da compactação estática e força dinâmica, com duas frequências (31 Hz e 34 Hz) e duas amplitudes de vibração (0,8 mm e 1,8 mm).

Seu tambor dianteiro de 32 mm é o de maior espessura do mercado, proporcionando maior confiabilidade e maior carga no eixo dianteiro, aumentando a capacidade de compactação.

Caso o mercado demande, opcionalmente o V110 poderá ser vendido também com tambor de 25 mm.

A alta força centrífuga da máquina implica em melhor profundidade de compactação, entregando a máxima execução de pequenas a grandes intervenções viárias, com economia, eficiência e disponibilidade operacional.

“Com o V110, que roda em testes com clientes brasileiros nesse momento, pretendemos oferecer ao mercado uma máquina com excelente relação peso e potência, privilegiando a eficiência de compactação do solo associada à alta produtividade e o baixo consumo de combustível”, afirma o gerente de Produto da linha Road Building da New Holland Construction, Edmar de Paula.

Entre as possibilidades, o rolo compactador poderá ser disponibilizado no mercado brasileiro em versões para aplicações normais de compactação de solo; para compactação em solos inclinados; e para compactação de solos argilosos e aterros sanitários.

Fábrica de Contagem é Aterro Zero-As soluções sustentáveis da New Holland Construction em gestão de resíduos levaram a planta de Contagem (MG) a alcançar a ousada meta de Aterro Zerro, tratando 100% dos resíduos.

O projeto, à frente da legislação ambiental, passou pelo estudo de viabilidade de alternativas para a destinação ambientalmente correta, seja por meio de reciclagem ou compostagem, e foi implantado em fases.

A iniciativa foi fundamentada com base na filosofia World Class Manufacturing (WCM) da CNH Industrial, que busca zero perdas, e na metodologia da Pirâmide de 5R – recusa do resíduo (logística reversa), redução, reaproveitamento, reciclagem e recuperação.

Dentre os resíduos sólidos provenientes da atividade industrial estão madeira, plástico, papelão, material orgânico, óleo, entre outros.

“A madeira é enviada para a produção de biomassa, o solvente usado na pintura é reciclado e reutilizado internamente, o resíduo orgânico é compostado, o efluente tecnológico passa por uma Estação de Tratamento de Efluentes para reutilização em descargas, limpeza do piso de fábrica ou teste em máquinas. Buscamos soluções ambientalmente corretas para cada resíduo”, afirma a analista ambiental da New Holland Construction, Milena Vieira.

Para alcançar o resultado, é feita internamente a separação, o acondicionamento e o transporte dos materiais. Uma equipe especializada cuida do gerenciamento de resíduos, com foco na maximização da reciclagem e a eliminação do aterro.

CD é sustentável e referência do setor-O Centro de Distribuição de peças da New Holland Construction em Sorocaba (SP) também atingiu a meta de Aterro Zero.

Materiais como madeira, plástico, papelão, material orgânico, óleo, entre outros, são reciclados e, os não recicláveis são agora enviados para coprocessamento, extinguindo assim o envio para aterro.

O prédio, inaugurado em 2010, possui 66 mil m² e foi construído dentro dos modernos conceitos de Green Building, que identificam a construção e o empreendimento como ambientalmente responsáveis.

Todo o material utilizado na construção teve a origem certificada para garantir que a obra não utilizasse elementos predatórios à natureza.

Por isso, o CD recebeu da United States Green Building Council (USGBC) – uma das mais conceituadas entidades certificadoras do mundo – a certificação Green Building.

O CD da New Holland Construction foi o primeiro do setor na América do Sul a receber a certificação LEED Gold, o mais importante selo internacional de meio ambiente para edificações sustentáveis.

Além das iniciativas voltadas para a estrutura, como prédio verde, economia de energia elétrica e água, reciclagem, eficiência logística, tratamento de resíduos, entre outros, a unidade promove ações de conscientização aos colaboradores, visando agregar a responsabilidade ambiental não só na rotina de trabalho, mas também para a comunidade onde está inserida.

Rede de Concessionários em constante evolução-Com pontos de distribuição estrategicamente posicionados no Brasil e América do Sul, a New Holland Construction tem uma das mais amplas coberturas de mercado da indústria de equipamentos de construção.

Em constante crescimento e evolução, a Rede de Concessionários conta com treinamentos técnicos e comerciais presenciais e treinamentos on-line para garantir atualizações constantes de produtos e serviços.

“Estar próximo do cliente e entender a sua necessidade fazem parte da New Holland Construction. Para nós é fundamental estender a nossa Rede de Concessionários, entendendo cada vez mais as demandas do mercado, aprimorando nossa excelência nos serviços e a qualidade do atendimento”, afirma o gerente de Desenvolvimento de Rede da New Holland Construction, Túlio Soares.

