terça-feira, 27 fevereiro , 2024
28 C
Recife

Com novos projetos, Complexo Industrial da Nissan em Resende passa a conservar mais de 26 milhões de litros de água por ano

Em linha com o Nissan Green Program (NGP), plano ambiental da marca para acelerar os esforços para as questões ambientais relacionadas às mudanças climáticas, dependência de recursos, qualidade do ar e escassez de água, a fabricante japonesa está constantemente buscando oportunidades para empregar novas práticas de respeito ao meio ambiente no Complexo Industrial de Resende, no Sul do estado do Rio de Janeiro.

No Dia Mundial do Meio Ambiente, a Nissan destacou dois novos projetos adotados em sua unidade de produção no Brasil que permitem a conservação anual de mais de 26 milhões de litros de água – volume suficiente para abastecer 655 casas durante um ano no estado de São Paulo, segundo dados da Sabesp.

Implementado no final de 2020, o projeto “Reuso do Rejeito da Osmose Reversa” consiste em reaproveitar a água do rejeito proveniente do processo de tratamento da osmose para utilização em outros processos na fábrica.

“A osmose reversa é um método de purificação da água que elimina salinidade, porém descarta uma porcentagem do volume inicial. Com a implantação do reuso, o rejeito anteriormente descartado passou a ser reaproveitado, reduzindo assim o consumo de água e o descarte de efluentes. A iniciativa possibilitou uma redução de 12% no consumo total da fábrica no ano”, explica Marcelo Felsemburgh, engenheiro de Meio Ambiente do Complexo Industrial da Nissan.

A iniciativa foi desenvolvida e implementada por um grupo multifuncional da Nissan em Resende e reconhecida globalmente pela sua importância e colaboração com a sustentabilidade, tanto no reaproveitamento de água industrial como também na redução de custos.

No segundo projeto, um volume de aproximadamente quatro milhões de litros de água por ano também passou a ser reutilizado na fábrica da Nissan através do novo sistema de condensação do ar condicionado instalado na área do Body Shop.

“No sistema, funcionam torres que utilizam água industrial para resfriar equipamentos. Com o intuito de reduzir o consumo de água industrial utilizado nessas torres, foi instalado um sistema de reuso de água condensada proveniente de um equipamento chamado ‘fan coil’. Os ‘fan coils’ refrigeram o ar de climatização gerando um condensado de água que retorna à torre de resfriamento para sua reutilização”, explica Felsemburgh.

Práticas sustentáveis na produção de veículos em Resende – Em linha com o plano global Nissan Ambition 2030, visão global da Nissan para contribuir com um mundo mais seguro, limpo e inclusivo, e com o Nissan Green Program, as práticas de respeito ao meio ambiente no Complexo Industrial de Resende vão desde os processos de produção à forma como a construção da fábrica foi concebida.

O aproveitamento da iluminação natural contribui com a eficiência energética da planta, o tratamento de resíduos é feito de forma adequada – são destinados para empresas especializadas e licenciadas, ou reaproveitados no próprio processo. O objetivo é reduzir constantemente as emissões de CO2 e a geração de compostos orgânicos voláteis (VOCs) provocados pela produção.

Alguns outros pontos de destaque:

  • Desde sua inauguração, a pintura dos automóveis na fábrica da Nissan em Resende segue o moderno e sustentável sistema 3 wet, no qual a aplicação da base e do verniz é feita logo em seguida da aplicação do primer, tornando o processo mais curto e reduzindo o consumo de energia. Os robôs utilizam cartuchos para a pintura, o que reduz a perda de tinta e solventes, diminuindo a emissão de compostos orgânicos voláteis (COVs). Para isso também é fundamental o uso de água como base na pintura.
  • A matriz energética da unidade é 100% eólica: todos os processos de produção da Nissan em Resende utilizam energia elétrica de origem eólica, adquirida no Mercado Livre de Energia e certificada pelo I-REC (Certificado Internacional de Energia Renovável).
  • Em 2017 foi implementado o Projeto Aterro Zero na fábrica da Nissan em Resende. Com o objetivo de reduzir o volume de resíduos, melhorar a coleta seletiva e principalmente eliminar o envio de resíduos gerados na fábrica para o aterro sanitário. Desde o lançamento do projeto, a unidade industrial não enviou mais resíduos para aterro sanitário.
  • Projeto em realização de substituição das lâmpadas fluorescentes por lâmpadas LED, que prevê a troca de 100% da iluminação atual para LED até 2023. Atualmente, 70% da iluminação externa da fábrica e 100% do escritório principal administrativo já usam LED.
  • Recuperação do calor RTO – o Regenerative Thermal Oxidizer (RTO) é um equipamento de controle ambiental usado para queimar os compostos orgânicos voláteis (VOCs) e poluentes atmosféricos. O ar de exaustão deste processo, que antes era lançado na atmosfera, é recuperado para alimentação dos fornos de Selagem e Eletrodeposição na Pintura. Além dos benefícios advindos da redução direta no consumo de Gás Natural utilizado para aquecimento dos fornos, os ganhos ambientais foram também muito positivos pela redução significativa nas emissões de CO2 advindas desta queima.
  • Desde 2017, a fábrica iniciou a troca de parte dos carros da frota interna, antes à combustão, por unidades do 100% elétrico Nissan LEAF com o objetivo de reduzir a emissão de gases de efeito estufa.
  • Os AGVs (Automatic Guided Vehicles) são pequenos robôs autoguiados movidos por baterias que conduzem carrinhos de peças e plataformas. Eles, além de otimizar tempo facilitando o processo e o transporte de componentes na linha de produção, eliminam a emissão de gases de efeito estufa, por substituírem veículos a combustão, como pequenos reboques, e reduzem o nível de ruídos. Atualmente, o Complexo Industrial de Resende conta com 168 unidades de AGVs e 95 robôs.

Matérias relacionadas

Mais recentes

Destaques Mecânica Online

Avaliação MecOn