sexta-feira, 21 junho , 2024
28 C
Recife

Novo motor Puretech 1.2 de três cilindros: o mais econômico do Brasil resgata a essência da Peugeot

O Novo 208 não está somente à frente de seu tempo em relação a sua arquitetura interna e oferta de equipamentos de série mais completa do segmento.

- Publicidade -

Na linha 2017, o modelo estreia o novíssimo Puretech 1.2 litro de três cilindros, que já chega sendo o mais econômico do Brasil e ainda substitui o atual 1.5 litro com inúmeras vantagens:

  • Arquitetura de 3 cilindros permite dimensões compactas e peso reduzido;
  • Redução de perdas mecânicas por atrito:
    · Uso de materiais de baixa fricção nos pistões (DLC) e de tecnologias adaptadas, como bomba de óleo controlada ou correia de distribuição banhada em óleo;
    · Dimensionamento otimizado de cada componente.
  • Tecnologia de combustão adaptada (otimização das propriedades aerodinâmicas da câmara, ajuste variável da admissão e escape, cabeça do cilindro com 4 válvulas por cilindro);
  • Injeção de combustível com aquecimento no bico injetor, dispensando a utilização do tanque auxiliar de partida a frio;
  • Sistema GSI, que indica ao condutor o melhor momento da mudança de marchas, visando a condição mais econômica de quanto ao consumo de combustível. Uma seta indicadora localizada no painel de instrumentos mostrará o melhor momento de o condutor mudar para a marcha superior ou inferior.

A escolha desse propulsor permitiu, além do cumprimento dos requisitos de redução de emissão de poluentes preconizados pelo programa Inovar Auto do Governo Federal, manter-se alinhado ao posicionamento de qualidade e sofisticação da Marca. Por se tratar de um motor que combina como poucos performance e consumo, proporciona conforto e prazer em dirigir.

Assim, o Puretech 1.2l apresenta o mais baixo consumo de combustível entre todos os propulsores de 3 cilindros do mercado brasileiro. Ele é até 37% mais econômico na cidade em relação ao 1.5l de 4 cilindros, 25% mais eficiente em média comparado aos concorrentes em uso urbano e em torno de 15% no rodoviário, quando abastecido com etanol.

O propulsor de 3 cilindros passou por mais de 400 mil quilômetros rodados para sua validação e adaptação ao veículo. Foram necessárias também 5.400 horas de validação em bancada de teste (dinamômetro de motor) e uma série de adaptações em relação ao motor europeu:

- Publicidade -
  • Sistema de ignição com aquecimento dos injetores, para eliminação do reservatório de combustível de partida a frio;
  • Pistões reforçados para utilização de etanol;
  • Anéis de 1,2 mm de espessura que favorecem a redução de atrito e, consequentemente, a redução do consumo de combustível;
  • Bloco com mancais reforçados e com sistema de arrefecimento de pistões (jato de óleo no fundo dos pistões);
  • Bronzinas reforçadas;
  • Cabeçotes com sedes de válvulas reforçadas para utilização de etanol;
  • Válvulas de admissão reforçadas;
  • Eletroválvula do canister adaptada para uso com etanol;
  • Chicote específico para o motor bicombustível, adaptado para o sistema de partida a frio.

O novo motor produz 90 cavalos de potência máxima a 5.750 rpm, utilizando etanol (127 N.m de torque a 2.750 rpm). Na gasolina são 84 cavalos de potência máxima e 120 N.m de torque, nas mesmas rotações. Sempre associado a um câmbio manual de cinco velocidades, o propulsor equipa as versões iniciais do veículo.

Já a configuração intermediária utiliza o motor EC5, que já equipava o 208. Trata-se do 1.6l 16V aspirado, dotado da tecnologia Flexstart, que dispensa o uso do reservatório adicional para partida a frio. Esse propulsor está atrelado à caixa manual de 5 marchas ou transmissão automática sequencial de 4 velocidades.

Ele gera 122 cavalos de potência máxima a 5.800 rpm, utilizando etanol (161 N.m de torque a 4.000 rpm). Na gasolina, seus números são 115 cavalos de potência máxima a 6.000 mil rpm e 152 N.m de torque a 4.000 rpm.

Esse motor teve uma grande evolução no sistema de lubrificação, com a utilização de um óleo mais eficiente, que permitiu melhorar a performance e reduzir o consumo de combustível.

Para auxiliar o condutor na redução do consumo de combustível, essa motorização dispõe do GSI, que indica no painel de instrumentos a marcha mais adequada para garantir um menor consumo de combustível.

- Publicidade -

Outra importante função do conjunto é o programa EcoDrive. Atrelado ao câmbio automático, quando ativada o condutor poderá perceber um funcionamento mais suave para reduzir o consumo de combustível. A economia de combustível pode chegar a até 7% em uso urbano. No painel de instrumentos, identifica-se a função pelo pictograma “ECO”.

Para a versão topo de gama, a PEUGEOT reservou a nova geração do motor turbo THP 1.6l Flex, que produz potência de 173 cavalos a 6.000 rpm (no etanol) e 166 cavalos quando abastecido com gasolina, reproduzindo o mesmo torque na mesma faixa de giro (240 Nm a 1400 rpm).

Esse propulsor faz uso da tecnologia de injeção direta e, devido à própria pressão do combustível, elimina a necessidade de qualquer sistema auxiliar para partida a frio. Ele teve sua taxa de compressão aumentada para alcançar maior potência com etanol, além de ter a bomba de combustível alterada para funcionar com este combustível. O motor está associado a uma caixa manual de 6 marchas.

Preços e versões

Active 1.2 – R$ 48.190
Itens de série: luzes diurnas e lanternas de LED, alarme, central multimídia com Bluetooth e espelhamento de conteúdo na tela, volante multifuncional e com regulagens de altura e profundidade, ar-condicionado, direção elétrica, vidros elétricos nas quatro portas e travas e retrovisores elétricos.

Active Pack 1.2 – R$ 51.690
Mesmos itens da Active, mais rodas de liga leve de 15 polegadas, volante revestido em couro, airbags laterais e ar-condicionado digital de duas zonas.

Allure 1.2 – R$ 54.990
Mesmos itens da Active Pack, mais grade dianteira cromada, acabamentos cromados, teto solar panorâmico, sensor de ré e piloto automático.

Allure 1.6 automático – R$ 59.090
Mesmos itens da Allure 1.2, mas com motor 1.6 de 122 cvcâmbio automático de quatro marchas.

Sport 1.6 manual – R$ 60.990
Mesmos itens da Allure 1.6, mas com câmbio manual, rodas de liga leve de 16 polegadas, luzes de leitura de LED, pedaleiras de alumínio e navegação por GPS.

Griffe 1.6 automático – R$ 64.590
Mesmos itens da Sport 1.6, mas com câmbio automático de 4 marchas, sem pedaleiras esportivas, mas com maçanetas internas cromadas, airbags de cortina, sensores de luz, chuva e estacionamento dianteiro, câmera de ré e banco traseiro bipartido.

GT (Griffe 1.6 THP) – R$ 78.990
Mesmos itens da Griffe, mas com motor 1.6 de 173 cv, mais rodas de liga leve de 17 polegadas, aerofólio esportivo, saída de escape dupla e controle de estabilidade.

Matérias relacionadas

Clínica de Serviços Chevrolet

Mais recentes

Ofertas Peugeot 208

Destaques Mecânica Online

Powertrain do Futuro: Moldando a jornada para a mobilidade verde

Avaliação MecOn

SACHS - Versátil, abrangente e convincente