quinta-feira, 18 julho , 2024
28 C
Recife

Bridgestone apresenta dicas de segurança para os pneus no feriado

Com a proximidade do feriado de 12 de outubro, é importante prestar atenção aos itens de segurança dos veículos, em especial, para uma viagem tranquila e sem sustos, os pneus, que são o único ponto de contato entre o veículo e o solo.

Eles influenciam diretamente todo o comportamento dinâmico de um carro e suas boas condições favorecem a segurança do motorista e dos passageiros.

- Publicidade -

Para a Bridgestone, maior fabricante de pneus do mundo, reconhecer o momento ideal para a troca dos pneus é uma tarefa essencial.

“Existem muitas variáveis que podem determinar o momento certo para realizar a troca dos pneus”, comenta José Carlos Quadrelli, gerente geral de Engenharia de Vendas da Bridgestone.

“Pode variar de acordo com o tipo de pneu (radial ou diagonal), com o volume de carga transportada, a maneira como o motorista conduz o veículo (freadas, arranque, curvas, etc), o tipo de estrada onde o veículo trafega, o clima, a manutenção correta e alguns outros fatores”, completa.

- Publicidade -

Desta maneira, o motorista deve adotar o TWI (Indicador de Desgaste da Banda de Rodagem) como principal indicador a ser considerado.

O TWI se caracteriza por ressaltos de borracha que ficam nos sulcos dos pneus e possuem 1,6 mm de profundidade.

Quando chegam ao seu limite, sinalizam que o pneu deve ser trocado, pois passou a ser considerado ‘careca’, interferindo na segurança e se tornando passível de autuação pelas autoridades de trânsito.

- Publicidade -

“A regra TWI não é válida para pneus com bolhas, rasgos ou perfurações, que nestes casos devem ser substituídos imediatamente”, comenta Quadrelli.

Caso ocorra a necessidade da troca, como saber qual tipo de pneu é ideal para cada carro?

A primeira dica é checar o manual do veículo e verificar quais são as medidas e o índice de carga e símbolo de velocidade recomendados para o pneu do carro.

Se o motorista não possuir o manual, essas informações podem estar em uma plaqueta na lateral da porta do motorista, na tampa do tanque de combustível ou no porta-luvas.

Caso contrário, ele deve entrar em contato com a montadora para obter tais informações.

Caso o pneu seja original, é possível verificar estas informações em suas laterais.

Lá constam dois números separados por uma barra que indicam largura e altura.

A letra indica o tipo (radial ou diagonal) e o número seguinte trata-se do aro da roda.

Desta maneira, por exemplo, o pneu 175/70R13 82T tem 175 mm de largura de seção, altura igual a 70% da largura de seção, é radial e é montado em rodas de aro 13 polegadas.

Se não houver letra é porque ele é diagonal.  O número 82 é o índice de carga e indica que ele suporta uma carga de 475 kg.

Já a letra T é o símbolo de velocidade e indica que o pneu pode ser usado à velocidade de 190 km/h quando submetido à carga máxima.

Além destas orientações, é preciso que, em um mesmo eixo do veículo, os pneus sejam iguais (mesma marca, modelo e medida), pois podem ser fabricados de formas diferentes e com componentes que interfiram no comportamento do veículo.

“Pneus de dimensões diferentes não devem ser montados no mesmo carro, a não ser em casos nos quais o automóvel já vem de fábrica com medidas diferentes nos 2 eixos, como ocorre com alguns modelos superesportivos”, finaliza Quadrelli.

Matérias relacionadas

Ofertas Peugeot 208

Mais recentes

Clínica de Serviços Chevrolet

Destaques Mecânica Online

Com a Volvo rumo ao Zero Acidentes – Itapemirim

Avaliação MecOn

FIAT na mão