segunda-feira, 26 fevereiro , 2024
28 C
Recife

Citroën C3 e AIRCROSS ganha câmbio automático de 6 marchas

Chegam às concessionárias da marca de todo o país os Citroën C3 e AIRCROSS equipados com o novo câmbio automático sequencial de 6 marchas.

Trata-se da mais moderna opção de caixa automática do Grupo PSA para motores a gasolina, com ganhos significativos em termos de conforto, robustez, prazer ao dirigir e eficiência energética.

“Com a introdução do câmbio de 6 marchas, o cliente Citroën terá uma nova experiência de condução, totalmente voltada para o conforto e coerente com nossa promessa de marca, Feel Good”, destaca Paulo Solti, Vice-presidente do Grupo PSA América Latina e Diretor Geral da Citroën do Brasil.

Desta forma, as trocas de marcha passam a ser mais suaves, proporcionando uma sensação mais agradável, tanto para o motorista quanto para os passageiros.

O rodar mais macio se soma a evoluções no conforto acústico, perceptível pela ausência de vibrações e ruídos dentro do habitáculo.

Além disso, há uma melhora no desempenho dos dois modelos, fruto das novas calibragens do GMP (Grupo Moto Propulsor), da presença de novas leis de passagem e da oferta de três modos de condução específicos (Drive, Sport e ECO), desenvolvidos para torná-los mais distintos para o motorista.

O novo câmbio sequencial de 6 marchas também é sinônimo de eficiência energética, já que apresenta ganhos de consumo nos ciclos urbano e rodoviário.

A gama C3/AIRCROSS passa a oferecer em sua linha 2018 a oferta de uma nova cor, a Dark Carmin (marrom metálico) e inclui como equipamento de série em todas as versões (exceto ST@RT) a moderna Central Multimídia com tela Touch-screen de 7″, com Rádio AM/FM, MP3, Bluetooth e Mirror Screen.

Mas as novidades não param por aí: a marca passa a disponibilizar, também, uma nova versão de entrada de gama para o compacto Premium C3: Attraction Automática 6 Marchas.

Com preço a partir deR$ 58.540, traz de série inúmeros conteúdos, como Direção elétrica, Ar-condicionado, Central multimídia, Computador de bordo, Faróis de neblina, Vidros e travas elétricas, Volante com regulagem de altura e profundidade, Pneus 195/60 R15 Fuel Saver, entre outros.

Já o Citroën AIRCROSS Live Automático Sequencial 6 Marchas, equipado com direção elétrica, ar-condicionado, DRL, rodas de alumínio 16”, Barras de teto e Central multimídia, tem preço a partir de R$ 67.990.

Inúmeras evoluções que tornarão o C3 e o AIRCROSS ainda mais competitivos em seus respectivos segmentos.

A nova caixa EAT6 – Produzida pela líder mundial em caixas de câmbio, a empresa japonesa AISIN AW, a nova caixa automática sequencial de 6 marchas (EAT6) é a mesma já utilizada nos modelos C4 Lounge e Novo C4 Picasso.

Dotada de um sistema de controle hidráulico de alta precisão, ela permite passagens de marcha suaves, sem solavancos ou perda de potência.  Suas principais características técnicas são:

  • Apresentar um conversor de torque com inércia reduzida;
  • Possuir uma estrutura eletrônica compacta: o calculador motor é montado na própria caixa, integrando diretamente a função de seleção de marchas;
  • Contar com um sistema de arrefecimento mais eficaz e robusto para assegurar um perfeito funcionamento nas severas condições de rodagem e temperaturas da América Latina;
  • Permitir trocas sequenciais: além do mecanismo automático, a caixa integra a possibilidade de um modo “manual”, graças a um comando de velocidades sequencial. O modo “manual” ou “sequencial” oferece ao motorista a livre escolha da passagem das velocidades. Para fazer o inverso, basta deslocar lateralmente a alavanca de câmbio para a esquerda. A passagem das velocidades efetua-se por meio de impulso sobre a alavanca: para a frente (+), a mudança de marchas é ascendente (engata-se uma marcha mais alta); para trás (-), a mudança de marchas é descendente (engatam-se marchas mais baixas). Esta mudança é feita de maneira simples e rápida. O comando sequencial oferece, portanto, as mesmas vantagens da caixa manual, sem as numerosas ações de desembreagem.

Desenvolvimento local – A fase de desenvolvimento contou com o trabalho de 250 profissionais e o uso de 132 veículos, que percorreram mais de 300.000 km em missões de rodagem realizadas na região Sudeste do país (Penedo, Ubatuba, Campos do Jordão…).

Tudo isso foi feito para assegurar máxima qualidade da caixa em todas as circunstâncias de rodagem.

Todo o desenvolvimento seguiu as diretrizes do Citroën Advanced Comfort (CAC), programa que permite que a Citroën assegure a presença do elemento “Conforto” durante toda a fase de desenvolvimento de seus modelos.

Desta forma, as equipes de engenharia buscaram a melhor síntese entre as definições de Produto, o Citroën Advanced Comfort e as expectativas dos clientes da marca.

