Os desperdícios mais comuns em uma oficina mecânica

Alguns dos desperdícios mais comuns como a luz acesa nos ambientes sem necessidade, uma torneira pingando, esperar por algo que não chega e não está programado, tanto na nossa casa quanto na oficina. E você sabe qual o significado de tudo isso? É o dinheiro indo pelo ralo, jogado fora. Logo o dinheiro, tão difícil de conseguir e escorrendo pelos dedos sem que você perceba.

O fundamento básico da filosofia de gestão Lean Manufacturing (manufatura enxuta) é combater desperdícios. Parece simples, muitos tentam de forma desorganizada, ai é quando pode surgir os imprevistos na condução para sua eliminação e proporcionando mais trabalho para combatê-los.

Por isso, temos que trabalhar sempre no intuito de que alguns desperdícios sejam reduzidos gradativamente e por fim eliminá-los definitivamente.

Nesta matéria, mostraremos algumas situações e dicas de como reduzir os desperdícios, ganhar em produtividade e melhorar os processos com essas ações dentro da oficina.
É importante ressaltar que dentro de uma empresa pode ocorrer apenas um desperdício isoladamente ou um “efeito cascata” deles.

O acontecimento de um único desperdício dentro de um processo pode ser o gatilho para o acontecimento de outro e assim por diante.

Começamos com uma dica importante que é prestar atenção ao processo produtivo, desde quando chega à empresa até quando sai, e observar o que você fez durante o dia, o que estava previsto e o que realmente foi feito. E o que não fez, por que não o fez? Isso demonstra se você está organizado para realizar todas as suas atividades diárias com os colaboradores.

É importante que o gestor consiga enxergar a desorganização, quando não se tem nada organizado o tempo de trabalho ou de retrabalho será maior do que o normal.

Reduzir as movimentações – Tudo começa por um layout apropriado da empresa para desenvolvimentos das atividades, verificando a disposição correta dos equipamentos e as áreas de trabalho bem sinalizadas. A localização das bancadas, ferramentas e onde ficam os carros para serviços e prontos. Estão pertos um do outro? Organização, limpeza e praticidade são essenciais para não ficar rodando dentro da oficina, com isso eliminando as movimentações excessivas dos colaboradores.

A área de trabalho deve ser demarcada para a realização das atividades, onde vai ser feito cada tipo de serviço e as ferramentas necessárias tem que estar naquele local de trabalho, próximo para o desenvolvimento das atividades.

Evite a espera desnecessária e reduza o tempo – O tempo que as pessoas ou os equipamentos ficam desnecessariamente ociosos ou são obrigados a esperar pela próxima ação é considerado desperdício. Essa improdutividade impacta negativamente os custos da empresa e deve ser evitada.

A organização deve proporcionar agilidade no trabalho, redução de tempo e a certeza de que o trabalho foi feito na íntegra do começo ao fim.

Quando a oficina possui um fluxograma de atividades é um bom sinal para que tudo seja feito corretamente. Todos os trabalhos que estavam no cronograma foram feitos. A última operação é testar o veículo para ver se ficou bom, o que gera ganho de tempo na entrega do veículo para o cliente, ou seja, foi prometido para um determinado prazo, o que foi atendido, isso é uma redução de tempo que evita desperdícios. Produzir mais em menor tempo melhora rentabilidade e consequentemente o lucro.

Evitando o retrabalho – Os funcionários devem trabalhar em um ambiente apropriado, limpo e saudável, com os devidos treinamentos e as ferramentas específicas para o trabalho que vai fazer. Dar incentivo e condições de trabalho é uma maneira de reduzir custos em função de aumento de produtividade. Uniforme, EPIs, ferramentas etc. Tudo isso pode ser considerado redução de custos em função da qualidade no serviço efetuado evitando retrabalho. Muita gente se preocupa com o que vai fazer, mas não se preocupa com qual a melhor maneira de fazer num período mais curto de tempo e com mais qualidade.

Deixar sinalizações em determinados locais para relembrar os funcionários de como agir corretamente – Deve haver a orientação e monitoramento dos colaboradores e conscientizando-os na prática de ações que gerem redução de custos.

Isso pode ser em relação a consumo de energia elétrica, de água, de materiais e insumos. Às vezes os envolvidos necessitam de um treinamento específico e de monitoramento das ações.

A troca das torneiras normais / convencionais por automáticas é um grande redutor de custos. Instalação de telhas translúcidas é outra ideia interessante e boa de redução de energia e as instalações de sensores de presença para as luzes de escadas, área de estoque, banheiros e áreas de pouco uso também diminui a conta de luz.
Outra vantagem desse treinamento é que os funcionários podem levar as boas práticas para dentro de casa e gerar economia para eles também.

O gestor não deve deixar a situação chegar num ponto de desperdício, tem que começar já a fazer as mudanças, isso vale também para as áreas administrativas, como no uso de papel excessivo e de cartuchos de impressora.

Atentando para aquisição de materiais baratos que muitas vezes saem mais caros no final das contas, pois qualidade melhora o serviço. Materiais como sabonete líquido, papel higiênico, material de limpeza de valor muito baixo geralmente não são bons produtos, acabam gastando mais e acabam mais rápido.

Controlar o estoque da oficina evita que peças desnecessárias sejam adquiridas, eliminando gastos – Excesso de peças, óleos, pneus, e outras peças encalhadas nos estoques, corresponde a um erro na compra.

Em época de vacas gordas é onde o empresário se descuida e tem excesso de gastos. Um investimento inadequado, por exemplo, comprar produtos e equipamento que não vai usar só porque está com dinheiro sobrando.

Quando os custos e desperdícios elevados afetam a competitividade da oficina, o negócio corre o risco de ter prejuízos ou faturar menos do que deveria. Forçando a ter que cobrar mais para cobrir esses custos descontrolado e desnecessários e muitas vezes, perder o serviço para outra oficina. Todo mundo quer ter o resultado melhor e o pensamento é ganhar mais, mas reduzindo custo gera o mesmo efeito.

Outros importantes itens desperdiçados na oficina mecânica:

• Água: Para limpeza do estabelecimento, banheiros, lavagem das peças e veículos;
• Oxigênio, argônio e acetileno: Uso em excesso ou má conservação de equipamentos para solda;
• Ar comprimido: Falta de manutenção e vazamentos na linha de ar;
• Materiais de limpeza: Uso em excesso ou mal aplicado;
• Peças: Danificadas pela montagem, compra errada ou sem qualidade;
• Ferramentas: Perdidas, quebradas ou em falta;
• Luzes: Acesas durante o dia ou excesso de iluminação;
• Energia elétrica: Máquinas ligadas sem produção;
• Instalação elétrica: Fiação elétrica mal dimensionada;
• Mão de obra: Retorno de serviços mal executados, retrabalho;
• Tempo: Falta de programação de serviços causando ociosidade nos funcionários;
• Procedimentos, logística: Ferramentaria e estoques de peças longe dos locais de trabalho;
• Financeiro: Excesso de peças, óleos, pneus, e outras peças encalhadas nos estoques, erro na compra.

Diante destas dicas esperamos que você gestor possa implantar na sua oficina e obter uma boa produtividade em conjunto com uma excelente lucratividade.

- Publicidade - Mercedes-Benz