Pirelli Fórmula 1: o que há de novo nos pneus em 2019?

Este ano será a nona temporada da atual era da Pirelli da Fórmula 1.

Durante cada um desses anos a variedade de pneus sempre foi diferente de um ano para o outro.

Então, o que podemos esperar de novidades da mais recente linha de pneus – e que faz sua estreia nos carros de 2019 em Barcelona, esta semana?

TRÊS CORES, CINCO COMPOSTOS-Haverá apenas três cores em cada corrida de 2019: branco para o composto mais duro do fim de semana, amarelo para o médio e vermelho para o mais macio.

No total, haverá cinco compostos disponíveis para o ano: eles são numerados de 1 a 5, indo do mais duro ao mais macio.

Todos os cinco compostos estão na pista no teste de pré-temporada, em Barcelona.

Os compostos mais duros (C1) e os mais macios (C5) não carregam as listras usuais durante os testes.

Os compostos C2, C3 e C4, por sua vez, carregam a marca habitual com as listras: branco, amarelo e vermelho, respectivamente.

Isso só acontecerá durante os testes: nos fins de semana do Grande Prêmio haverá apenas três compostos em cada corrida.

PROTÓTIPOS PARA TESTAR-Também haverá alguns pneus que não carregam nenhuma marca: serão os pneus protótipos que serão vistos durante os testes, apenas para avaliar possíveis evoluções para o futuro.

Há um cronograma de testes feito sob medida que está sendo finalizado para 2020, o que envolverá todas as equipes em uma série de sessões este ano.

Detalhes desta programação serão divulgados em breve.

TEMPERATURAS E PRESSÕES DIFERENTES-Um novo movimento para este ano é reduzir a temperatura máxima dos cobertores de pneus na traseira para 80 graus centígrados, enquanto a temperatura da manta dianteira dos pneus permanecerá nos atuais 100 graus centígrados.

Isso ajudará o aquecimento do pneu dianteiro e também reduzirá o risco de granulação, especialmente em baixa temperatura ambiente.

Como resultado, as pressões iniciais dos pneus traseiros foram reduzidas em conformidade.

BANDA DE RODAGEM MAIS FINA-Em corridas que apresentavam um novo asfalto no ano passado, foram usadas bandas de rodagem mais finas.

Isso foi projetado para evitar o superaquecimento e o objetivo foi alcançado com sucesso.

Como resultado, uma redução da banda de rodagem foi adotada para todos os pneus de 2019.

As construções de pneus serão exatamente as mesmas em todas as corridas deste ano.

NOVOS PNEUS INTERMEDIÁRIOS E DE CHUVA-Há um novíssimo pneu intermediário para este ano, projetado para abranger uma gama mais ampla de condições do que seu antecessor.

Isso faz que o ponto de cruzamento seja muito mais eficaz com os pneus slicks e com os de chuva.

O pneu de chuva intensa também é totalmente novo, com um perfil redesenhado que oferece maior resistência à aquaplanagem e melhor dirigibilidade em chuva forte.

PNEUS DE CHUVA SEM BACKUP-No ano passado, duas linhas paralelas de pneus de chuva e intermediários foram homologadas: uma para temperaturas mais altas e outra para temperaturas mais baixas.

Este ano, os pneus tornaram-se mais versáteis e não é mais necessário ter duas gamas: existe apenas um pneu intermédio e um pneu de chuva para todo o ano.

FAIXAS DE TRABALHO MAIS AMPLAS-As faixas de trabalho são um pouco maiores para este ano, a fim de reduzir o potencial de superaquecimento.

Isso garante que, em geral, também haja uma janela operacional mais ampla.

C1 110-140°C

C2 110-135°C

C3 105-135°C

C4 90-120°C

C5 85-115°C

(C1 o composto mais duro, C5 o mais macio)

- Publicidade - Mercedes-Benz