segunda-feira, 26 fevereiro , 2024
28 C
Recife

Citroën Xsara Picasso

Apesar de não disponibilizar a transmissão automática nesse modelo, veículo da Citroën destaca-se pelo espaço interno, estabilidade e desempenho.

Apesar de estarmos no final do ano, o Teste Drive que a Mecânica Online realizou com o modelo 2002 do Xsara Picasso não deverá apresentar muitas diferenças quando for comparado com o modelo 2003, onde as principais alterações estão relacionadas com os detalhes do designer externo e interno do veículo.

Testamos a versão 2.0 GLX, uma das mais vendidas pela Citroën, que apresenta dois anos de garantia sem limite de quilometragem e 12 anos contra corrosão da carroceria.

Durante nosso teste avaliamos o veículo em condição de trânsito urbano e também na estrada.

Xsara Picasso – O designer diferencia-se e muito dos demais veículos da sua categoria, o das minivans. Externamente destaque para o formato ovalado da carroceria que se destaca pelos traços modernos.

Internamente, a ousadia fica por conta do painel, que traz quadro de instrumentos localizado na parte central, com marcadores digitais como hodômetro, velocímetro, de combustível e computador de bordo com números bem visíveis.

Outro diferencial, que pode causar estranheza ao motorista à primeira vista, é o câmbio manual de cinco velocidades que está localizado no console central e não na tradicional posição, o que proporciona um espaço extra entre os bancos dianteiros.

O espaço interno para os ocupantes tanto do banco dianteiro como do traseiro é bastante satisfatório. Os usuários contam com duplo sistema de ar-condicionado que proporciona boa climatização.

Os três bancos traseiros são do mesmo tamanho e o assoalho é plano. Na parte de trás os passageiros das laterais contam com mesa tipo “avião” (uma bandeja com porta-copo). Vale ressaltar também a existência de uma tomada auxiliar próxima ao porta-malas do veículo.

Vários porta-objetos e o amplo porta-malas de 550 litros fazem do veículo ótima opção para quem quer circular tanto na cidade e estrada com conforto.

Sem os bancos traseiros, a capacidade do porta-malas chega a 2.128 litros no total. Outro destaque é o modubox, uma caixa removível no porta-malas com capacidade de transportar até 18 kg de bagagem.

Como equipamentos de série, o modelo testado pela Equipe da Mecânica Online, apresenta 10 compartimentos porta-objetos, air-bags para motorista e passageiro, air-bags laterais e frontais para cabeça e tórax, banco do motorista com regulagem de altura, cintos de segurança dianteiros retráteis, reguláveis em altura com limitadores de esforço, três cintos de segurança traseiros de três pontos, faróis halógenos com temporização e regulagem de altura, lanternas traseiras de neblina, sides pads de proteção nas portas, vidros elétricos nas quatro portas e volante com altura regulável.

Nosso teste – Por cerca de 10 dias tivemos a oportunidade de conhecer de perto os principais detalhes que fazem desse modelo o líder de vendas da sua categoria na disputa direta com a Zafira e a Renault Scénic.

Encarar vias de maior velocidade sem perder a estabilidade e com segurança foram os principais destaque do bom comportamento dinâmico do Picasso. O conjunto de suspensão mereceu destaque pela estabilidade transmitida na condução do veículo.

O desenho da lateral praticamente simétrico do veículo – os perfis da frente e da traseira são semelhantes – faz com que o centro de gravidade do carro tenha uma posição privilegiada, que aumenta o seu desempenho.

Nas curvas, o carro mostrou bastante confiabilidade e uma impressão de leveza e aderência praticamente sem paralelos entre seus concorrentes. Mesmo com altura maior do que a média dos carros de passeio, o Picasso não decepcionou em termos de estabilidade.

Essa característica significa que se o motorista fizer uma tomada de curva em alta velocidade, o carro não sairá nem de frente, nem de traseira. Oscilações de suspensão em situações extremas, na frente ou na traseira, também não foram percebidas.

O propulsor de 2,0 litros, quatro cilindros, 16 válvulas e 118 cv de potência máxima a 5,5 mil rpm, o mesmo que equipa a versão básica do sedã C5, tinha originalmente 136 cv. Mas a equipe de projeto da montadora achou melhor chipar o motor – trocar o chip da injeção eletrônica – para obter um conjunto mais harmônico e que mantivesse as características de segurança em alta velocidade.

De fato, o motorista não sente necessidade de potência no carro, que também mostrou bom fôlego de retomada e agilidade nas acelerações. Essa boa performance explica-se graças à manutenção do mesmo nível de torque – 19,8 kgfm a 4,1 mil rpm – do propulsor de 136 cv.

Duas características que a Citroën poderia aperfeiçoar são a alavanca de câmbio e os freios. No primeiro caso, as trocas de marchas são imprecisas, apesar de as relações terem se mostrado bem escalonadas.

Em alta velocidade, quando as trocas devem ser rápidas, a mudança da quarta para quinta se mostrou complicada, exigindo do motorista que procurasse a posição de engrenagem.

Já com relação ao freio, a montadora poderia incorporar o ABS como item de série – a versão testada, GLX, não tinha esse recurso -, uma vez que as rodas frontais podem ser travadas com facilidade quando o motorista pisa repentinamente no pedal.

O freio não chega a ser ineficiente, até porque ele mostrou estar bem dimensionado, mas o ABS agregaria segurança ao veículo.

Ainda para tornar o modelo mais competitivo no mercado brasileiro, a montadora poderia adicionar conta-giros ao painel digital, pois um carro em sua faixa de preço deve obrigatoriamente contar com esse recurso, ainda que se diga que seu uso familiar restringirá a condução esportiva.

Vendas – Apesar da queda nas vendas do Picasso na primeira quinzena de novembro, o Picasso continua na liderança no acumulado de janeiro-novembro na categoria de minivans, alcançando a marca de 12.436 unidades vendidas.

De acordo com a própria Citroën, a recuperação nas vendas já voltou a sua normalidade.

Para manter a liderança, a Concessionária AutoFrance, em Recife, Pernambuco, está oferecendo uma ótima promoção para os seus clientes.

Segundo Ricardo Machado, diretor da concessionária, o Xsara Picasso GLX com bancos de couro, CD frontal e rodas de liga leve está sendo comercializado por R$ 44.000,00.

Matérias relacionadas

Mais recentes

Destaques Mecânica Online

Avaliação MecOn