terça-feira, 28 maio , 2024
28 C
Recife

Baterias são mais exigidas em temperaturas baixas. Entenda como isso acontece

Acordar cedo para se deslocar, depois de uma noite fria, e ser surpreendido com a não partida do carro é algo que já ocorreu com a maioria dos motoristas.

- Publicidade -

É natural que as primeiras partidas da manhã sejam mais prejudicadas no inverno ao invés do verão por uma série de questões.

O que acontece é basicamente uma reação em cadeia.

No inverno, o óleo do motor apresenta maior viscosidade e exige mais energia do motor de arranque/partida para funcionar o veículo e, caso o percurso que o condutor vá seguir não seja o suficiente para proporcionar a recuperação de carga da bateria, o desgaste pode ser maior e até fatal para bateria em casos de baterias que estão com a capacidade de retenção de energia comprometida pelo tempo de uso.

Além de se esforçar para fazer o primeiro giro do motor, a bateria precisa da contribuição da câmara de combustão.

- Publicidade -

Carros a álcool ou com tecnologia Flex mais antigos contam com o reservatório de partida fria que ajuda o etanol na combustão.

A grande questão é: há gasolina neste compartimento? Se existe, ela é de qualidade?

“Muitas vezes o motorista abastece o tanquinho no verão e só vai lembrar dele no inverno. Se a gasolina não for aditivada, é muito provável que ela acabe prejudicando a partida matinal. Combustível velho demora mais para queimar exigindo mais ainda da bateria, explica Emerson Salles, gerente de engenharia da DPaschoal. O ideal é fazer o descarte do combustível velho e substitui-lo preventivamente, logo no início do período com ocorrências de baixas temperaturas.

Atualmente, os carros flexíveis em combustível utilizam sistemas para aumentar a temperatura do combustível ou injeção direta no cilindro.

Mas de qualquer forma, a bateria continua sendo como aquele ‘empurrão’ para o movimento inicial nas manhãs geladas.

- Publicidade -

De acordo com as instruções do fabricante das baterias Moura, é muito importante checar outros componentes do veículo, principalmente o alternador.

Ele é o responsável por recarregar a bateria. Outra dica do especialista é não desligar e ligar o motor em congestionamentos e nunca dar partida no veículo com aparelhos eletrônicos ligados.

Uma maneira para o motorista não ser surpreendido é ele fazer uma revisão gratuita em uma das 130 lojas da DPaschoal.

Usando um aparelho que mede a voltagem da bateria, após executar a diagnose o consultor entrega, sem custo nenhum, um laudo impresso para que o cliente saiba exatamente qual o tempo de vida da bateria.

A ideia de começar a usar este tipo de diagnóstico para mais de 40 itens nasceu com o programa Economia Verde, que defende o consumo consciente como “Medir e Testar” antes de trocar.

Matérias relacionadas

Fiat Fastback

Mais recentes

Ofertas Peugeot 208

Destaques Mecânica Online

Fiat Toro

Avaliação MecOn

WABCO - Principal fornecedor global de tecnologias para para veículos comerciais