“Buscando o conforto, introduzimos novas calibrações de motor e câmbio, além de uma nova cartografia de acelerador. Tudo para oferecer um comportamento mais linear em todo o conjunto”, explica Pablo Averame, Vice-presidente de Marketing Produto, Mobilidade e Serviços Conectados do Grupo PSA América Latina.

Com duas marchas a mais, sendo as duas primeiras mais curtas (para melhoria nas arrancadas), os dois modelos também passaram a apresentar um desempenho otimizado, principalmente no dia a dia dos grandes centros urbanos.

Veja como ficaram as novas relações de marcha da caixa EAT6:

4,044:1
2,371:1
1,556:1
1,159:1
0,852:1
0,672:1
3,193:1
Diferencial 4,316:1

O novo escalonamento fez com que as trocas ocorram em regimes de rotação (rpm) mais baixos, diminuindo o ruído do motor dentro do habitáculo.

A presença da função RDT (Redução de Tração), também assegurou a diminuição das vibrações do veículo parado quando o câmbio está em posição Drive.

Outro ponto de destaque é a possibilidade de personalização. Durante o desenvolvimento, também foram definidos três modos de condução específicos (Sport, Drive e ECO), de maneira a torná-los mais distintos para o motorista.

Assim, o modo Drive proporciona o melhor compromisso entre desempenho e consumo. Se o motorista desejar um comportamento dinâmico mais intenso e esportivo, basta alterar as leis de passagem para o modo Sport.

E, se a diminuição do consumo de combustível for prioridade, o modo ECO torna o veículo até 5% mais econômico em circuitos urbanos.

“Desta forma, conseguimos propor leis de passagem específicas para as necessidade dos clientes”, afirma Pablo Averame.

Além da possibilidade de personalização, a nova caixa automática de 6 marchas trouxe uma maior eficiência energética para todo o conjunto.

Em relação às versões equipadas com o câmbio anterior, a EAT6 proporcionou uma economia de combustível de até 7%.

Isso só foi possível graças ao uso de uma sexta marcha mais longa, neste caso priorizando a redução do consumo e das rotações em velocidade de cruzeiro.

Com isso, o AIRCROSS recebeu etiqueta A de consumo no PBEV (Programa Brasileiro de Etiquetagem Veicular), do INMETRO.

O motor 120 VTi Flex Start – Utilizado tanto nos C3 quanto nos AIRCROSS equipados com a nova caixa automática sequencial de 6 marchas, o motor 120 Vti Flex Start oferece excelente desempenho: 118 cv a 5.750 rpm e torque máximo de 158 Nm a 4.750 rpm (números com etanol).

Cerca de 80% do torque já está disponível a partir de 1.500 rpm.

O motor 120 Vti Flex Start possui, ainda, os seguintes diferenciais técnicos:

  • Flex Start: a tecnologia Flex Start elimina o reservatório de gasolina (‘’tanquinho’’) situado no compartimento do motor. Não há necessidade de colocar gasolina para realizar a partida a frio: o Flex Start é um sistema de gerenciamento eletrônico, que controla toda a operação de aquecimento do combustível. O carro passa a ter uma partida mais precisa e confiável, além de contar com mais conforto e eficiência nas acelerações. O Flex Start permite a partida do motor em baixas temperaturas, quando abastecido com combustível contendo entre 85% e 100% de etanol;
  • VVT: comando de válvulas variável. Faz os tempos de abertura das válvulas e o fluxo de ar/combustível variarem de acordo com a necessidade do motorista. Ela é identificada pelo cruzamento de informações de aceleração, comportamento do motor, elementos externos (pressão atmosférica, temperatura) e outros parâmetros. Com isso, as características do motor são modificadas, garantindo um bom desempenho em diferentes regimes de rotação e, ainda, a redução do consumo de combustível;
  • Bomba de óleo variável: ajusta, automaticamente, o fluxo de óleo enviado de acordo com a rotação do motor e a carga. Como resultado, o motor absorve menos energia, ficando mais econômico. Este equipamento permite uma economia de combustível de 1%;
  • Conjunto de pistões e anéis “lowfriction”: os componentes usam material de baixo atrito, o que reduz o gasto de energia do motor para movimentar suas próprias peças e torna mais eficiente seu funcionamento;
  • Conjunto de pistões e anéis “lowfriction”: os componentes usam material de baixo atrito, o que reduz o gasto de energia do motor para movimentar suas próprias peças e torna mais eficiente seu funcionamento;
  • Cilindros com acabamento “lowfriction”: o brunimento dos cilindros também adota material de baixa resistência à fricção, reduzindo o atrito entre as peças;
  • Bielas forjadas e fraturadas: com alta resistência, têm peso reduzido, contribuindo para melhor desempenho do motor e redução do consumo;
  • Coletor de admissão e tampa do motor em plástico: a adoção de plástico nestes componentes reduz o peso sem comprometer a resistência;
  • Tuchos hidráulicos: mais modernos, melhoram a eficiência do conjunto, além de não precisar de manutenção;
  • Sistema “drive by wire”: emprega fios e sensores para conectar o corpo da borboleta ao acelerador. Permite respostas mais rápidas e precisas ao comando do motorista sobre o pedal de aceleração, otimizando o comportamento do motor e o consumo.

 

Matérias relacionadas

Mais recentes

Destaques Mecânica Online

Avaliação MecOn