domingo, 21 julho , 2024
28 C
Recife

Volkswagen do Brasil chega a 1.000.000 de veículos Total Flex no País

A Volkswagen do Brasil acaba de atingir mais um recorde na indústria automobilística: a marca de 1 milhão de veículos Total Flex comercializados no País.

Primeira montadora a lançar um veículo bicombustível – o Gol Total Flex 1.6 l, em março de 2003 – a montadora deu todos os primeiros passos na consolidação do sucesso da tecnologia flex.

- Publicidade -

Criou o primeiro motor 1.0 l flexível (Fox, em outubro de 2003) e também foi a primeira montadora a atingir a totalidade de sua produção nacional com o motor Total Flex.

Todo este pioneirismo acaba de render à montadora a comemoração do primeiro milhão de veículos flex comercializados, com 31,5% de participação nestes 4 anos deste mercado, que já superou as 3 milhões de unidades no País.

“O desenvolvimento do motor bicombustível foi a grande revolução da indústria nos últimos anos, e a Volkswagen do Brasil se orgulha de mais este pioneirismo. Uma alternativa ao petróleo muito competitiva e sustentável, que tem despertado o interesse em diversos países do mundo. Só a Volkswagen recebe, em média, 20 comitivas de diversos países a cada ano, interessadas em conhecer a produção e os detalhes da tecnologia Total Flex”, declara o presidente da Volkswagen do Brasil, Thomas Schmall.

- Publicidade -

O desenvolvimento do primeiro motor Total Flex passou a ser uma realidade no final dos anos 90.

“O maior desafio era tornar a tecnologia acessível e viável para o consumidor. Foi quando abandonamos uma solução em hardware e desenvolvemos um software, capaz de identificar o tipo de combustível ou mistura presente no tanque, que ela deslanchou”, explica o gerente de Planejamento e Desenvolvimento de Motores da Volkswagen do Brasil, João Alvarez Filho.

O bicombustível inaugurou uma nova era no mercado brasileiro com um motor flexível, que possibilita ao cliente escolher o combustível mais adequado para seu uso no momento de abastecer e não mais na hora da compra do veículo, como acontecia no passado.

- Publicidade -

O presidente da Volkswagen, Thomas Schmall, comemora 1.000.000 de veículos Total Flex

O Gol 1.6 l foi o primeiro modelo nacional a receber a tecnologia bicombustível em março de 2003. Em agosto do mesmo ano, chegaram ao mercado os modelos Parati e Saveiro, também 1.6 l, com a nova tecnologia em todas as versões de acabamento.

Atualmente, o Gol – modelo mais vendido do mercado há 20 anos consecutivos – é também líder no segmento flex e já superou, desde 2003, as 445 mil unidades até abril deste ano.

O Fox, lançado em outubro de 2003, já nasceu com 100% da oferta de motores Total Flex e com uma novidade: a introdução do motor 1.0 l bicombustível.

Éra o início da popularização e a extensão da tecnologia para todas as faixas de preços de automóveis do mercado brasileiro.

Desde o lançamento do Foz, e até abril deste ano, as vendas do modelo já ultrapassaram as 300 mil unidades no mercado interno. Os demais integrantes da família Fox, o CrossFox e o SpaceFox , também chegaram ao mercado somente com opção de motores com flexibilidade de abastecimento.

A linha Polo recebeu a tecnologia em janeiro de 2005. A Kombi ganhou nova motorização no final do mesmo ano, com a substituição do motor 1.6 l arrefecido a ar pelo 1.4 l a água, e Total Flex. Em março de 2006 a Volkswagen lançou o Golf 1.6 l Total Flex.

Desde junho do ano passado, a Volkswagen tornou-se a primeira montadora a ter 100% da sua produção nacional de motores com a tecnologia Total Flex, consolidando o sucesso da tecnologia e o pioneirismo da marca.

Histórico de lançamento dos modelos Volkswagen Total Flex

Modelo Lançamento
Gol 1.6 : Março/2003
Parati 1.6 : Agosto/2003
Saveiro 1.6 : Agosto/2003
Fox 1.0 e 1.6 : Outubro/2003
Polo 1.6 (Hatch e Sedan) Janeiro/2005
Gol 1.8 : Fevereiro/2005
Parati 1.8 : Fevereiro/2005
Saveiro 1.8 : Fevereiro/2005
Gol 1.0 : Março/2005
CrossFox 1.6 : Abril/2005
Kombi 1.4 : Dezembro/2005
Golf 1.6 : Março/2006

Saiba mais sobre a tecnologia Total Flex

  1. Não é verdade que às vezes o motor precisa ser abastecido com gasolina para ficar lubrificado. O motor Total Flex é preparado para trabalhar com os dois combustíveis e sua mistura em qualquer proporção.
  2. Durante o inverno, não é necessário abastecer o Total Flex com gasolina. Vale lembrar que o motor Total Flex possui um reservatório para injeção de gasolina para partidas a frio. O cliente deve manter este tanque abastecido.
  3. O cliente pode abastecer seu carro com um combustível diferente do que já está no tanque. Isto não provoca nenhuma alteração no funcionamento.
  4. Não existe a mistura ideal, que combine preço e desempenho do motor TotalFlex. O cliente deve avaliar qual o melhor combustível com relação à utilização que ele faz ao carro.
  5. Quando a diferença de preço entre o álcool e a gasolina for igual ou superior a 70%, é mais conveniente abastecer com álcool.
  6. Com veículos Flex deve se tomar os mesmo cuidado quanto à adulteração de combustível.
  7. A durabilidade do veículo Total Flex não se altera, se o plano de manutenção for seguido.
  8. O Total Flex não é somente uma “chipagem” do motor. Os motores Total-Flex recebem várias modificações que o protegem contra corrosão e desgaste prematuros, além de adaptação de pressão de injeção, velas, velocidade e capacidade de memória da unidade de controle, etc.
  9. A tecnologia Total-Flex foi desenvolvida no Brasil e tem boa aceitação aqui por causa das condições apropriadas para a produção de álcool e da infra-estrutura de abastecimento já montada. Ela pode não ser sustentável em outros países do mundo.
  10. O tempo de partida quando o carro está abastecido com álcool será diferente do tempo de partida quando o carro está abastecido com gasolina.

Matérias relacionadas

Ofertas Peugeot 208

Mais recentes

Clínica de Serviços Chevrolet

Destaques Mecânica Online

Com a Volvo rumo ao Zero Acidentes – Itapemirim

Avaliação MecOn

FIAT na mão