quarta-feira, 22 maio , 2024
28 C
Recife

Chega ao fim produção de gasolina com chumbo em todo o mundo

A produção de gasolina com chumbo, até que fim, acabou em todo o mundo, agora que a última refinaria esgotou seu suprimento do combustível que envenena o ar há quase um século.

- Publicidade -

O fim do combustível tóxico segue-se a intensos esforços diplomáticos das Nações Unidas nas últimas duas décadas.

A proibição global evitará cerca de um milhão de mortes prematuras anualmente por doenças cardíacas, derrames e câncer, bem como protegerá crianças, que são particularmente mais vulneráveis.

A gasolina com chumbo era usada principalmente na África e em outros países de baixa renda. Em 2002, mais de 100 países ainda queimavam o combustível.

O fim de seu uso globalmente – a última resistência foi a Refinaria de Argel, administrada pela Sonatrach, empresa estatal de petróleo da Argélia – terá implicações positivas para os humanos e todas as criaturas vivas. É também um grande passo para tornar o transporte mais ecológico.

- Publicidade -

O chumbo tetraetila foi adicionado à gasolina no início da década de 1920 para melhorar o desempenho dos motores dos automóveis; seu uso continuou por décadas, apesar das advertências das autoridades de saúde pública.

Embora o componente tenha sido proibido nos Estados Unidos e em muitos países europeus no final do século 20, seu uso continuou nos países em desenvolvimento por décadas depois.

O combustível venenoso causou mais exposição ao chumbo do que qualquer outro produto em todo o mundo, de acordo com a Organização Mundial da Saúde.

A gasolina com chumbo contamina o ar, a poeira, o solo, a água potável e as plantações de alimentos. Contribuiu para níveis perigosamente altos de chumbo no sangue humano, o que causa diminuição do QI em crianças, bem como menor desempenho acadêmico.

Matérias relacionadas

Fiat Fastback

Mais recentes

Ofertas Peugeot 208

Destaques Mecânica Online

Fiat Toro

Avaliação MecOn

WABCO - Principal fornecedor global de tecnologias para para veículos comerciais