quinta-feira, 23 maio , 2024
28 C
Recife

Iveco estreia no carnaval de Salvador puxando trio elétrico de Daniela Mercury

Iveco Trakker puxará trio elétrico com três andares que abrigam camarins, geradores, palcos e até um elevador hidráulico exclusivo para a artista

- Publicidade -

Pela primeira vez na história da Iveco no Brasil, os caminhões da marca trabalharão ativamente durante o carnaval da Bahia, um dos mais badalados do mundo, puxando um dos mais tradicionais trios elétricos da capital, o da cantora Daniela Mercury.

No Carnaval 2009, o caminhão escolhido para garantir toda a movimentação da festa proporcionada pelo trio elétrico da cantora Daniela Mercury foi o Iveco Trakker.

Concebido pela montadora para os serviços mais pesados de transporte, requeridos em setores como os de cana-de-açúcar, mineração, construção e indústria da madeira e celulose, o perfil do caminhão comprova que também atende às exigências de operação do circuito Barra-Ondina e foi escolhido pela agência “Canto da Cidade”, que administra o trio e o Bloco Crocodilo da cantora, que já existem há 13 e 23 anos, respectivamente.

A parceria entre Iveco e o trio da cantora foi concretizada por meio da Mobile, concessionária Iveco que atende a região.

- Publicidade -

Um dos trajetos de Salvador – circuito Dodô – tem como ponto inicial o bairro da Barra e como destino o bairro de Ondina, ambos na capital baiana.

O percurso é realizado durante 6 a 7 horas diárias no domingo, segunda e terça-feira de carnaval.

Segurança. Quesito principal da festa – O carnaval de rua da Bahia é sinônimo de agito e badalação e os bastidores desse evento de projeção mundial exigem alto profissionalismo, tecnologia sofisticada.

Sua execução começa com meses de antecedência, quando são definidos cenário, músicos, dançarinos, figurinos, patrocinadores, equipamentos de som, iluminação e também os caminhões que irão “puxar” os trios elétricos.

O Iveco Trakker foi totalmente adaptado para garantir uma festa perfeita, com total segurança. As partes metálicas que compõem o caminhão são totalmente revestidas com materiais especiais que previnem riscos aos foliões.

- Publicidade -

São previstas inclusive proteções específicas para serem fixadas sobre as rodas. Para trabalhar no carnaval da Bahia, o caminhão e toda a estrutura do trio elétrico passam por uma inspeção de 13 órgãos da Prefeitura e do Estado envolvidos com a fiscalização da festa, entre os quais DETRAN – Departamento de Trânsito de Salvador e Corpo de Bombeiros.

Ao contrário dos trios elétricos convencionais de Salvador, que possuem dois andares, a estrutura do trio elétrico de Daniela Mercury construída sobre o caminhão Iveco Trakker agrega um andar a mais, o que justifica o apelido de “Triato”, tri – três andares, e ato de teatro e lhe confere 3,2 metros de largura com 7,10 metros de altura.

Uma mega estrutura construída para garantir a alegria de foliões que acompanham assiduamente o trio, todos os anos. E a composição interna comprova o batalhão de necessidades que existem por trás desse espetáculo.

No piso inferior há três camarins, mesas digitais e geradores de energia. A banda, composta por 16 músicos e todos os instrumentos musicais do Triato é instalada no piso central, onde há um elevador hidrául ico exclusivo para a cantora, que junto a 12 dançarinos se apresentam no andar superior da estrutura.

Energia para uma cidade inteira – Para garantir qualidade ao espetáculo, o “Triato” recebeu 126 caixas de som, com potência total de 250 mil KW, além de telas de TV e painéis de LEDS, onde são projetados vídeos dos patrocinadores.

“É o único trio com som de qualidade estéreo, com saída para os quatro lados (frente, fundo e laterais) do caminhão. Toda a energia é distribuída por dois geradores, sendo um principal com capacidade de 260 KW e um reserva com 180 KW de capacidade.

