Chinaplas 2016 mostrará aplicações do plástico para o setor automotivo

Os fabricantes de automóveis hoje, impulsionados pelo número crescente de regras governamentais, estão focados em encontrar maneiras de reduzir o peso de seus veículos, com o objetivo de impulsionar a economia de combustível e reduzir as emissões de gases de efeito estufa.

[box type=”info” align=”aligncenter” ]30ª edição do evento ocorrerá em Xangai de 25 a 28 de abril e mostrará que o uso de resinas termoplásticas na fabricação de peças e componentes para automóveis reduz custos de produção sem afetar a segurança do produto final e ajuda a reduzir as emissões.[/box]

O Brasil, por exemplo, possui uma meta bastante ambiciosa no que se refere à redução dos gases do efeito estufa. Até 2025, o País espera diminuir em 37% a emissão desses gases em comparação ao ano de 2005. Já para 2030, a meta é de uma redução de 43%.

Sabendo-se que os automóveis têm grande participação na emissão desses gases nocivos, principalmente nas grandes capitais como São Paulo e Rio de Janeiro, estudar e conhecer alternativas para tornar os veículos menos poluentes é essencial.

Uma vez que uma redução de 10% no peso de um veículo pode traduzir-se em aumento de 6% a 8% na economia de combustível e, consequentemente na redução na emissão de gases prejudiciais ao meio-ambiente, a corrida da indústria automotiva para utilizar cada vez mais componentes plásticos é cada vez mais acirrada.

O uso de polímeros oferece flexibilidade de design, com peças duráveis e resistentes à corrosão, além de um peso mais leve.

Os polímeros também estão desempenhando um papel importante no avanço das tecnologias de baterias que estão ajudando a alimentar o número crescente de veículos elétricos e híbridos nas ruas de todo o mundo.

A meta brasileira de redução de gases, infelizmente, ocorre em um momento em que a economia do País mostra sinais de fraqueza e necessidade de recuperação. O Produto Interno Bruto (PIB) recuou 3,8% em 2015 em relação ao ano anterior, sendo que a indústria recuou 6,2% na mesma base de comparação.

Desta forma, buscar alternativas de novos mercados e novas tecnologias é fundamental para o setor automobilístico, que responde por mais de 20% do PIB industrial brasileiro.

Neste cenário de busca de alternativas para que se eleve o uso de polímeros na fabricação de veículos, a CHINAPLAS, maior feira da Ásia e segunda maior do mundo no segmento de plásticos e borracha, chega em 2016 à sua 30ª edição mostrando ao público as últimas tendências e inovações em plásticos e borracha para diversos setores, incluindo a indústria automotiva.

O evento será realizado de 25 a 28 de abril em Xangai e terá como tema “Greenovation for a Smart Future” – Inovação verde para um futuro inteligente, em tradução livre. O evento é uma referência na China no que se refere ao desenvolvimento e atualização sobre as novidades da indústria global de plástico.

A Adsale Exhibition Service, organizadora do evento, espera que mais de 140 mil profissionais de todo mundo visitem os cerca de 3.200 expositores da feira em uma área de mais de 240 mil metros quadrados.

Os plásticos e borracha, é claro, têm desempenhado um papel vital em interiores de automóveis há anos, mas agora a gama de aplicações está se expandindo e vão além da questão ambiental. Algumas novas tecnologias de polímeros intensiva também são projetados para tornar os veículos mais interativos.

A trigésima edição da CHINAPLAS mostrará aplicações do termoplástico com fibra longa (LFT) na indústria automotiva, já que a sua utilização é promissora por ser adequada para a fabricação de painéis e para-choques, por exemplo, além de poder se tornar um suporte seguro e de reforço para estruturas e peças do veículo se misturada com outros tipos de fibras.

A feira terá ainda uma zona especial, aComposite and High Performance Materials Zone, criada para atender a atual tendência de redução de peso na indústria automotiva.

Empresas como a Lanxess Chemical, Akzo Nobel, Evonik, Basf, Dow Chemical, Du Pont e Solvay são alguns exemplos de expositores que apresentarão produtos e soluções para a indústria automotiva.

Além disso, a Adsale irá promover durante a CHINAPLAS a Industry 4.0 Conference, que mostrará o conceito criado na Alemanha que fala sobre uma “quarta revolução industrial” e a necessidade de modernização das empresas de plásticos de todo o mundo.

A conferência será realizada em parceria com a Federação Alemã de Engenharia (VDMA) e tem como objetivo dar ao público uma melhor compreensão sobre a indústria 4.0 no contexto de plásticos e indústrias da borracha, mas também a sua implementação e desenvolvimentos futuros, oferecendo soluções práticas para a fabricação de produtos nos mais diferentes setores.

Além desta conferência, a conferência Design x Innovation, que tem a BASF como parceira exclusiva, mostrará aos participantes as novas perspectivas sobre como design e tecnologia de plásticos podem juntos conduzir a inovação, que por sua vez ajuda a fazer o cliente mais bem-sucedido e levar a uma vida mais sustentável no futuro.

O evento apresentará amostras das mais recentes modelos em projetos de prospectiva, estrutura e função inspirados por materiais de alto desempenho para diferentes indústrias.

Com o crescimento robusto da indústria de transformação em todo o mundo, juntamente com a integração contínua da China na economia global, a escala da CHINAPLAS vem se expandindo ao longo das últimas três décadas.

No ano passado, mais de 128 mil pessoas visitaram a feira, sendo que 27,3% do total correspondiam a visitantes vindos de fora da China de 137 diferentes países. Entre os 3.275 expositores haviam empresas de 39 países.

- Publicidade - Cursos Mecânica Online®