Mercedes-Benz

Audi grandsphere concept: primeira classe em direção ao futuro

Na IAA 2021, a Audi apresenta o segundo de três novos carros-conceito batizados de “sphere”: o Audi grandsphere concept.

Como a primeira classe de um voo ou uma viagem em um jato particular, o sedan grandsphere de 5,35 m de comprimento combina luxo e conforto com uma oferta abrangente de experiência a bordo.

O nível 4 de direção autônoma permite novas dimensões de liberdade: nesse modo, o interior se torna uma esfera de experiência espaçosa, sem volante, pedais ou displays.

O banco da frente se torna um lounge de primeira classe com máximo espaço, vistas mais livres e acesso a todas as funções de um ecossistema digital holístico ao qual o Audi grandsphere está integrado.

O Audi grandsphere concept é mais uma amostra de como a marca está criando tendências na indústria automotiva em direção à transformação tecnológica e novas ofertas de mobilidade.

O que torna o modelo especial é o fato de que as tecnologias e características de design dele estarão em poucos anos em veículos produzidos em série pela Audi.

Além disso, assim como no Audi skysphere concept apresentado em agosto na Califórnia, toda a família “sphere” – incluindo o último deles, o Audi urbansphere, que será apresentado em 2022 – é conectada por um conceito geral, que é derivado da capacidade deles de dirigir de forma autônoma no nível 4.

A Audi está trabalhando com a CARIAD, empresa de desenvolvimento de software do Grupo Volkswagen, para introduzir essa tecnologia na segunda metade da década.

Com o nível 4, é possível transformar o espaço interior do tradicional cockpit orientado para o motorista e banco do passageiro em um confortável lounge, uma vez que o volante e os pedais são recolhidos e ficam invisíveis à vista.

Isso abre novos níveis de liberdade aos passageiros, porque o Audi grandsphere concept não apenas libera o condutor das tarefas de dirigir sempre que possível, mas ao mesmo tempo oferece a todos a bordo uma ampla gama de opções para usar essa liberdade para experiências individuais variáveis: comunicação e relaxamento, trabalho ou retirada para uma esfera privada, conforme desejado.

O Audi grandsphere concept deixa de ser estritamente um automóvel para se tornar um dispositivo de experiência.

Ele é a visão de como a marca das quatro argolas definirá o luxo progressivo do futuro: para a Audi, isso inclui a opção de novas experiências de alta classe, possibilitadas pela digitalização, bem como uma abordagem holística da sustentabilidade com o objetivo de neutralidade de carbono em um futuro próximo ao longo de toda a cadeia de valor.

Os carros-conceito da família “sphere” – Audi skysphere, Audi grandsphere e Audi urbansphere são os três carros-conceito que o fabricante alemão está usando para mostrar sua visão de luxo progressivo.

No processo, a Audi está criando um propósito no veículo que vai além do mero fato de passar tempo no carro para chegar do ponto A ao ponto B, e além até da própria experiência de direção.

Esses carros-conceito apresentam um novo design que reinventa e redefine o interior como o centro do veículo.

Isso se reflete no layout variável do espaço interno, no desaparecimento dos controles e na grande extensão da cabine, além de vinculá-los a novas ofertas de serviços.

O sistema de direção e o manuseio não estão mais no topo das especificações de design nessa nova geração de carros.

Ao invés disso, o ponto de partida é a vivência dos ocupantes e a esfera de experiência enquanto viajam. As necessidades e desejos moldam o espaço, a arquitetura e as funções.

Com essa reavaliação, o próprio processo de design muda. No início de todas as discussões, o foco está voltado para o interior e seu design.

Só depois é desenhada a parte externa, as linhas exteriores e as proporções que transformam o carro em uma obra de arte total, junto com as premissas tecnológicas.

Espaço, forma e função: o interior – O Audi grandsphere concept reconhece seus passageiros com os recebe com uma identificação do caminho – um recurso inovador – que abre as portas e ativa displays individuais e luz ambiente.

A posição do motorista e passageiros são automaticamente detectadas e uma série de recursos de conforto pessoal – como as configurações de controle de temperatura e posição dos bancos – são ajustados.

Ao mesmo tempo, o sistema de infotainment acessa os serviços usados recentemente pelos passageiros e os transfere facilmente para dentro do carro.

Por exemplo, um vídeo que um passageiro estava transmitindo em um tablet é reproduzido automaticamente na superfície da tela do Audi grandsphere.