Nova plataforma online de venda de peças-O cliente New Holland Construction também tem à disposição um inédito canal eletrônico de venda de peças.

Componentes como filtros, correias, eixos e rolamentos podem ser adquiridos em qualquer lugar, dia ou hora por meio da plataforma de e-commerce, com entrega realizada através da rede de concessionários.

“Agora, nosso portfólio de peças genuínas está disponível a um simples toque na tela do celular, tablet ou computador, o que facilita e ajuda a programar a manutenção da sua máquina sem sair de casa ou do trabalho. Estar próximo do cliente sempre foi muito importante para nós”, afirma o especialista de pós-venda da New Holland Construction, Marcelo Barbosa.

Marca é destaque Pós-Venda da Sobratema-Pelo segundo ano consecutivo, a New Holland Construction foi uma das empresas melhor avaliadas pelo Núcleo Jovem da Associação Brasileira de Tecnologia para Construção e Mineração (Sobratema) no Prêmio Destaque Pós-Venda 2019. Em sua quinta edição, o prêmio elegeu a marca na categoria Equipamentos de Terraplenagem.

Profissionais, especialistas e clientes de equipamentos de todo o Brasil, avaliaram quesitos como facilidade do contato inicial, qualidade no atendimento em campo, entrega técnica e treinamento de operação, disponibilidade de peças de reposição e se o profissional recomenda a marca avaliada para um amigo. De 40 empresas avaliadas na categoria, a New Holland Construction foi reconhecida como destaque entre as três melhores.

LINHA CRONOLÓGICA

New Holland Construction – 70 anos de Brasil

1950 – Fundação da Moto Agrícola Indústria e Comércio, representante para a distribuição dos tratores Fiat no Brasil. A maioria dos equipamentos era trazida da Itália e montada em um armazém no bairro do Brás, em São Paulo.

Primeiro grande parceiro comercial, o Departamento de Engenharia e Mecânica da Agricultura (Dema) de São Paulo, promove concorrências públicas para a compra de dois lotes de tratores – de 200 e 300 unidades, respectivamente.

1957 – Inaugurada nova sede da Moto Agrícola, com 65 mil metros quadrados, na Rodovia Anchieta, em São Paulo. Novos concessionários são abertos para difundir a marca em todo o país.

1967 – A Moto Agrícola funde-se com a Diesel Motor Indústria e Comércio, dando origem à Tratores Fiat do Brasil.

1969 – O Grupo Fiat adquire a fábrica de Contagem, na Região Metropolitana de Belo Horizonte, a primeira do grupo no país.

1970 – Com 96 mil metros quadrados de terreno e 400 funcionários, a fábrica de Contagem inicia a produção de tratores de esteira. No mesmo período, a Secretaria de Agricultura do Governo de Minas Gerais adquire 500 tratores 70CI, modelo que abriu caminho para o nacionalizado AD7.

1973 – A alta demanda no Brasil leva a Tratores Fiat à liderança do segmento de tratores de esteira, comercializando, somente nesse ano, 1.380 unidades dos modelos AD7 e AD14.

Lançamento da primeira escavadeira hidráulica do Brasil, a S90, modelo que fez com que a marca se tornasse referência em tecnologia no mercado.

1974 – A aquisição da norte-americana Allis Chalmers pela Fiat cria uma marca que fez história: a Fiatallis Tratores e Máquinas Rodoviárias S/A. O italiano Gino Cucchiari assume a equipe responsável pela unificação e desenvolvimento da rede de distribuição no Brasil.

1975 – Novos investimentos na Fiatallis ampliam a fábrica de 11 mil metros quadrados de área coberta para 33 mil metros quadrados.

O desenvolvimento de rede é conduzido pelo trio formado por Valentino Rizzioli, que mais tarde se tornaria presidente da CNH Industrial na América do Sul, Cledorvino Belini, mais tarde presidente do Grupo Fiat no Brasil, e pelo próprio Gino.

Com novos produtos e parceiros, a Fiatallis tem presença marcante no boom da construção pesada no Brasil, que viu grandes obras como Itaipu, a ponte Rio-Niterói, as rodovias dos Imigrantes e dos Bandeirantes, em São Paulo, a Transamazônica, e muitos outros grandes empreendimentos.

No fim da década de 1970, com a aquisição da Yale, fabricante norte-americana de pás carregadeiras, a Fiatallis passa a contar com as modernas pás carregadeiras Yale 134BR, 1500 articulada e 1900 articulada.

1981 – Uma festa em Recife marca o lançamento da primeira série de motoniveladoras articuladas da Fiatallis, composta pelos modelos FG70, FG80 e FG95. Os equipamentos já traziam sistema de transmissão Powershift com conversor de torque, lâminas com 360 graus, controle hidráulico e perfil Roll-Away.

