terça-feira, 20 fevereiro , 2024
28 C
Recife

Hilux: novos motores, transmissão e chassi aumentam capacidade Off-road

- Advertisement -

Novamente, a Toyota, por meio da evolução da engenharia, quebra barreiras nesta nova geração de motores para a nova picape Hilux. Além disso, o conjunto motor-transmissão atinge o equilíbrio perfeito entre torque, potência e economia de combustível.

A equipe de engenharia desenvolveu um novo motor turbo diesel com intercooler, pertencente à recém-lançada série Global Diesel (GD). Juntamente com a melhora no consumo de combustível, o aumento do torque é a característica mais marcante do propulsor, o que se reflete na melhoria excepcional de aceleração, em baixa e média velocidades.

O desempenho foi aperfeiçoado com a melhoria da eficiência dos sistemas de injeção e de admissão. Por sua vez, o peso do motor foi reduzido, incrementando o consumo de combustível e diminuindo a fricção das partes mecânicas. Como já é tradição nos motores da Toyota, este utiliza corrente, em vez de correia dentada, o que reduz os custos de manutenção.

- Advertisement -

O Toyota 1GD 2.8L possui quatro cilindros em linha, com turbo compressor de geometria variável (TGV) e intercooler. Mesmo com 200 cilindradas a menos do que o Toyota 1KD da geração anterior, esta evolução melhora o nível de consumo e desempenho, já que tem 6cv a mais (177 cv a 3.400 rpm) de potência. Com relação ao torque, houve aumento de 22% na picape com transmissão manual (42.8 kgfm entre 1.400 e 2.600 rpm) e um aumento de 31% na versão com transmissão automática (45.9 kgfm entre 1.600 e 2.400 rpm).

Os dados de consumo que serão informados pelo INMETRO são: 9,03 km/l em trecho urbano e excelentes 10,52 km/l em uso rodoviário, para a picape automática. Para a nova Hilux com transmissão manual, os resultados são ainda melhores: 9,3 km/l e 11,5 km/l, respectivamente.

Transmissão – A nova transmissão automática de seis velocidades, que equipa as versões SR, SRV e SRX, foi desenvolvida para potencializar o desempenho do motor. A nova relação de marchas está ajustada para privilegiar arrancada mais vigorosa em primeira marcha, e elevar a economia de combustível em sexta.

- Advertisement -

Esta nova transmissão de seis velocidades traz a tecnologia Super ECT, que adequa o desempenho do veículo ao estilo de condução do motorista, quantidade de carga à inclinação do terreno.

As versões Standard, nas configurações com cabines simples e dupla, e chassi-cabine trazem uma nova transmissão manual de seis velocidades, apropriada ao propósito de uso, que é, prioritariamente, o trabalho.

A capacidade de reboque da Hilux foi melhorada e pode suportar até 3,5 toneladas, com trailer, dependendo da versão.

Relação de Marchas – Hilux Automática (6 velocidades)

Marcha

1a 3.6

2a 2.09

3a 1.488

4a 1

5a 0.687

6a 0.58

Ré 3.732

Diferencial 3.909 (dianteiro e traseiro)

ECO Mode e Power Mode – O motorista pode adaptar seu estilo de condução à nova Hilux, selecionando os modos ECO ou Power.

O ECO suaviza a aceleração, adequando o curso do pedal do acelerador a uma condução mais econômica e, ao mesmo tempo, dosa o funcionamento do sistema do ar-condicionado.

No modo Power, o motorista pode aproveitar uma direção mais vigorosa, pois o mecanismo realiza um ajuste fino da ECU do motor, de acordo com o ângulo do pedal do acelerador, proporcionando respostas mais rápidas. Este modo de condução é ideal quando o condutor enfrenta situações de ultrapassagem ou ainda quando o veículo transporta cargas pesadas por longos percursos ou aclives acentuados.

Novo Chassi – Uma picape realmente forte tem como base o seu chassi. Por esta razão, a engenharia da Toyota enrijeceu em 20% o chassi da nova Hilux, contribuindo para uma excelente estabilidade, segurança e também para o conforto.

O chassi da nova Hilux usa materiais de alta resistência e teve, em algumas partes específicas, incremento de 3 mm em sua espessura, reforçados pela solda. Os pivôs da suspensão também foram reforçados, o que, somado às melhorias promovidas na estrutura do veículo, elevaram a rigidez da nova Hilux, bem como sua durabilidade nas condições mais extremas.

Não é só o chassi que está mais rígido. Os pontos de solda aumentaram em 44%. Além disso, aço de alta resistência com propriedades anticorrosão de excelente qualidade foi usado no modelo, reforçando a rigidez, durabilidade e aprimorando a precisão da direção.

Outras partes da picape também foram redesenhadas para aumentar a durabilidade. O novo protetor de cárter, item de série em todas as versões, foi ampliado em relação à geração anterior. A sua espessura também foi elevada, oferecendo mais resistência aos impactos e diminuindo o risco de quebra ou dano.

Ampliação da capacidade Off-road – A evolução no sistema de suspensão não privilegiou somente o conforto ao dirigir e a estabilidade, mas também aprimorou a experiência off-road do veículo. Além de ter modificado as dimensões e a localização de algumas peças, como as barras longitudinais e os amortecedores, a Toyota elevou a articulação das rodas traseiras para 520 mm cada.

Nas versões SRV e SRX, a nova Hilux está equipada com o assistente de partida em rampas (HAC), dispositivo que melhora a experiência off-road e facilita as manobras em subidas, acionando os freios automaticamente em uma posição de parada.

A SRV e a SRX também trazem o controle de tração ativo (A-TRC). O equipamento previne saídas laterais, aplicando pressão automática nos freios de qualquer uma das quatro rodas que podem estar perdendo aderência, transmitindo, assim, mais torque à roda oposta, o que garante a correta operação na tração do veículo.

Outro dispositivo de série, presente em todas as versões, é o bloqueador do diferencial traseiro. Quando ativado, o sistema permite que as duas rodas traseiras girem na mesma velocidade, aproveitando-se de todo o torque disponível, facilitando as manobras para que a picape saia de alguma situação adversa.

A versão SRX conta agora com o assistente de controle de descida (DAC). Em uma descida muito íngreme, quando o freio motor não é suficiente, pode-se ativar este sistema em um botão no painel. Automaticamente, a pressão do freio é enviada às quatro rodas, mantendo o carro sob controle, e fazendo com que o motorista se preocupe somente em mantê-lo alinhado.

Matérias relacionadas

Mais recentes

Destaques Mecânica Online

Avaliação MecOn

Lançamentos