quinta-feira, 20 junho , 2024
28 C
Recife

T-Systems cria projeto de expansão e gerenciamento para a linha de montagem de Caminhões da Ford no Brasil

Projeto tornou o Body Storage Horizontal mais flexível, atendendo melhor às flutuações da demanda entre picapes e veículos comerciais

- Publicidade -
               A T-Systems, uma das mais importantes provedoras de Tecnologia da Informação e Comunicações (ICT) da Europa e subsidiária do Grupo Deutsche Telekom, é a responsável pelo projeto de expansão e manutenção do Sistema de Gerenciamento do Body Storage Horizontal (BSH) da Ford do Brasil.

Para Ricardo Moraes, Supervisor de Operações de TI da Ford Brasil, a atualização sistema de gerenciamento do Body Storage Horizontal se fez necessária, na planta de São Bernardo do Campo, para aumentar sua capacidade de armazenamento, garantindo assim maior flexibilidade de seleção de cabinas a serem enviadas à montagem final.

Além disso, algumas linhas do Body Storage foram parametrizadas para receber tanto cabinas quanto caçambas.

Também a linha de montagem implantou melhorias na programação de veículos, com base no indicador BTD (Build to Date), para produzir rigorosamente de acordo com o programado.

O projeto acrescentou algumas funções que facilitam a tarefa dos operadores da logística para o controle do consumo das peças críticas e para um melhor seqüenciamento de cabinas e caçambas. Outras melhorias contribuíram para que o sistema ficasse mais aderente às normas de TI da Ford.

- Publicidade -

A nova versão do software permitiu criar um novo mecanismo para o DRP (Disaster Recovery Plan), que assegurará a continuidade das operações, mesmo se ocorrer uma falha crítica.

“A finalização desse projeto mostrou-se um grande desafio para toda a nossa equipe”, relembra o Gerente de Engenharia e PLM da T-Systems do Brasil, Jorge Brito.

“O projeto de ampliação da capacidade produtiva da fábrica deveria ser finalizado em maio de 2008. Fizemos um planejamento detalhado para gerenciar os prazos, realizar todos os testes previstos e implementar o BSH dentro do prazo acordado e naturalmente sem provocar paralisação ou perdas de produção, isso tudo, em plena sintonia entre as equipes T-Systems e Ford.”

“Criamos estratégias de fallback, assim se ocorresse algum problema grave, a implantação seria abortada e voltaríamos rapidamente à condição de produção normal, porém não foi preciso usá-las”, esclarece.

“Conseguimos atender às expectativas da Ford contribuindo para o processo produtivo montadora”, comemora Jorge Brito.

- Publicidade -

“Após a expansão do Body Storage Horizontal e melhoria no indicador Build to Date, a fábrica aumentou sua capacidade produtiva para atender à complexidade de produção e gerenciamento dos mais de 14 modelos montados hoje numa mesma linha de produção. Para 2009, temos como meta aumentar a produção da linha de montagem da unidade, e para isso planejamos ativar o turno da noite”, relata o Supervisor de TI da Ford Brasil, Ricardo Moraes.

Como funciona – O Body Storage Horizontal é um armazém de cabinas e caçambas pintadas de caminhões e picapes, localizado entre as células de Pintura e a Montagem Final de caminhões.

O Sistema Gerenciador do Body Storage atua integrado ao PLC (Programmable Logic Controller) de controle do armazém, recebendo e armazenando as cabines e caçambas provenientes da Pintura, realizando movimentações internas e enviando-as para a Montagem Final.

O Gerenciador do BSH comunica-se com os sistemas corporativos de controle de produção: PVS e RE da Ford, recebendo as informações das cabinas e caçambas e a seqüência planejada de montagem.

Por meio da administração de consumo das peças críticas e outras restrições de produção, o Gerenciador do Body Storage fornece todas as ordens de movimentação interna no armazém.

Matérias relacionadas

Clínica de Serviços Chevrolet

Mais recentes

Ofertas Peugeot 208

Destaques Mecânica Online

Fiat Toro

Avaliação MecOn

SACHS - Versátil, abrangente e convincente