Na década de 1980, cerca de 10% do mercado mundial de motoniveladoras é abastecido pela fábrica de Contagem.

1987 – Anunciada uma joint-venture entre a Fiatallis e a Hitachi, fabricante japonesa de escavadeiras hidráulicas. A chegada da FH200 inaugura uma nova categoria de escavadeiras no Brasil: foi o primeiro modelo de 20 toneladas produzido no país, com sistema hidráulico de última geração.

Linha de tratores de esteira ganha o reforço do 7D e do FD9, esse último vendido em vários mercados, como Europa e Estados Unidos.

Ainda na década de 1980, a Fiatallis assume o controle acionário da Benati Macchine, fabricante italiana de máquinas para movimentação de terra.

1990 – Chegada da primeira linha de retroescavadeiras Fiatallis, a FB, consolidando a linha completa de produtos da marca.

1992 – O Grupo Fiat adquire a Ford New Holland e uma nova holding passa a controlar mundialmente as fábricas de máquinas agrícolas e rodoviárias.

1993 – Lançamento das pás carregadeiras FR18 e F20.

1996 – Um evento no Rio de Janeiro marca a chegada da linha Compact Line da Fiatallis, composta por retroescavadeiras e minicarregadeiras.

1998 – As motoniveladoras, já bastante avançadas, agregam mais inovações e a série FG é lançada mundialmente, com os modelos FG40B, FG170B e FG200B produzidos no Brasil. Neste ano também foi inaugurado o Centro de Treinamento, primeiro idealizado por uma empresa do setor na América do Sul.

1999 – Aquisição da alemã O&K, fabricante europeia de escavadeiras hidráulicas.

2001 – Fábrica de Contagem adota o conceito de manufatura enxuta, modificando a forma de produzir e otimizando espaços internos. Lançamento da escavadeira hidráulica FX215LC.

2002 – Lançamento da terceira geração das retroescavadeiras FB.

2003 – Novas séries dos tratores de esteira FD e das pás carregadeiras FW chegam ao mercado.

2005 – A marca New Holland é unificada globalmente. Uma festa no Palácio da Música, em Roma, na Itália, celebra o momento.

Entre 2005 e 2006, novos produtos chegam ao mercado, entre eles as pás carregadeiras W130 e W130TC e as escavadeiras hidráulicas E215LC, E215ME, E245ME Granito e E215F.

2007 – A pá carregadeira W190B é pilotada por ninguém menos do que James Bond no filme “Casino Royale”, assistido por milhões de expectadores.

A New Holland Construction apresenta nove novos modelos, passando a atender ainda mais as múltiplas aplicações do mercado.

2008 – Outros lançamentos são apresentados, entre eles a escavadeira E485B, que conquista amplo espaço na construção pesada, e o trator de esteiras D150B, nacionalizado em 2010.

2009 – A New Holland Construction patrocina o Grande Prêmio de Fórmula 1, em São Paulo, levando para Interlagos seus manipuladores telescópicos, que auxiliam na remoção de carros na pista. Patrocínio que se repetiu por quatro anos.

2010 – Uma grande campanha celebra os 60 anos da marca no Brasil. Mais de 300 histórias são inscritas pelo site oficial.

2011 – Apostando cada vez mais em uma linha completa de máquinas, 14 novos modelos são lançados em um único ano. A New Holland Construction segue atuando como um dos principais atores do desenvolvimento do Brasil.

2015 – A fábrica de Contagem passa por modernizações na linha de montagem, na área de solda e usinagem, em projetos de engenharia e em outros processos de nacionalização, se preparando para a chegada da linha de escavadeiras hidráulicas Série C EVO.

2017 – Com aporte de R$ 36,5 milhões, seis novos modelos nacionalizados da linha Série C EVO, de 13 toneladas a 50 toneladas, ampliam o portfólio da marca.

A chegada da família amplia para 18 o número de equipamentos produzidos no país – desde as retroescavadeiras aos tratores de esteira, passando pelas pás carregadeiras e motoniveladoras.

2018 – A retroescavadeira conceito B95B Acessível e a tecnologia de Biometria para máquinas de construção reforçam o DNA inovador da marca da CNH Industrial.

Melhorias no sistema produtivo levam a planta da marca no país a alcançar o nível prata do World Class Manufacturing (WCM), além do ISO 14001 (sistema de gestão ambiental) e do ISO 50001 (sistema de gestão de energia).

2019 – A New Holland Construction alcança a importante meta de Zero Aterro, tratando 100% dos resíduos da fábrica.

Nova plataforma online de venda de peças oferece componentes de máquinas a qualquer lugar, dia ou horário, com entrega realizada pela Rede de Concessionários.

- Publicidade - Mercedes-Benz