Mercedes-Benz

Cummins Inc. é líder em tecnologia de hidrogênio

Empresa já forneceu eletrolisadores para mais de 50 postos de abastecimento de hidrogênio em todo o mundo

A Cummins Inc. estabeleceu uma estratégia agressiva para o hidrogênio, abordando tanto a produção da fonte de energia de baixo carbono quanto a tecnologia de célula de combustível para convertê-lo em energia para os clientes.

A líder em tecnologia tem o conhecimento técnico, recursos de fabricação e suporte ao cliente para trazer com sucesso ao mundo uma variedade de produtos relacionados ao hidrogênio em escala para ampla adoção.

“As tecnologias de hidrogênio, particularmente os eletrolisadores, serão uma parte de crescimento rápido e cada vez mais importante de nossos negócios nos próximos anos. À medida que o impulso aumenta em todo o mundo para o uso de soluções de hidrogênio, continuaremos a alavancar nossas tecnologias líderes do setor, nossos profundos relacionamentos com clientes e em nossa extensa rede de serviços para permitir a adoção”, afirma o presidente e CEO da Cummins, Tom Linebarger, membro global do Conselho Hydrogen.

Para Amy Davis, vice-presidente e presidente da Unidade de Negócios New Power, “os clientes podem contar com a Cummins ao enfrentar os enormes desafios apresentados pela mudança para o futuro neutro em carbono previsto pelos acordos climáticos de Paris. Nosso objetivo é ter os produtos certos para atender às necessidades dos clientes em todos os pontos da transição, e é por isso que investimos antecipadamente em várias soluções”

Para a Cummins, a neutralidade de carbono não pode ser alcançada sem investimento privado e apoio governamental.

“Sinto-me encorajada ao ver o interesse do governo em apoiar tecnologias novas em carbono”, disse Davis.

A Alemanha, por exemplo, planeja gastar US$ 9 bilhões em infraestrutura de hidrogênio nesta década, com 5 Gigawatts de capacidade de eletrolisador até 2030.

A China e a Coréia do Sul estão desenvolvendo metas de produção de células de combustível e hidrogênio.

Nos EUA, a Califórnia também espera gastar cerca de US$ 230 milhões em projetos de hidrogênio até o final de 2023.

As células de combustível PEM (Proton Exchange Membrane ou Membrana de Troca de Prótons)” da Cummins podem ser encontradas em um caminhão classe 8 para a Comissão de Energia da Califórnia, que inclui não apenas a composição da célula de combustível, mas também o armazenamento de hidrogênio, o sistema de bateria e o trem de força elétrico.

Do cinza para o verde – Quase todas as cerca de 70 milhões de toneladas de hidrogênio produzidas hoje são consideradas “hidrogênio cinza”, feitas com quantidades significativas de energia gerada pelo uso de gás natural.

E a Cummins espera que a atenção inicial do mundo seja dada à substituição desse “hidrogênio cinza” por “hidrogênio verde”, produzido principalmente por meio da eletrólise da água usando energia renovável de fontes eólica, solar e hidrelétrica.

A Cummins já está produzindo uma série de eletrolisadores para gerar hidrogênio verde, incluindo um sistema eletrolisador de 20 megawatts quase completo em Bécancour, Canadá, que será o maior do mundo.

Os eletrolisadores da empresa empregam tecnologias de membrana de troca de prótons (PEM) e alcalina. A Cummins recebeu recentemente uma doação de US$ 2 milhões do Departamento de Energia dos EUA para demonstrar o custo, desempenho e confiabilidade de uma célula de combustível.

No total, a Cummins já forneceu eletrolisadores para mais de 50 postos de abastecimento de hidrogênio em todo o mundo.

Para Linebarger, “as projeções da empresa mostram que apenas o negócio de eletrolisadores da Cummins terá receitas anuais de aproximadamente US$ 400 milhões até 2025, com a demanda impulsionada pela transição do hidrogênio cinza para o verde”.

Com o tempo, a Cummins espera que o preço dos eletrolisadores diminua. O aumento da disponibilidade de hidrogênio verde de baixo custo é projetado para impulsionar a demanda por células de combustível movidas a hidrogênio para converter hidrogênio verde em energia de baixo carbono para tudo, desde trens a caminhões e ônibus rodoviários, equipamentos de construção fora de estrada e aplicações de energia estacionária.

As células de combustível da Cummins alimentaram o primeiro trem de passageiros de célula de combustível de hidrogênio do mundo chamado Coradia iLint, na Alemanha.

Até 2025, a empresa espera enviar sistemas de células de combustível para pelo menos 100 trens, principalmente na Europa.

O hidrogênio nas operações – A Cummins não espera para iniciar o uso das células de combustível. A empresa já possui mais de 2 mil instalações de células de combustível em uma variedade de aplicações dentro e fora de estrada.

As células de combustível da Cummins, por exemplo, estão alimentando os primeiros trens de passageiros de célula de combustível de hidrogênio do mundo por meio da Alstom, uma fabricante francesa de trens. A empresa forneceu células de combustível para a FAUN, líder em veículos de coleta de lixo e varredores na Europa, para seu programa de caminhões elétricos de lixo.

A Cummins também está trabalhando com a ASKO, o maior atacadista de alimentos da Noruega, para fornecer células de combustível integradas em quatro caminhões elétricos Scania como parte do plano da ASKO de trazer mais veículos de combustível alternativo para sua frota.

E as células de combustível da empresa estão sendo integradas em mais de 60 ônibus em Zhangjiakou, na China.

A Cummins anunciou que trabalhará com o cliente de longa data Navistar no desenvolvimento de um caminhão classe 8 movido a células de combustível de hidrogênio. O caminhão será integrado à frota de mais de 7.700 tratores da Werner Enterprises para serviço local e regional em uma base experimental de um ano fora de Fontana, Califórnia.

“A Cummins é única porque nosso portfólio tem produção de hidrogênio por eletrólise e células de combustível, o que nos permite oferecer uma solução completa, integrada e diferenciada do início ao fim”, reforça Davis.

De olho no futuro – A rapidez com que tudo isso acontece depende de vários fatores, incluindo a liderança do governo para ajudar a tornar os produtos de hidrogênio uma alternativa atraente à tecnologia de combustão interna menos cara. Mas a Cummins está se movendo hoje para aproveitar a oportunidade que a espera.

“Embora saibamos que a ampla adoção de soluções de células de combustível neutras em carbono levará tempo, a Cummins já está aproveitando a oportunidade agora. A solidez financeira de nossa empresa nos dá a capacidade de investir e desenvolver um amplo portfólio de tecnologias em diesel avançado, gás natural, híbrido leve e pesado, bateria elétrica e células de combustível que levarão o mundo em direção a um futuro neutro em carbono”, finaliza Linebarger.

Equipe Mecânica Online®https://www.mecanicaonline.com.br
Um dos principais portais quando o assunto é mecânica na internet brasileira, o Mecânica Online® é feito por você! Através de nosso público procuramos cada vez mais oferecer um conteúdo que leve sempre o nosso principal objetivo: mecânica do jeito que você entende.
Mercedes-Benz

Notícias relacionadas

Cursos Mecânica Online

Oportunidade para você entender como o automóvel funciona, seus recursos e tecnologias. Participe de nossos cursos gratuitos!

- Curso Veículos Elétricos - Cursos Mecânica Online®

Mais recentes

- Publicidade - Mercedes-Benz
Cursos Mecânica Online®

Lançamento

Truck

Motocicleta

Avaliação