Do lado do motorista, a superfície de projeção capta automaticamente a exibição das notícias que o ocupante estava lendo antes de entrar.

As linhas das superfícies decorativas e elementos funcionais são enfaticamente horizontais.

O interior amplo e aberto dá a impressão de um espaço único e a ausência de volante, pedais ou painel convencional cria uma sensação de abertura e amplitude.

As grandes superfícies de vidro, o parabrisa e o teto transparente também enfatizam essa sensação.

O mesmo vale para a geometria particular das janelas laterais: sua metade superior é nitidamente angulada – a parte mais larga fica um pouco acima do nível dos olhos.

É um truque que a Audi demonstrou pela primeira vez em 2017 com seu carro-conceito futurístico AI:CON e que agora caminha para a produção em série.

A mudança na zona de conforto é radical: se, por exemplo, uma executiva ou executivo está no assento de trás em um sedan convencional conduzido por um motorista, agora a primeira classe mudou para a fila da frente.

No nível 4 de condução, o volante e os pedais desaparecem e a área frontal da cabine torna-se um verdadeiro espaço livre em toda a sua amplitude, com uma visão perfeita através dos grandes vidros dianteiros e laterais, bem como possibilidades máximas de movimento.

Os assentos e encostos dos dois assentos, com cintos integrados, são visualmente separados. Os apoios laterais dos bancos são discretamente dobrados, garantindo assim um apoio durante a condução nas curvas.

As posições possíveis dos bancos são otimizadas para cada uso: na posição vertical, o Audi grandsphere concept pode ser perfeitamente controlado ergonomicamente – conforme desejado e fora das zonas de nível 4.

Com os encostos inclinados 40 graus, os passageiros podem relaxar e usar o sistema de infotainment.

Finalmente, se a inclinação for de 60 graus, ela atinge uma posição de repouso perfeita – o apoio de cabeça pode ser dobrado 15 graus para a frente.

Saídas de ar filtrado e com temperatura controlada – até perfumadas, conforme desejado – bem como alto-falantes, que são imperceptíveis para outros passageiros e permitem uma zona auditiva privada, estão todos integrados.

Entre os bancos dianteiros – normalmente oculto sob acabamento metálico – há um cooler interno compacto com capacidade para duas taças e uma garrafa elegantemente desenhada para soft drinks.

Este é mais um sinal da sensação de primeira classe do Audi grandsphere concept.

Sem acessórios, sem telas: monitores e operação – Uma surpresa ao olhar ao redor no interior de cor natural e design reduzido do Audi grandsphere concept: as telas pretas dos displays não são visíveis antes de se ativar as funções de direção.

Há displays, mas eles tomam a forma de projeções nas superfícies de madeira sob o parabrisa.

Dependendo do modo de condução – com volante ou nível 4 – as imagens são distribuídas por toda a largura do interior ou segmentadas para o condutor e o passageiro dianteiro.

Todas as informações necessárias durante a viagem estão lá em alta resolução e legíveis com precisão.

As superfícies de projeção também podem ser usadas no modo de direção autônoma como telas CinemaScope para conteúdo de infotainment ou até mesmo para videoconferências.

Além disso, uma barra sensorial é integrada sob as superfícies de projeção para uma rápida alternância entre o conteúdo – por exemplo, para música ou navegação. Ele mostra todas as funções e aplicativos que estão ativos no carro. Os ícones piscam para os diferentes menus.

Um elemento de controle particular e extremamente inovador está localizado próximo ao recorte da porta no revestimento interno: MMI touchless response.

Se o motorista estiver sentado na posição ativa atrás do volante, ele pode usar esse controle para selecionar várias funções por meio de um anel giratório e botões.

Se, por outro lado, o motorista reclinar o assento para trás durante a condução de nível 4, uma combinação de sistemas de leitura ocular e controle de gestos é usada.

Um sensor direcionado ao olho detecta a linha de visão quando a unidade de controle deve ser acionada. E o passageiro só precisa fazer movimentos de mão sem tocar em nada.

Seja por leitura ocular, gesto, controle de voz, entrada manuscrita ou toque, a mesma coisa se aplica a todos os modos de operação: o Audi grandsphere concept se ajusta ao usuário individual e aprende suas preferências e menus usados com frequência – e com base nisso ele pode não apenas completar comandos de maneira sensata, mas também dar propostas pessoais diretamente ao usuário.

