Congresso discute Brasil versus China e aponta desafios para eletrificação

O C-Move, Congresso da Mobilidade e Veículos Elétricos, apresentou cenários e perspectivas para o ecossistema da mobilidade elétrica no Brasil e no Mundo.

Bernardo Ferreira e Felipe Fava, associate partners da Mckinsey, trouxeram comparativos do mercado brasileiro com outras regiões de desenvolvimento elétrico no mundo, como a China.

Devido aos subsídios do governo, a China é o país com maior número de postos de recarga, viabilizando modelos 100% eletrificados.

Já o Brasil, por conta da sua infraestrutura em desenvolvimento, deve atingir, por exemplo, o patamar de 1% de caminhões elétricos somente em 2030.

Vinte anos depois, em 2050, a perspectiva é que este número suba para 11%.

O mercado de veículos comerciais pesados foi destaque também quando o assunto é custo dos caminhões.

Por conta do peso da bateria, distâncias percorridas e do valor do combustível, a paridade de preços com os modelos movidos a diesel é ainda um desafio.

Há também a barreira da infraestrutura de postos de recarga em um território tão grande.

- Publicidade - Mercedes-Benz