Cummins e DuPont ajudam a solucionar escassez de máscaras N95

A Cummins e a DuPont unem forças para contribuir com a saúde e reduzir a escassez de máscaras respiratórias N95, diante do cenário de pandemia causada pelo Covid-19.

A necessidade das máscaras se intensificou nas últimas semanas e os principais fabricantes do mundo estão em busca desses materiais para atender à alta demanda de confecção do equipamento de proteção individual.

A Cummins coloca à disposição o material NanoNet®, dos seus Filtros, para ajudar a atender a essa necessidade nos Estados Unidos e em outros lugares do mundo, incluindo o Brasil.

De acordo com Amy Davis, vice-presidente da Cummins Filtros, “com muitos dos principais fabricantes de máscaras do mundo precisando de materiais críticos para montar esses equipamentos de proteção individual e lutando para atender à demanda, a Cummins usará a tecnologia de filtro pré-existente em parceria com a DuPont para ajudar com o fornecimento”.

As tecnologias NanoNet® e NanoForce®, pertencentes à Cummins Filtration, em complemento com a membrana híbrida da DuPont, são encontradas em filtros de ar, combustível e lubrificante e também podem ser usadas nas máscaras N95 utilizadas pelos profissionais de saúde.

São capazes de filtrar as partículas transportadas pelo ar que podem espalhar o coronavírus.

A designação N95 significa que o respirador pode impedir que pelo menos 95% das partículas entrem pelo nariz e boca do usuário.

Quando o material NanoNet® da Cummins foi testado, usando um método de teste padrão do setor, excedeu aos requisitos de desempenho para a designação N95.

Desde então, as instalações da Cummins forneceram amostras do material para os fabricantes em todo o mundo verificarem sua eficácia.

Embora os produtos com a mídia da Cummins precisem ainda ser examinados e aprovados pelo Instituto Nacional de Segurança e Saúde Ocupacional (NIOSH), nos EUA, a empresa já está se preparando para fazer sua parte e ajudar a aliviar o fardo que o setor de saúde enfrenta.

No Brasil, a Cummins Filtros também está em fase de aprovação com os órgãos competentes para o uso do elemento filtrante nas máscaras N95 e/ou PFF2.

“Estamos trabalhando o mais rápido possível com as autoridades de saúde e outros parceiros para ajudar a certificar os produtos com nossos materiais e preparar nossas instalações para atender toda a demanda”, acrescentou Davis.

Os primeiros protótipos de máscara com a mídia doada pela Cummins foram montados pelas equipes da Universidade de Minnesota em março, como parte de uma iniciativa para fornecer máscaras à M Health Fairview e outros sistemas de saúde baseados em Minneapolis.

À medida que o surto de Covid-19 aumentava, a Universidade de Minnesota percebeu que o fornecimento de máscaras N95 para proteger os profissionais de saúde acabaria em questão de semanas.

Para enfrentar esse desafio, uma equipe de designers, engenheiros, químicos, cirurgiões, anestesistas e especialistas do Instituto de Engenharia em Medicina da Universidade de Minnesota; Escola de Medicina; Faculdade de Design; Faculdade de Ciências e Engenharia e o Center for Filtration Research Consortium (CFR) se reuniu para tratar da escassez projetada de equipamentos críticos de proteção individual.

Para Jakub Tolar, oficial de Saúde do Campus e Reitor da Faculdade de Medicina da Universidade de Minnesota, “a primeira coisa que reconhecemos por meio de nossos especialistas do Center for Filtration Research, que trabalham diretamente com a Cummins, é que nem todos os materiais de filtragem são iguais e que o material da Cummins é uma excelente alternativa”.

“Somos extremamente gratos pela doação generosa da Cummins de seus materiais de filtragem. Desde a chegada da mídia, conseguimos avançar rapidamente e agora acreditamos que temos várias opções viáveis ​​de máscara, incluindo opções descartável e reutilizável. Esses projetos mostram uma promessa real em manter nossos profissionais de saúde em segurança, caso os suprimentos médicos padrão das máscaras N95 não estejam mais disponíveis ”, reforça Tolar.

Embora a inovadora e exclusiva tecnologia de membrana híbrida da DuPont seja tipicamente integrada às fibras sintéticas da Cummins para proteger componentes sensíveis do motor, ela tem várias outras aplicações que podem incluir meios de filtragem usados ​​nas máscaras do respirador N95.

A tecnologia da DuPont ultrapassa os limites das membranas semiporosas e são fabricados usando um processo de fiação proprietário.

Os materiais são compostos por fibras contínuas de submícron e o resultado final é uma estrutura que equilibra a respirabilidade e a alta eficiência de filtração dos particulados.

“Estamos orgulhosos de disponibilizar nossa tecnologia avançada para ajudar a proteger mais profissionais de saúde na linha de frente dessa crise global de saúde. Agradecemos ao nosso parceiro Cummins pela transição do uso de sua linha de produção para ajudar a solucionar a escassez global de materiais de máscara N95 e agradecemos aos especialistas da Universidade de Minnesota por sua liderança em testar e projetar várias opções de máscara para o benefício de muitos sistemas de saúde. Ao trabalharmos juntos e inovarmos nas aplicações das tecnologias e materiais existentes, esperamos retardar a propagação desse terrível vírus”, disse HP Nanda, vice-presidente Global e Gerente Geral da DuPont Water Solutions.

Para mais informações, favor acessar: https://www.cumminsfiltration.com/brazil/pt/respiratormedia

- Publicidade - Cursos Mecânica Online®