quarta-feira, 24 abril , 2024
28 C
Recife

JAC Motors J2: compacto no tamanho mas completo de itens de série

A JAC Motors continua acreditando no Brasil. A marca que fortalece sua presença no mercado nacional e principalmente nos investimentos em sua fábrica que está sendo construída na Bahia, lança no mercado nacional uma de suas principais novidades para a linha 2013, o compacto J2.

- Publicidade -

Destaque no estande da marca no Salão do Automóvel, em São Paulo, a novidade chega nesse mês de dezembro na rede de concessionárias.

Seguindo o DNA habitual da JAC Motors, o J2 é completo. Tudo é de série: ar-condicionado, direção assistida eletricamente, vidros, trava central e retrovisores com acionamento elétrico, freios com ABS, air bag duplo e CD player com MP3.

- Publicidade -

E isso não é tudo: rodas de liga leve aro 14, faróis de neblina e sensor de estacionamento traseiro também compõem o pacote de itens de série do J2.

Dotado de todos esses equipamentos, o J2 segue fielmente um dos principais valores da JAC Motors: a relação custo-benefício imbatível.

“Além de todo o conteúdo de itens, que motiva o consumidor a adquiri-lo por aspectos racionais, o J2 ainda possui um design atraente, moderno, um estilo “pop”, sem contar um desempenho exuberante para sua categoria. Temos grande expectativa de expandir nossa marca através desse modelo”, explica Sergio Habib, presidente da JAC Motors.

- Publicidade -

Diferentemente de outros modelos da marca, o J2 exigiu mudanças não só mecânicas e estéticas. Mas também passou por um profundo face-lift para ganhar ares brasileiros.

Equipado com motor de 1 litro no mercado chinês, o J2 “brasileiro”, no decorrer dos testes de 1 milhão de km , ressentiu-se de maior área frontal para o sistema de arrefecimento.

A grade original do radiador não admitia ar suficiente para resfriar o novo motor 1.4, o que exigiu um completo redesenho de grade e pára-choque dianteiro. Mencionadas as novas necessidades, o novo design do J2 foi elaborado pelo Centro de Design da JAC Motors em Turim, na Itália.

Além de privilegiar linhas fluidas por intermédio da nova grade do radiador, conservando a identidade da marca na parte dianteira e acentuando a beleza das formas, a questão crítica de arrefecimento foi totalmente solucionada.

Os faróis foram mantidos do design original. Eles remetem ao formato de gota, realçando a personalidade orgânica do estilo do modelo, certamente um dos mais charmosos de todo o mercado brasileiro.

Já as laterais receberam rodas de alumínio aro 14, calçadas em pneus 175/60, enquanto a traseira foi modificada na logotipia de identificação, no sistema de fixação do escapamento e nos materiais de acabamento internos do conjunto ótico.

Por dentro, entretanto, as modificações foram ainda mais profundas. Originalmente desenvolvido no Japão, no centro tecnológico da empresa em Tóquio, o painel de instrumentos, os bancos e os revestimentos de portas foram totalmente readequados ao gosto do consumidor brasileiro, através de uma equipe de designers e engenheiros que trabalha no Brasil.

Itens como cluster, console central e painel frontal do passageiro, além de insertos de acabamento nas portas, eram revestidos de materiais plásticos em cores vivas, ao gosto do mercado chinês.

Para despertar o aguçado senso de exigência do cliente brasileiro, a equipe de designers da JAC Motors Brasil substituiu esses componentes por materiais escuros, com destaque para o console central e a régua de acabamento no painel frontal, que ganharam revestimentos de fibra de carbono.

No quadro de instrumentos, a iluminação indireta é azul e toda a grafia dos mostradores foi alterada, enquanto as aletas de ventilação e as maçanetas internas das portas ganharam tons cromados.

Compacto, mas prático – O J2 tem foco principalmente no uso urbano. Compacto por fora, ele mede 3,53 metros de comprimento (43 cm mais curto que o J3). Nem por isso, é apertado por dentro. Tem 1,64 metro de largura, isto é, apenas 1 cm menor que seu irmão maior.

Na prática, o compacto da JAC torna-se extremamente fácil de estacionar, pois é aquele carro que “cabe em qualquer vaga”, inclusive por contar com o apoio do sensor de estacionamento traseiro.

Mas essa praticidade não condena seus ocupantes, ao contrário. Tanto que, apesar do porte reduzido, ele acomoda cinco pessoas.

