segunda-feira, 26 fevereiro , 2024
28 C
Recife

Modelo de sistema eletrônico de segurança viária é apresentado no congresso

O Congresso Brasileiro da Associação Nacional dos Detrans, que acontece nesta quarta (2) e quinta-feira (3), em Foz do Iguaçu, apresentou pela primeira vez o sistema de monitoramento eletrônico que está sendo desenvolvido para aumentar a segurança de motoristas e veículos no país.

Desenvolvido no Paraná o projeto serve de modelo ao Departamento Nacional de Trânsito (Denatran) para aplicação em todo o Brasil.

Segundo o presidente da AND e diretor-geral do Detran Paraná, Marcos Traad, a preocupação foi em desenvolver um projeto capaz de integrar dados e que, ao mesmo tempo, seja funcional para as instituições. “Atualmente, não há integração de sistemas e de informações sobre a situação do percurso, veículo e condutor. Quando ocorre uma demanda específica dentro dos estados brasileiros, o sistema acaba sendo modificado”, explicou.

O Sistema Paranaense de Controle e Monitoramento de veículos propõe a instalação de uma malha eletrônica de portais fixos e estações móveis para captação de informação da frota circulante e serviços de gestão de dados; um novo modelo de produção e distribuição de placas refletivas, incluindo um chip padrão em todos os espelhos das novas “placas inteligentes” que tem a capacidade de interagir com o dispositivo eletrônico do Sistema Nacional de Identificação Automática de Veículos (Siniav).

Por meio da implantação do sistema, os proprietários e usuários de veículos terão mais segurança, pois ele irá combater o uso de placas clonadas, inibir crimes e delitos, reduzir a inadimplência de recolhimento do IPVA e recuperar as receitas devidas ao Estado.

Para o coordenador-geral de Informatização e Estatística do Departamento Nacional de Trânsito (Denatran), Antoniony Lopes da Silva o projeto representa em nível de Brasil uma revolução no trânsito.

“Nós saímos da placa amarela e placa de duas letras e fomos para a placa cinza, o que já representa um grande avanço na questão da identificação veicular. É importante também que haja o compartilhamento de informações com outros estados, para que eles se inspirem nesse projeto”, reforça Silva.

Outras vantagens do sistema apresentadas pelo Detran Paraná são o controle de informações e de dados do veículo; a rastreabilidade para segurança e cobranças pelo Estado e segurança viária com a preservação da vida.

ESTADOS – A ideia do projeto é incluir os Detrans de todo Brasil no processo, a fim de que sejam executados políticas e projetos para o segmento integrado com o Denatran.

“Poderão fazer parte de uma rede para o trânsito, mobilidade e logística os órgãos executivos que detém as informações sobre os veículos e integram sistemas de acesso a banco de dados de veículos”, conta Traad.

Com isso, o projeto poderá contemplar gradativamente os interesses dos municípios para várias finalidades; gerando facilidades, monitoramento para os cidadãos, além de integrar todo o sistema de boletins de ocorrências de acidentes, notificações de furtos, entre outros”, completa.

Atualmente, o Paraná tem registrado 6.897.434 veículos, o que corresponde a 7,69% do Registro Nacional, de acordo com os dados do Denatran.

O evento conta com o apoio do Governo do Paraná e do Departamento de Trânsito do Estado e tem o patrocínio da Confederação Nacional das Empresas de Seguros Gerais, Previdência Privada e Vida, Saúde Suplementar e Capitalização (CNseg); Seguradora Líder, responsável pelo seguro Dpvat; ProSimulador; Triton; Quipux; Thomas Greg & Sons do Brasil; UTSCH Brasil; Valid; Itaú, Printech, Restart; Sanepar e Copel.

Matérias relacionadas

Mais recentes

Destaques Mecânica Online

Avaliação MecOn