“Cada gerador consome 40 litros de diesel por hora e funciona o dia inteiro. A quantidade de energia utilizada pelo trio seria o suficiente para abastecer uma cidade de aproximadamente 80 mil habitantes”, compara Marco Carvalho, coordenador técnico e técnico de som do “Triato”. Esse total equivale à populaç&ati lde;o de uma cidade como Mogi-mirim (SP).

Todos os equipamentos agrupados e somados aos 40 músicos e produtores do evento geram um peso estimado de 65 toneladas sobre o caminhão, o equivalente ao peso de um tanque de guerra.

“Parece muito, mas quando se leva em consideração que o caminhão Iveco Trakker tem capacidade máxima de tração de 176 toneladas esse número é irrisório. Por isso o caminhão trabalhará com folga”, diz Ciro Dabés, engenheiro de vendas da Iveco.

Indicado para aplicações estradeiras e rodoviárias, o Iveco Trakker fará todo trajeto Barra-Ondina, com extensão de 5 quilômetros, em primeira marcha. Segundo Dabés, o veículo está tecnicamente apto para operar em marcha lenta.

A velocidade média não pode ultrapassar 2 km/hora, de acordo com exigências do circuito.

“Suas qualidades técnicas garantem que o caminhão não ferva ou tenha problemas com embreagem e freio, seja em retas, subidas ou descidas”. Para não patinar nas ladeiras o veículo é traçado.

Experiência singular ao volante – O responsável pela condução do caminhão é o motorista Cícero Pereira de Souza, 41 anos, que pilota trios elétricos há 16 anos. Para pilotar um trio elétrico não basta ter carteira de habilitação C e D. É preciso tirar uma licença especial no DETRAN e ter exata noção de como dirigir em meio a uma multidão e evitar acidentes. “Embora todo o conjunto conte com 50 seguranças ao seu redor, o veículo receba proteção nos dois eixos traseiros e o folião não tenha acesso aos pneus dianteiros, que são amarrados com cordas na parte dianteira do caminhão com até 30 metros de comprimento, todo cuidado é pouco. “Eu sou o parachoque do caminhão. Lá fora todos estão se divertindo e desligados de qualque r risco, o que deve redobrar minha atenção quanto ao quesito segurança”, explica Souza.

A opinião de Souza é a mesma de Reginaldo dos Santos Paixão, motorista da concessionária Mobile de Salvador, responsável por guiar o caminhão de apoio do trio elétrico de Daniela Mercury, no mesmo percurso da Barra até o bairro de Ondina.

Para Paixão, o mais importante neste trabalho é a segurança e o cuidado com os foliões. A principal diferença entre as duas funções é o peso.

“Enquanto no trio principal o caminhão puxa de 60 a 65 toneladas, no carro de apoio leva-se aproximadamente 30 toneladas no máximo”.

A estrutura do carro de apoio é a mesma de um trio elétrico convencional. A parte inferior abriga os sanitários, posto médico e o bar. Na parte superior os convidados vips e patrocinadores. A capacidade é para 120 pessoas.

Quem compra o abadá vip – camisa que identifica o folião no bloco – ganha o direito de acompanhar o trio na parte superior do carro de apoio, que este ano foi montado sob um caminhão Iveco Stralis 6×2.

Além do Iveco Trakker e Iveco Stralis, a concessionária Mobile também disponibilizou para o trio elétrico de Daniela Mercury um comercial leve Iveco Daily, implementado com baú, para as operações de transporte de equipamentos na fase de montagem do trio, bem como uma equipe, com um mecânico, um auxiliar e um motorista de plantão 24 horas durante todo o período do carnaval.

Os modelos que foram entregues à agência da cantora no último dia 10 serão devolvidos à Mobile, quatro dias após o carnaval.

Serviço – Para adquirir ingressos para o trio elétrico de Daniela Mercury ou desfilar no Bloco Crocodilo que segue com o trio pelas ruas, basta ligar para a Central do Carnaval no telefone (71) 3535-3000. Nos três dias de festa, domingo, segunda e terça-feira, o show da cantora começa por volta das 20h e encerra-se 1h da manhã.