Por ter uma altura bastante majestosa (1,475 m), ele é até 1 cm mais alto que o J3. Ou seja: a acomodação interna é ideal, sem qualquer sacrifício a pessoas com maior estatura.

Pacote completo – O J2 chega para o consumidor brasileiro com um completo pacote de equipamentos. Como qualquer outro modelo da JAC Motors, ele é “completão”. Se não outras categorias essa característica já distingue J3, J3 Turin, J5 e J6, o que dizer entre os compactos?

Veja a lista completa de itens:
– Vidros elétricos dianteiros e traseiros
– Desembaçador traseiro
– Retrovisores elétricos
– Lâmpadas halógenas
– Faróis com regulagem elétrica de altura
– Faróis de neblina (dianteira)
– Lanternas de neblina (traseira)
– Brake light
– Luzes de leitura
– Alças de segurança dianteiras e traseiras
– Parassol com espelho de cortesia (somente passageiro)
– Acendedor de cigarros
– Retrovisor interno antiofuscante
– Luzes de segurança nas portas
– Porta revistas
– Apoios de cabeça dianteiros com ajuste de altura
– Airbag duplo
– Portas com barras de proteção lateral
– Cintos traseiros laterais de 3 pontos
– Cintos dianteiros com pre-tensionador
– Chave com destravamento remoto das portas
– Trava central das portas
– Alarme anti-furto
– Travamento automatico das portas a 15 km/h
– Freio ABS com EBD
– Sensor de estacionamento traseiro
– Porta copos
– Acendedor de cigarros / tomada (12V)
– Antena externa
– Iluminacao azul no painel de instrumentos
– Volante com regulagem de altura
– Direcao assistida eletricamente
– Ar-condicionado
– CD MP3 player com entrada USB
– Seis alto-falantes

Mecânica Online – O propulsor que equipa o J2 e o mesmo ja usado no J3 e no J3 Turin. Trata-se do moderno motor 1.4 litro, confeccionado em bloco de aluminio e desenvolvido em parceria com a austriaca AVL, com 16 valvulas e duplo comando, que desenvolve 108 cv de potencia a 6.000 rpm e torque de 138 Nm (14,1 kgfm) a 4.500 rpm.

Se no J3 esse motor ja rende um otimo desempenho, o que esperar em um automovel que possui apenas 915 km (145 kg a menos que o J3)? No minimo, da para supor que o rendimento e ainda mais apimentado. E e: o J2 tem aceleracao de 0 a 100 km/h em 9,8 segundos e velocidade maxima de 187 km/h.

A modernidade do motor pode ser comprovada, ainda, pelo uso da tecnologia VVT, que promove a variacao de tempo de permanencia de abertura e fechamento das valvulas de admissao. Esse recurso possibilita maior eficiencia no enchimento volumetrico dos cilindros, de acordo com o regime instantaneo de uso.

Na pratica, o condutor percebe a disponibilidade de torque desde os baixos regimes, bem como a potência acentuada nas altas rotações. Por otimizar a eficiência do processo de admissão, o VVT permite, além do natural incremento no desempenho, maior eficiência no consumo de combustível e nas emissões de poluentes.

A transmissão é composta por uma caixa manual de 5 velocidades, com acionamento por cabos. O sistema permite engates rápidos e precisos, acentuando a esportividade do modelo, mas também garantindo o conforto ao rodar.

Antes de ganhar as ruas brasileiras, o J2 passou por um duro processo de rodagem para ser devidamente adaptado para o mercado brasileiro, verificando motor, sistema de suspensão, freios, isolamento acústico e acabamento interno.

No total, a equipe de engenharia da JAC Motors Brasil rodou 1 milhão de km, tanto no Brasil quanto na China. Parte desses testes pode ser acompanhado em uma série de 9 vídeos, chamado “Desvendando o J2”, que está disponível na internet e narra as mais diferentes condições de uso e severidade de percursos que o modelo enfrentou ao longo de seu desenvolvimento.

Uma das principais modificações efetuadas no J2, e que exigiu atenção especial dos e engenheiros brasileiros, foi a adoção do motor mais potente. Não só outros componentes do carro foram readequados como a própria inclusão do motor 1.4 16V VVT exigiu um retrabalho de coxinização e recalibragem da suspensão dianteira.

Nesse aspecto, os engenheiros brasileiros privilegiaram a segurança e, seja com um ou cinco ocupantes, o J2 precisa ter o mesmo comportamento neutro nas manobras inesperadas (desvios de obstáculos, frenagens de pânico etc).

