Atualizado: 2 de junho de 2018.
Publicado em: 1 de Fevereiro de 2018.

O ano de 2018 começa com duas avaliações bem interessantes para você aqui no Mecânica Online®. Iniciamos avaliando o Jaguar XE S, completo, tecnológico e com muita performance. Na sequência é a vez do Nissan Kicks S, que apesar de também carregar o S, aqui é indicativo da versão de entrada do SUV da Nissan, mais simples e direcionada para o público que busca seu primeiro SUV.

E vamos começar destacando o que ficou de bom das versões mais caras do Kicks: o bom conjunto motor-câmbio.

O Nissan Kicks é equipado com a segunda geração do motor HR16DE 1.6 de 16 válvulas, que conta com controle de abertura das válvulas continuamente variável (CVVTCS) e sistema Flex Start System (FSS), que eliminou o tanque de partida a frio.

Ele desenvolve 114 cavalos de potência máxima a 5.600 rpm e torque máximo de 15,5 kgfm a 4.000 rpm.

O resultado foi a nota “A” em eficiência energética e emissão de gases dentro do Programa de Etiquetagem Veicular (PBEV) do Inmetro. Também recebeu o selo do CONPET, concedido aos modelos que participam do programa de etiquetagem que atingem grau máximo de eficiência energética.

As médias de consumo são de 7,7 km/l na cidade e 9,4 km/l na estrada, com etanol, e 11,4 km/l e 13,7 km/l com gasolina, respectivamente nos dois tipos de ciclo – urbano e estrada.

Com tração dianteira, o trem de força oferece a última versão da transmissão XTRONIC CVT com recursos como o D-Step, que simula trocas de marcha com mais de 50% do curso pedal do acelerador acionado.

Esse câmbio absorve toda a experiência das duas décadas de liderança da marca japonesa em inovação em transmissões continuamente variáveis.

Ele é mais leve e produz menos atritos na comparação com a geração anterior, utilizado em outros modelos da marca.

A redução veio também da diminuição do diâmetro das polias, da adoção de uma bomba de óleo compacta, que necessita de baixa viscosidade para lubrificação, e da otimização de lubrificante e de pressão.

O Nissan Kicks tem um novíssimo eixo de suspensão traseiro (de torção), com travessa de maior rigidez e nova estrutura de isolamento, que oferece conforto de condução superior, sem comprometer o espaço para as bagagens.

A suspensão dianteira independente (McPherson com barra estabilizadora) conta com uma subestrutura, maior, mais robusta e 300% mais rígida se comparada a de modelos deste porte. Os amortecedores de alta performance permitem o melhor controle da carroceria.

O crossover compacto conta com raio de giro de 10,2 metros que, aliado à leveza da direção com assistência elétrica permite estacionar e manobrar sem esforços.

Equipado com a transmissão CVT, o Nissan Kicks S é oferecido por R$ 81 mil. O modelo torna-se interessante para o mercado de PcD (pessoas com deficiência) e as isenções que são oferecidas.

Para tornar o Kicks mais acessível , a Nissan deixou de certa forma o carro quase que pelado, principalmente quando comparado com a versão SV, onde sentimos falta da câmera de ré com a visão de 360 graus, do importante sensor de estacionamento traseiro, ar condicionado digital, faróis de neblina e até mesmo da central multimídia.

Na lista de itens de série temos o ar condicionado tradicional, rodas de liga leve de 16 polegadas, maçanetas e capas dos espelhos retrovisores pintados na cor da carroceria, direção com assistência elétrica, vidros elétricos nas quatros portas, computador de bordo, espelhos retrovisores com ajuste elétrico, travamento central das portas e o Pack Safety – controles de estabilidade e tração, além do assistente de partida em rampa.

Até mesmo o painel de instrumentos é diferente. Na versão S temos o mesmo utilizado na versão intermediária que não é digital, e sim analógico composto de dois mostradores convencionais.

Ficha técnica – Nissan Kicks S CVT 1.6 16V

  • Preço: R$ 80.990
  • Motor: flex, diant., transv., 4 cil., 1.598 cm3, 16V, 114/114 cv a 5.600 rpm, 15,5/15,5 mkgf a 4.000 rpm
  • Câmbio: automático, CVT, tração dianteira
  • Suspensão: McPherson (diant.) e eixo de torção (tras.)
  • Freios: discos ventilados (diant.) / tambor (tras.)
  • Direção: elétrica
  • Rodas e pneus: 205/50 R16
  • Dimensões: comprimento, 429,5 cm; largura, 176, cm; altura, 159 cm; entre-eixos, 261 cm; peso, 1.142 kg; tanque, 41 l; porta-malas, 432 l
REVER GERAL
Motor
Câmbio
Itens de Série
Espaço Interno
Conforto
Estabilidade
Ergonomia
Acabamento
Consumo
Manutenção
Artigo anteriorConfira a evolução do novo SUBARU XV que chega ao Brasil
Próximo artigoMercedes-Benz é a “Empresa do Ano” no Prêmio Consumidor Moderno
Tarcisio Dias
Gerente de conteúdo do Mecânica Online®, Tarcisio Dias é responsável também pela área de cursos e CDs interativos. Possui formação em engenharia Mecânica com habilitação em Mecatrônica pela Universidade de Pernambuco, formação técnica em mecânica pela Escola Técnica Federal de Pernambuco (CEFET/PE) e profissional em Mecânica Automotiva de Motores Diesel no Centro de Formação Profissional de Jaboatão dos Guararapes – RFFSA acordo SENAI. Também possui formação como Radialista – Locutor/entrevistador.