Frenagem Automática de Emergência dá suporte ao motorista e ajuda a salvar vidas

A Bosch, líder mundial no desenvolvimento de tecnologias e serviços, sempre se preocupou em oferecer soluções que visam tornar as estradas e ruas mais seguras.

E, durante a Semana Nacional do Trânsito, que ocorre até 25 de setembro, a empresa reforça a importância de sistemas como Frenagem Automática de Emergência (AEB) tanto para reduzir colisões traseiras quanto para proteger os pedestres e ciclistas, que estão entre os públicos mais vulneráveis no trânsito urbano.

Segundo dados do Conselho Federal de Medicina, a cada uma hora cinco pessoas morrem em acidentes de trânsito no Brasil.

De 2009 a 2019, foram registrados mais de 1,6 milhões de vítimas graves no país e, segundo o Observatório Nacional de Segurança Viária (ONVS), 90% dos acidentes ocorrem por falha humana.

A falta de atenção ao dirigir, mesmo por um instante, pode gerar sérias consequências.

Visto isso, AEB é um sistema de assistência ao condutor que pode evitar as colisões traseiras e atropelamentos ou, ao menos, atenuar consideravelmente o impacto desses acidentes.

Os veículos podem sair de fábrica com configurações de Frenagem Automática de Emergência voltada para carros parados, em movimento e para atuar junto aos usuários vulneráveis como pedestres e ciclistas.

Usualmente, o sistema funciona com velocidades entre 10 km/h e 80 km/h, podendo variar conforme especificações da montadora e/ou modelo de veículo.

Em todos os casos, o radar ou a câmera de vídeo frontal detecta o risco de colisão e alerta o motorista e, caso ele não reaja à situação a tempo ou adequadamente, a frenagem automática é executada.

Mercado Brasileiro – O grau adicional de segurança que os sistemas de assistência ao condutor oferecem é uma das razões para a crescente popularidade dessa tecnologia em diversos países, inclusive no Brasil.

Um estudo realizado pela Bosch identificou que um quarto dos veículos novos disponíveis para venda em julho de 2020 no mercado nacional possuíam AEB como item de série.

Apesar de comumente presente em veículos premiums e em segmentos mais luxuosos como SUVs e sedans grandes, a tecnologia vem ganhando espaço também em veículos mais populares inclusive aparecendo nos segmentos de entrada, como é o caso dos hatch compactos e sedans médios.

Até agora, no ano de 2020, 4,8% dos veículos vendidos contém a tecnologia disponível como item de série, contra 2,1% no fechamento do ano anterior.

- Publicidade - Cursos Mecânica Online®