Pequenos notáveis – Downsizing e a eficiência térmica dos novos motores

Nós, brasileiros, ranqueamos nossos motores por duas informações: cilindrada e potência. E isso nos leva a supor que um motor é bom ou ruim.

Já ouvi muitos motoristas torcerem o nariz para um SUV com motores menores que 1.8 e supor que não terá um bom desempenho apenas por se tratar de uma cilindrada menor. Mas existe outros fatores primordiais na hora de escolher o motor para o seu carro.

Motores, antes de mais nada, são máquinas térmicas, ou seja, transformam o calor da queima do combustível em movimento. E quanto melhor o aproveitamento desse calor, mais eficiente ele será.

E nos dias atuais, essa é uma palavra chave no desenvolvimento de cada projeto, eficiência. Fomos acostumados a relacionar tamanho da carroceria e luxo com altas cilindradas.

Mas o tempo mudou e agora temos que fazer essa combinação com desempenho. Todas as montadoras diminuíram os seus motores, movimento chamado de downsizing, para adequarem-se as novas normas de emissões de poluentes e nos dias de hoje vemos sedans de luxo com motores 1.4 ou até 1.0, quanto aos SUV’s que entraram na mesma onda? Será que teremos condução confortável e segura com motores pequenos?

Para responder à pergunta acima começaremos falando de um conceito esquecido na hora de escolher o motor, o torque.

O torque é a força que o motor produz capaz de tirar o veículo de uma situação de inércia.

Quando estamos parados no sinal, por exemplo, e vamos sair com o carro, já notou que é muito mais fácil só com você no carro do que quando está com toda a família e ainda com a feira na mala? Isso é porque o motor precisa de mais força para carregar o peso extra.

Além de sair com o carro, o torque também é responsável por fazer com que o carro suba melhor uma ladeira, seja devagar ou em uma situação de viagem em velocidades maiores.

Como a nossa única arma para que isso aconteça é o acelerador, acabamos pisando mais nele, prejudicando o consumo de combustível. Os engenheiros pensando nisso criam projetos com particularidades e utilização da eletrônica para fazer com que o torque apareça cada vez mais cedo, otimizando o consumo. Hoje se fala em torques na casa dos 20kgfm ou mais a apenas 1500rpm.

Outro fator que levamos em consideração é a velocidade máxima que o veículo desenvolve, essa tem a ver com a potência e nos novos motores 1.0 temos valores antes vistos apenas em motores maiores! Sim, por exemplo, o motor 4.1 6 cilindros do Opala, tem 132cv, enquanto que o motor 1.0 3 cilindros TSI da Volkswagen tem 128cv, isso mostra a evolução tecnológica voltada a eficiência.

Mas diferente do torque que é responsável pela força, a potência influência diretamente na velocidade final, mas na hora que chegar na ladeira o torque tem que se fazer presente para manter a velocidade.

Portanto, a potência é a Ferrari, que desenvolve velocidades fantásticas, mas na hora que precisamos tirar um carro do atoleiro, precisamos de um trator, que é o torque. Fica a dica, na próxima escolha não olhe só o tamanho do motor mas faça um test drive e sinta todo o torque que ele pode lhe entregar.

- Publicidade - Cursos Mecânica Online®