Participam do evento cerca de 3 mil pessoas/dia. O bloco arrasta em torno de 100 mil pessoas que pulam o carnaval ao redor da corda que envolve o trio, a chamada pipoca. Para garantir a segurança e o suporte necessário aos foliões há 1.200 pessoas trabalhando no trio elétrico da cantora.

MOTORISTA DE TRIO ELÉTRICO LEVA CARNAVAL A SÉRIO NA BAHIA – Enquanto os foliões brincam sem parar pelas ruas da capital baiana no carnaval, uma abnegada categoria de profissionais, intimamente ligada aos trios elétricos, permanece em total concentração e em estado de alerta durante o Carnaval.

São os motoristas dos trios elétricos que garantem o sucesso do show, bem como a segurança dos foliões, do equipamento e das bandas com seus astros e artistas.

Fica sob a responsabilidade destes homens a vida de centenas de pessoas, inclusive dos artistas. Para tocar os caminhões que levam o trio elétrico, esses profissionais precisam tirar uma licença especial no DETRAN – Departamento de Trânsito de Salvador. Com duração de um dia, o curso dá dicas de como dirigir em meio a multidão e evitar acidentes.

Foi o que fez Cícero Pereira de Souza, 41 anos, quando optou por deixar a vida de caminhoneiro autônomo em Pernambuco (PE) e se mudar para Salvador (BA) para guiar trios elétricos. Uma decisão tomada há 16 anos, segundo ele, sem nenhuma dose de arrependimento.

“Mesmo quando não é Carnaval, guio trios elétricos em micaretas, que são os carnavais fora de época. Pode ser contraditório, mas jamais pulei carnaval. Para mim a festa só tem graça na boléia e sei que o Trakker tem o conforto e a ergonomia que garantem que não vou pular carnaval enquanto dirijo”, afirma sorrindo o experiente motorista”.

Este ano, Souza pilotará o modelo Iveco Trakker, que marca a estréia da Iveco no Carnaval de Salvador puxando o trio elétrico da cantora Daniela Mercury nos três dias de festa (domingo, segunda e terça-feira). Souza conduz o trio elétrico da cantora há três anos.

Para resistir a um esforço físico de mais de 6 horas dentro do caminhão, é preciso estar bem hidratado e por isso, o condutor precisa de muito líquido para cumprir bem sua tarefa. Nos raros momentos de parada é preciso descer do veículo para caminhar e alongar-se.

“Preciso estar bem e atento todo momento. A quantidade de pessoas próximas aos pneus, os foliões embriagados e o risco iminente de atropelamento não permite erros”.

Para rodar no circuito Barra-Ondina de 5 km, bairros da capital baiana onde a folia acontece durante o Carnaval, o Iveco Trakker que levará peso estimado de 65 toneladas, entre equipamentos e pessoal, passou por inspeção de 13 órgãos da Prefeitura e do Estado envolvidos com a fiscalização da festa, entre os quais DETRAN – Departamento de Trânsito de Salvador e Corpo de Bombeiros.

Além disso, o caminhão recebeu proteção nos dois eixos traseiros e foram amarradas cordas na frente do cavalo, com 30 metros de comprimento, onde ficarão distribuídos mais de 50 policiais. “Tudo isso é feito para segurança dos foliões”, diz Souza.

“Por possuir engenharia perfeita, o Iveco Trakker trabalha muito bem em marcha reduzida. O que é importantíssimo, pois a velocidade média do veículo no percurso não pode ultrapassar 2 km/hora”.

O segredo de Souza para pilotar um caminhão de grandes proporções em meio a multidão é não usar o acelerador.

“É só engatar a primeira marcha, aumentar a tração do motor e tirar o pé do freio para o trio movimentar. Depois do desfile, levo o caminhão para o galpão da agência “Canto da Cidade” – produtora artística da Daniela Mercury – onde o trio é desmontado”.

Matérias relacionadas

Fiat Fastback

Mais recentes

Ofertas Peugeot 208

Destaques Mecânica Online

Fiat Toro

Avaliação MecOn

WABCO - Principal fornecedor global de tecnologias para para veículos comerciais