quinta-feira, 18 julho , 2024
28 C
Recife

Mercado brasileiro já tem 114 modelos de veículos eletrificados

Oferta aumentou 63% em cinco meses e já aproxima o Brasil do mercado europeu

O Brasil emplacou este ano, de janeiro a outubro, nada menos do que 114 modelos diferentes de veículos eletrificados leves (híbridos e elétricos plug-in), produzidos por 39 empresas.

A ampliação da oferta já aproxima o mercado brasileiro do europeu, por exemplo, que oferece entre 150 e 200 modelos de veículos elétricos plug-in.

- Publicidade -

A variedade de opções ao comprador brasileiro (ver quadro), ainda que nem todos os modelos estejam disponíveis para comercialização imediata, pode ser medida pela evolução do mercado nos últimos cinco meses.

Em maio, segundo levantamento da ABVE Data, havia exatamente 70 modelos de veículos leves eletrificados no mercado.

Já em outubro, com 114 modelos, aquele total aumentou 63%.

- Publicidade -

O crescimento da oferta ocorre num momento de evolução acentuada das vendas de veículos eletrificados leves no Brasil nos últimos três anos.

Só em 2022, o aumento das vendas deve passar de 30% sobre 2021, devendo chegar em torno de 45 mil unidades emplacadas até dezembro.

DIVERSIFICAÇÃO – “Hoje, o mercado brasileiro de eletromobilidade está muito mais diversificado, em condições de atender a um número cada vez maior de compradores, e essa tendência vai se ampliar nos próximos meses” – disse o presidente da ABVE, Adalberto Maluf.

- Publicidade -

“Nós sempre dissemos que o mercado de eletrificados teria, no Brasil, um comportamento semelhante ao dos smartphones: primeiro, viriam os modelos de alto padrão; logo em seguida, haveria opções para todos os perfis de renda”.

“É o que está acontecendo. Apesar de todas as distorções tributárias, o mercado de veículos elétricos e híbridos cresce e se expande no Brasil” –afirmou.

Os países europeus têm entre 150 e 200 modelos de veículos elétricos oferecidos ao consumidor e a China, entre 300 e 350, segundo o EV Outlook 2021, da Agência Internacional de Energia (IEA), a principal fonte global de informações sobre eletromobilidade.

Segundo o presidente da ABVE, “o Brasil está caminhando para se aproximar do perfil do mercado europeu de veículos elétricos”.

ELETROMOBILIDADE – O presidente da ABVE lembrou que, pelo menos, três fatores concorrem para a valorização da eletromobilidade no Brasil e no mundo.

“No Brasil, há a questão do preço da gasolina, que subiu expressivamente no ano passado e início de 2022. As pessoas sabem que a recente queda nos preços nesse segundo semestre é artificial e insustentável, além de sujeita a variáveis imprevisíveis, como greves de caminhoneiros”.

Outro motivo – disse Adalberto Maluf – é que o carro elétrico, ao longo da vida útil, é muito mais econômico do que o similar a combustão.

“As pessoas fazem as contas e percebem que, mesmo com um preço da gasolina rebaixado artificialmente, o custo do km rodado num carro elétrico pode ser quatro a seis vezes menor do que o de um equivalente a combustível fóssil. E o custo de manutenção pode ser 60% a 80% inferior”.

“Por fim, há a consciência ambiental do consumidor. O comprador está cada vez mais preocupado com sua própria qualidade de vida e de sua família. Por isso, prefere dirigir um carro moderno, silencioso, com alto padrão tecnológico e não poluente” – concluiu.

MODELOS E RANKING DE ELETRIFICADOS EMPLACADOS NO BRASIL – JAN/OUT-22

Matérias relacionadas

Ofertas Peugeot 208

Mais recentes

Clínica de Serviços Chevrolet

Destaques Mecânica Online

Com a Volvo rumo ao Zero Acidentes – Itapemirim

Avaliação MecOn

FIAT na mão