segunda-feira, 4 março , 2024
28 C
Recife

Honda Motos encerra o primeiro semestre com crescimento

Honda continuará acelerando e, para os próximos dois anos, vamos apresentar 10 lançamentos, entre produtos inéditos e novas versões de modelos atuais

A Honda Motos concluiu o primeiro semestre de 2023 com resultados positivos em vendas e produção. De janeiro a junho, foram 555 mil unidades emplacadas, o que indica um crescimento de 14% em relação ao mesmo período do último ano.

Esses números representam o melhor resultado da marca para o primeiro semestre desde 2014, quando 576 mil unidades foram emplacadas.

Em junho, foram mais de 101 mil emplacamentos, um total 7% superior em comparação com o mesmo mês de 2022. Na performance do semestre, o mês de maio registrou o recorde nos emplacamentos do período, com mais de 114 mil unidades e uma média diária de 5.224 motocicletas.

A performance positiva é uma consequência do fortalecimento das estratégias comerciais da Honda, além de uma demanda que segue aquecida. A motocicleta oferece uma solução de mobilidade conveniente e econômica para os brasileiros.

Entre os modelos com maior número de emplacamentos, destaque para a Linha CG 160, com mais de 211 mil e a linha Biz, com 99 mil unidades. Completam o ranking de motocicletas mais emplacadas: a NXR 160 Bros, com mais de 74 mil unidades e a Pop110i, com aproximadamente 70 mil.

No segmento de scooters, outro importante pilar da atuação, a PCX lidera a categoria com mais de 18 mil unidades. Os demais modelos da Honda, como Elite 125, Forza 350, ADV e X-ADV consolidam a marca como a líder absoluta entre as scooters.

Na divisão dos modelos de alta cilindrada, a empresa registrou um recorde de mais de 8.100 emplacamentos no período, o melhor resultado desde 2016, o que mantém a Honda à frente no segmento. Os números refletem uma estratégia focada na constante atualização do line up e o fortalecimento da presença da marca em um segmento altamente competitivo. Destaque para a Africa Twin DCT, com o diferencial de produção nacional do modelo, sendo a única operação fora do Japão a fabricar o câmbio DCT.

Produção – Em Manaus, na fábrica da empresa, os resultados também são positivos e o crescimento registrado é de 7%, com mais de 573 mil motocicletas produzidas no primeiro semestre. Os números superam o resultado de produção desde 2015, quando foram fabricadas cerca de 566 mil unidades.

A planta fabril de Manaus, que é a mais verticalizada da Honda em todo mundo, tem passado por um processo de modernização, resultado do investimento anunciado pela empresa, na ordem de R$ 500 milhões com o objetivo de tornar a unidade uma referência em eficiência produtiva. Todo projeto será concluído ainda esse ano.

“Estamos muito satisfeitos com a conclusão do primeiro semestre, período em que registramos recordes e crescimento. Seguimos monitorando o ambiente de negócios e nossa projeção é encerrar 2023 com um volume mais de 10% superior em relação ao último ano. A Honda continuará acelerando e, para os próximos dois anos, vamos apresentar 10 lançamentos, entre produtos inéditos e novas versões de modelos atuais, que irão complementar o maior lineup do mercado e ser mais competitivo para atender as necessidades e desejos dos clientes.”, afirma Marcelo Langrafe, Diretor Comercial da Moto Honda e Diretor CRM (Gestão de Relacionamento com o Cliente) da Honda South America.

Matérias relacionadas

Mais recentes

Destaques Mecânica Online

Avaliação MecOn