Os painéis de controle são integrados aos apoios de braço nas portas. Dessa forma, o carro sempre oferece aos passageiros superfícies de toque invisíveis usando um indicador ótico para mostrar sua posição.

Ao mesmo tempo, existem óculos de realidade aumentada nos apoios de braços nas portas esquerda e direita que podem ser usados em conjunto com opções de infotainment.

Design exterior – Com 5,35 m de comprimento, 2 m de largura e 1,39 m de altura, as medidas do Audi grandsphere concept revelam este sedan como um exemplo inequívoco de automóvel de luxo.

A distância entre-eixos de 3,19 m indica o valor máximo, que até supera a versão longa do atual Audi A8.

Ainda mais impressionante é a o impacto ao vê-lo pela primeira vez: o Audi grandsphere concept não se parece em nada com um sedan tradicional, mas sim com um GT de quatro portas bem desenhado com uma linha moldada no túnel de vento. E faz isso sem qualquer decoração ou floreios supérfluos.

Com 23 polegadas, as rodas do Audi grandsphere concept citam um ícone da década de 1990 – o Audi Avus.

Ao mesmo tempo, os seis raios duplos sinalizam construção leve e estabilidade, lembrando as rodas de automobilismo funcionais e a tradição da Bauhaus em design de marca.

Na frente, há uma interpretação inovadora do Singleframe que define o visual da Audi: ele tem a forma de um hexágono plano.

Plataforma, bateria e carregamento – A plataforma tecnológica do Audi grandsphere concept é a PPE (Premium Platform Electric), concebida exclusivamente para sistemas de direção elétrica alimentado por bateria e, portanto, aproveita ao máximo essa tecnologia.

O elemento chave da PPE é um módulo de bateria entre os eixos, que armazena cerca de 120 kWh de energia no grandsphere concept.

Um layout plano de bateria é possível porque a Audi usa toda a base do veículo entre os eixos.

Junto com as rodas grandes, isso produz proporções básicas que são perfeitas não apenas do ponto de vista do design.

Os principais benefícios incluem um interior longo e, portanto, espaço para as pernas em ambas as filas de bancos. Além disso, a ausência de uma caixa de câmbio e eixo cardan aumenta o conforto espacial em carros elétricos.

No entanto, o Audi grandsphere concept não renuncia ao sistema de tração quattro, que é essencial para a marca.

Isso ocorre porque o carro-conceito tem motores elétricos separados montados nos eixos dianteiro e traseiro que oferecem eletronicamente tração nas quatro rodas sob demanda e executam um equilíbrio perfeito entre a dinâmica de direção e a eficiência energética.

Os dois motores elétricos do Audi grandsphere concept são capazes de fornecer uma potência total de 530 kW e um torque de 960 Newton metros.

O coração do sistema de direção é a tecnologia de carregamento de 800 volts. Como no Audi e-tron GT, esta tecnologia garante que a bateria possa ser carregada com até 270 kW em um tempo muito curto em estações de carregamento rápido.

Essa estratégia possibilita tempos de recarga que se aproximam de uma parada para reabastecimento de um carro com motor convencional.

Apenas dez minutos são suficientes para carregar o equivalente a 300 quilômetros. Em menos de 25 minutos, você pode carregar a bateria de 120 kWh de 5% a 80%.

Em termos de qualidades dinâmicas, o Audi grandsphere concept – como é típico para um carro elétrico – realmente supera seus rivais com motores de combustão.

Graças ao alto torque disponível, a aceleração de 0-100 km/h leva pouco mais de quatro segundos. A velocidade máxima é limitada para aumentar a autonomia.

Equipe Mecânica Online®https://www.mecanicaonline.com.br
Um dos principais portais quando o assunto é mecânica na internet brasileira, o Mecânica Online® é feito por você! Através de nosso público procuramos cada vez mais oferecer um conteúdo que leve sempre o nosso principal objetivo: mecânica do jeito que você entende.
- Publicidade - Casa Scania

Notícias relacionadas

Cursos Mecânica Online

Oportunidade para você entender como o automóvel funciona, seus recursos e tecnologias. Participe de nossos cursos gratuitos!

- Publicidade - Casa Scania

Mais recentes

- Publicidade - Mercedes-Benz
Cursos Mecânica Online®

Lançamento

Truck

Motocicleta

Avaliação