segunda-feira, 4 março , 2024
28 C
Recife

Mitsubishi TR 4 possue completo sistema de tração

Japonesa rebatiza modelo Io, que agora começa a ser fabricado no interior de Goiás

Um utilitário esportivo diminuto, mas bem-equipado e valente na lama. Este é o currículo do Pajero TR4, o segundo veículo brasileiro da Mitsubishi feito pela MMC Automotores, representante oficial da marca japonesa no país.

Produzido em Catalão, Goiás – na mesma fábrica onde é feita desde 1998 a picape L200 -, o novo modelo chega às lojas só na segunda semana de agosto, mas não é totalmente desconhecido. O TR4 é o mesmo Pajero Io que era importado do Japão, com retoques feitos para se adequar ao gosto e a um erro de leitura dos brasileiros.

Uma dessas mudanças foi no nome. Segundo o fabricante, havia confusão com o nome Io, instalado na traseira do utilitário. Muitos achavam que era 1.0 e que se tratava de um Pajero “popular”. Como não é bem o caso – o modelo custa mais de R$ 60 mil, a empresa viu por bem rebatizá-lo de TR4, para destacar a tração 4X4.

A troca de nome atende às necessidades do marketing e a preocupação com o “status” do veículo, mas o novo Mitsubishi Pajero TR4 também apresenta novidades no visual externo e motorização. Com módicos 4,03 m de comprimento e “generosos” 1,72 m de altura, o veículo não foge do estilo “quadrado” que caracteriza pequenos utilitários esportivos.

Mas o novo modelo brasileiro mostra personalidade com um estilo bem mais agressivo que o do Io japonês. Para isso, a grade do motor ficou maior e dá origem a um pronunciado ressaltado em V no capô. Já os faróis, que lembram uma máscara, ganharam lentes totalmente brancas e os pára-choques são mais encorpados. O pára-choque dianteiro ainda incorpora faróis de neblina e protetor de cárter aparente.

Na traseira, as mudanças se resumem ao nome Pajero TR4 na tampa do porta-malas, no lugar do inusitadamente dúbio Pajero Io, e a adoção de um aerofólio. Como um toque de sofisticação, as maçanetas das portas, carcaça dos retrovisores e os pára-choques são na cor da carroceria.

A outra novidade do Mitsubishi Pajero TR4 fica sob o capô. O utilitário é equipado com um propulsor 2.0 16V que desenvolve 131 cv de potência a 5.500 rpm e torque de 18 kgfm de torque a 4.500 rpm. Estes números são bem superiores aos 117 cv e 16,8 kgfm do motor 1.8 16V usado no Pajero Io. O novo motor do Pajero TR4 pode funcionar com um câmbio mecânico de cinco marchas ou automático de quatro marchas, de acordo com a versão.

Já o sistema de tração faz o veículo nacional TR4 ter “jogo de cintura” para enfrentar situações com terrenos bem diferentes. O modelo tem tração traseira, mas através do acionamento de uma alavanca entre os bancos dianteiros, pode ser alterada para 4X4, 4X4 com bloqueio do diferencial e ainda 4X4 com reduzida.

Como no “grandalhão” Pajero Full, o primeiro modo 4X4 é denominado “contínuo on-road” e mantém o diferencial central acionado para melhorar a estabilidade. No segundo modo, o 4X4 “off-road”, o diferencial bloqueado ajuda a encarar trechos mais encrencados no fora-de-estrada.

Sem o acabamento em couro, o Pajero TR4 custará R$ 61 mi, com câmbio mecânico e R$ 66 mil com o automático. Como a Mitsubishi já vinha segurando o preço do Pajero Io, o modelo nacional acaba tendo preço parecido com o do importado. Fruto também de um índice de nacionalização de apenas 50%.

Mesmo assim, o TR4 é bem mais barato que os rivais com motor a gasolina. O Suzuki Grand Vitara 2.0 custa a partir de R$ 67.733, 00 o Toyota RAV4 sai por R$ 78.555,00 e o Honda CR-V tem preço de tabela de R$ 82.432,00.. Com esta boa diferença de preço, a expectativa da montadora é de vender cerca de 900 unidades do Pajero TR4 até o final do ano.

O menor da linha no País
– A Mitsubishi conta com 75 concessionárias no Brasil. Até o final do ano, a expectativa é de ter 80 lojas.

– Para produzir o Pajero TR4 no Brasil, a MMC Automotores investiu US$ 100 milhões na nacionalização do veículo e ampliação da fábrica de Catalão.

– Para certificar a qualidade das peças e produção do Pajero TR4 dentro do padrão exigido pela Mitsubishi mundial, há dois meses a fábrica de Catalão está sendo vistoria por engenheiros japoneses.

– A linha Pajero chegou ao Brasil em 1992, na época só na versão quatro portas. Três anos depois a Mitsubishi iniciou as vendas também do modelo de duas portas. Já em 1999, a linha foi ampliada com o lançamento dos modelos Sport e Io.

– Para produzir o Pajero TR4, a fábrica de Catalão teve a área construída ampliada de 14 mil para 41 mil m2.

– Os veículos da Mitsubishi passaram a ser importados oficialmente para o Brasil em 1991 pela MMC Automotores.

– O Io não é o menor modelo da linha Pajero. No Japão, a Mitsubishi comercializa o Pajero Mini, que tem apenas 3,39 m de comprimento – 64 cm menor do que o Io.

Matérias relacionadas

Mais recentes

Destaques Mecânica Online

Avaliação MecOn