quarta-feira, 29 maio , 2024
28 C
Recife

Melhorias dos GWM 2025 serão expandidas aos modelos 2024

Linha de SUVs híbridos ganha novas nomenclaturas e modo de condução adicional que prioriza a eficiência do consumo.

Por Lucia Camargo Nunes* – A tecnologia avança tão rapidamente que melhorias aplicadas aos carros em uma nova linha podem ser empregadas à anterior.

- Publicidade -

A GWM está lançando a linha 2025 do Haval H6 sem mudanças estéticas, mas com novidades em recursos e funcionalidades: o SUV passa a vir com um novo modo de condução chamado HEV, que busca maior economia de consumo ao combinar o motor turbo 1.5 de 243 cv com o elétrico. Esse novo modo se junta aos já existentes EV (que só usa o motor elétrico), Prioridade EV (combinação dos dois motores, priorizando desempenho) e Save (usa só o motor turbo para economizar energia e gerar carga à bateria).

Outra novidade é a regeneração de energia enquanto o ACC está ativado. O controle de cruzeiro adaptativo é um recurso semiautônomo que, quando programado, freia e acelera conforme o fluxo.

A GWM também ajustou o volume dos alertas para emitirem o som em menor intensidade.

De acordo com Andre Leite, diretor de Produto e Marketing da GWM Brasil, as alterações partiram de sugestões dos clientes.

- Publicidade -

Quem tem um GWM na garagem poderá receber esses ajustes por meio de uma atualização em nuvem. Este serviço estará disponível a partir de junho, seguindo um cronograma que será comunicado nos próximos meses.

As nomenclaturas dos modelos também foram atualizadas: o híbrido convencional agora é chamado de Haval H6 HEV2 e custa R$ 214 mil (teto solar incluído). A versão híbrida plug-in sai por R$ 279 mil e recebe o nome de PHEV34 (o número representa a capacidade da bateria, no caso 34 kWh). Só a GT mantém o nome e custa R$ 319 mil.

Atualmente a GWM conta com 72 concessionárias.

Jeep lança linhas 2025 de Compass e Commander – Dois SUVs da Jeep produzidos em Goiana (PE) receberam nova opção de motor como principal novidade para a linha 2025.

Compass e Commander passam a vir com versões equipadas com o Hurricane, motor de 2 litros a gasolina de injeção direta que rende 272 cv, o mesmo da picape Ram Rampage, produzida em Pernambuco.

- Publicidade -

Com o novo motor são duas versões que se juntam a outras cinco do Compass: Overland (R$ 266.990) e Blackhawk (R$ 279.990).

Para a linha 2025, o Compass deixa de ter a versão Trailhawk e assim mantém apenas uma opção com motor turbodiesel, a Limited (R$ 249.990).

Por fora, as mudanças são discretas: aletas na grade, ao invés do desenho em forma de colmeia e novo design nas rodas de 19” (exceto a Longitude, que continua com 18”). Por dentro, a Jeep afirma que o sistema de condução semiautônoma (Adas) está mais preciso.

O Commander, que também recebeu o motor Hurricane em duas versões, teve reduções de preços de até R$ 40 mil em relação à linha anterior. A versão Overland Hurricane do Commander custa R$ 308.290 e a Blackhawk, R$ 321.290.

Além das aletas da grade, novas rodas e sistema Adas atualizado acompanham a linha.

Toda a linha de veículos Jeep passa a ter 5 anos de garantia.

Honda voltará a produzir o WR-V – Com um novo aporte de R$ 4,2 bilhões em sua planta de Itirapina (SP), a Honda anunciou o retorno do WR-V e o desenvolvimento de um inédito motor híbrido flex.

O lançamento no novo WR-V vai ocorrer no segundo semestre de 2025. O SUV compacto, como o da foto, é produzido e vendido em mercados asiáticos e também é chamado de Elevate em alguns países. O nacional pode ter algumas mudanças no design.

Diferentemente da geração anterior, baseada no Fit, o novo WR-V é um SUV abaixo do HR-V, compartilha plataforma do City e será um forte concorrente ao Toyota Yaris Cross, que chega no fim deste ano.

E-Transit é opção para empresas que investem em mobilidade sustentável – As entregas nas cidades vão ficar mais sustentáveis. A Ford Pro lança no Brasil a E-Transit, versão 100% elétrica do furgão ou chassi voltada principalmente a frotistas. A importadora diz ter feito uma negociação de 300 unidades com um grande cliente de São Paulo.

Com a promessa de entregar um custo operacional 40% menor (80% menos peças de desgaste), chassi e furgão são equipados com bateria de 68 kWh que rende 269 cv e 43,8 kgfm de torque imediato e autonomia estimada de 250 km – o Inmetro não divulgou ainda os dados. A tração é traseira, outro diferencial.

A recarga pode levar de 34 minutos em corrente contínua (carregador rápido) ou 8 horas alternada.

Importada da Turquia, a E-Transit custa a partir de R$ 542 mil, possui 3 anos de garantia (e 8 anos para a bateria).

Para veículos customizados, a Ford Pro oferece o Convertor, programa que tem hoje 30 transformadores certificados, com o desenvolvimento de mais de 80 projetos de modificação.

Dirigi o furgão, que permite CNH categoria B, por um trecho urbano de trânsito intenso na capital paulista e o veículo, apesar de ser um comercial, roda silencioso e traz o conforto de carro premium. Possui ar-condicionado, direção elétrica, multimídia de 12”, piloto automático adaptativo e segurança reforçada, com alerta de tráfego cruzado, assistente de permanência em faixa, câmera 360 graus e monitoramento de ponto cego, entre outros itens.

De acordo com a Ford Pro, a E-Transit chega para atender ao segmento numa faixa intermediária: maior volume de carga (15,1 m³) e maior autonomia que as concorrentes do mesmo segmento (Peugeot e-Expert, Citroen e-Jumpy e Fiat e-Scudo). Acima, está o VW E-Delivery, de 30 m³ e de custo mais elevado.

E como toda linha Pro da Ford, conta com o Ford Pass, sistema de conectividade com serviços integrados que antecipam ocorrências e aumentam a produtividade. 

*Lucia Camargo Nunes é economista e jornalista especializada no setor automotivo, editora do portal www.viadigital.com.br e do canal @viadigitalmotors no YouTube. Acesse: linktr.ee/viadigitalmotors E-mail: lucia@viadigital.com.br

Matérias relacionadas

Fiat Fastback

Mais recentes

Ofertas Peugeot 208

Destaques Mecânica Online

Fiat Toro

Avaliação MecOn

WABCO - Principal fornecedor global de tecnologias para para veículos comerciais