O conjunto mola-amortecedor sofreu modificações e ficou mais adequado às ruas brasileiras, com maior rigidez que o original. Outro item modificado foi o sistema de direção, que incluiu até a adoção de um novo fornecedor. Com assistência elétrica, ela possuía maior maciez do que convém ao gosto do consumidor brasileiro.

A engenharia também trabalhou insistentemente na redução do índice de NVH (noise, vibration and harshness, ou ruído, vibração e aspereza). As colunas A, B e C foram reforçadas com materiais fonoabsorventes.

O cluster foi calçado com borracha e a vedação dos vidros foi melhorada – item que só pode ser desenvolvido nas avaliações de 1 milhão de km, quando se observou alguma contaminação por poeira em estradas de terra.

O sistema de escapamento também foi retrabalhado, ganhando um ligeiro aspecto esportivo, que realça a personalidade do modelo.

Complexo industrial JAC MOTORS começa a ser construído – O dia 26 de novembro marcou a cerimônia de descerramento da “pedra fundamental” no terreno destinado à construção da planta da fábrica da JAC Motors no Brasil, que fica localizado no Pólo Industrial de Camaçari.

Dias antes, os trabalhos de terraplenagem foram iniciados. De acordo com o cronograma da marca, a fábrica deverá ficar pronta no final de 2014, quando estará produzindo o primeiro automóvel JAC Motors brasileiro.

O Complexo Industrial JAC Motors vai incluir um centro de desenvolvimento de novas tecnologias – como a adoção de um motor com sistema de alimentação flex com sistema de partida a frio por intermédio de pré-aquecimento de bicos injetores –, centro de estilo e design (previsão de 50 profissionais), laboratórios de acústica e controle de emissão de poluentes, pista de testes e centro de capacitação profissional, além das tradicionais etapas de produção, como armação de carrocerias, soldagem, pintura e montagem final.

A fábrica também terá estamparia de componentes. A produção de motores está prevista para os próximos anos.

A capacidade da planta será de 100 mil unidades anuais (dois turnos) e a previsão é de abertura de 3,5 mil postos diretos de trabalho e outros 10 mil indiretos.

“É um marco importante para a indústria automobilística brasileira, pois será a primeira montadora de automóveis de grande volume do Brasil, que produz modelos abaixo de R$ 50 mil, com controle totalmente nacional”, acrescentou Sergio Habib.

Uma cápsula do tempo para ser aberta apenas daqui a 20 anos – Para ilustrar o orgulho e a satisfação de dar prosseguimento ao plano inicial de construir seu Complexo Industrial de Camaçari, na Bahia, a JAC Motors desenvolveu uma ação inesperada.

Nem concurso ou promoção. Mas uma ação da qual todos os clientes da marca, visitantes do Salão do Automóvel ou internautas que se inscreveram no site www.jacmotorsbrasil.com.br puderam participar.

Mesmo autoridades, jornalistas e convidados, que participaram da cerimônia de Pedra Fundamental tiveram suas mensagens guardadas na Cápsula do Tempo.

Pelo ensejo de criar alguma ação que simbolizasse essa conquista, que vai muito além de uma estratégia de negócios, mas sim um compromisso firme, maduro e perene da marca com o Brasil, a ideia da Cápsula do Tempo pareceu ideal.

“É uma forma simbólica de agradecimento ao consumidor brasileiro, que rapidamente compreendeu nossa proposta, abraçou nossa marca e é, atualmente, o grande responsável por propagandear os nossos produtos”, explica Sergio Habib, presidente da JAC Motors Brasil. “Em razão disso, fizemos questão de não criar nenhum tipo de promoção: todos poderão participar”, acrescenta o executivo.

O J3 que será colocado sob a terra na fábrica de Camaçari é um dos símbolos da história da JAC Motors no Brasil. Dos primeiros veículos que chegaram ao País, em 2010, usados por 2 milhões de km para testes e adaptações às exigências do nosso mercado, essa unidade do J3 é a campeã de quilometragem. Possui 243.000 km rodados.

“Não duvido que dia 26 de novembro de 2032 ele precise apenas de uma carga na bateria e gasolina para sair rodando novamente”, desafia Habib.

Com assessoria de imprensa da JAC Motors Brasil.

Matérias relacionadas

Monte seu Fiat Pulse

Mais recentes

Menos combustível, mais Volvo!

Destaques Mecânica Online

Avaliação MecOn

TRW - Qualidade de topo para máxima segurança