domingo, 19 maio , 2024
28 C
Recife

Foi-se o sr Elgar

Passou o Ênio Lourenço Garcia, quase 79. Piloto, construtor, autodidata, correu em provas no Rio Grande do Sul, onde nasceu em Pelotas, e em Brasília, desde o início, foi o grande responsável pela base técnica e instigação de melhoria nas corridas.

- Publicidade -

Primeiro da Capital em ser considerado como adversário das grandes equipes, com Gordini superou os similares da Equipe Willys, maior e mais profissional daquela época de ouro.

Após, uniu dois bons patrocinadores, Cascão, rede de postos de gasolina, e Brasal, revendedor VW, criou equipe com dois VW 1300 pelados, elevados a 1600, marcou época nas corridas locais, regionais e nacionais, mas as vitórias e bons resultados mostraram a limitação dos Fuscas, provocando criar o Elgar GT 104.

Quarto de seus projetos, chassi em chapa dobrada, motor VW entre eixos, carroceria em fibra de vidro, mesclando estilo de Porsche 904 e Dino, moldada artesanalmente pelo Waldyr Lomazzi. Tirava desempenho máximo da limitada mecânica e, comparando-se com os concorrentes de época, Puma e Lorena, estava anos à frente.

Aliás, foi o único veículo feito em Brasília a ganhar prova do Campeonato Nacional, os 500 Quilômetros de Brasília, setembro de 1969, quando Toninho Martins e Luiz Cláudio Nasser conseguiram a proeza.

- Publicidade -

Mereceria fabricação em série para uso comum ou corridas, mas estas iniciativas só frutificam quando o criador é Mecenas a bancar a aventura, ou dono de oficina transformando-se em pequena indústria.

O Ênio estava no meio, bem sucedido executivo de uma multi.

Num resumo, não tenho dúvidas, o seu Lourenço, como o chamavam os amigos, foi a base, a referência técnica, a instigação do desenvolvimento automobilístico em Brasília.

Todos seus vitoriosos pilotos, Nelson Piquet, Alex Ribeiro, Pupo Moreno, Luiz Garcia, nele tiveram a experiência e a invejável base técnica.

Generoso, Piquet convidou-o a correr os Mil Quilômetros, prova icônica da Capital, dividindo um McLaren. Lúcido, com mais de 70, o Ênio declinou.

- Publicidade -

Há anos queria construir exemplar do Elgar, mas fiou-se em promessas políticas nunca viabilizadas. Quem sabe agora, com sua falta e a constatação de sua importância, seus amigos se juntem e façam. Inscrevam-me nesta lista. Roberto Nasser.

Roda-a-Roda – Novo passo – Na década 70, a Land Rover iniciou mesclar capacidade off-road com refinamento construtivo, criando o Range Rover. Depois outras marcas seguiram-na ao descobrir a vontade do motorista comum se impor em tamanho, e todas produzem grandes utilitários esportivos.

Mudou – É o caminho do uso confortável. Agora dá seu passo mais corajoso: iniciou produzir o Evoque, mais automóvel que utilitário, para ser o mais vendido da marca. Aqui ao final do ano.

Façon – A Peugeot terá no Salão de Frankfurt, setembro, o 508 versão RXH, visão francesa sobre o Audi TT. Diesel, 2.0 tração integral, luzes de leds, interior cuidado, curioso nos arremates em cobre.

Preocupação, menores emissões de CO2, modo elétrico para uso urbano, linhas e aptidão esportivas.

JAC pesado – A marca Metro Schacman une representante angolano, à montadora chinesa, chega ao Brasil com a novidade do caminhão com adequações implementadas na China para as condições nacionais.

Processo assemelhado à importação dos automóveis JAC, exportando engenheiros brasileiros para entender o produto e moldar características.

Sobrevivência – O projeto foi comprado à MAN, motor Cummins 11L, 420 cv, transmissão Eaton, marcas e qualidade mundiais. Testa-os aqui, adapta-os em Angola. Vendas em 2012 a 1/3 menos que os nacionais.

Aumark – Marca local do chinês Foton, chega ao Brasil pelas mãos do ex-ministro Luiz Carlos Mendonça de Barros, conteúdo assemelhado, com motor Cummins e transmissão ZF. Quer faixas menores, para 3,5,6 e 9t.

Trem-bala – Passadas as eleições, hora da promessa virar realidade, faltam recursos para viabilizar o trem veloz entre Rio e Campinas.

Vestibular – Acabar com o mal-feito no Ministério dos Transportes é o prova para o governo Dilma. Se correr com os indiciados, libertando-se da explícita chantagem partidária, há brisa de esperança.

Se não, resta-nos pagar, aplaudir, ouvir cândidas explicações, esperar as próximas eleições.

Brasil – O país fechará o ano importando diesel, gasolina e, acredite, álcool. Custará caro comprar no exterior e financiar internamente o aumento das áreas de plantio de cana.

Mais uma – Diz a coluna Alta Roda, a BMW decidiu-se pelo Brasil para instalar fábrica. Teoricamente operação SKD, primário sistema.

Sim, qual? – Difícil enxergar caminho e produto. As montadoras pedem ao governo incentivos para aumentar a produtividade.

A resposta deve ser plano industrial e, nele, com certeza, o garrote às importações e, espera-se, estabelecer índice mínimo de nacionalização, dando fim à a montagem fajuta. Assim, o projeto da BMW exigiria ampliação.

SKD – Conjuntos agrupados aqui, com baixíssima agregação de itens nacionais? – isto é uma irresponsabilidade contra o país, banida por Getúlio Vargas em 1952, retomada no governo Lula.

Lançamentos – Novidades no mercado nacional. Nem tanto, VW Polo com mais conteúdo, próxima semana; Fiat Freemont – o Dodge Journey com motor Fiat – 9 de agosto; Fiat 500 dia 25 agosto. Dois últimos, mexicanos, importados sem imposto alfandegário.

Quebra-galho – Para contornar a teimosia da Petrobrás com diesel poluente; cumprir a norma Proconve 7, equivalente à Euro 5; reduzir em 60% as emissões, a partir de janeiro um líquido será adicionado à operação. É o ARLA 32, injetado nos gases de escapamento para reduzir os óxidos de nitrogênio.

Mercado – A Cummins Filtration, irá produzir e distribuir no Brasil. Calcula consumo em torno de 6% do volume de diesel. Óbvio, preço do frete subirá, tanto em caminhões novos quanto na frota velha.

Mercado, II – A Volvo lança nova linha F adequada ao uso do aditivo. No embalo aprimorou os motores, e em sua linha FM a versão com 540 cv, é a mais potente do país, com ganhos em torque. Mudanças na eletrônica das transmissões, agora sem redução nos cubos do eixo traseiro.

Bozza – Sessenta anos de experiência, a Bozza, fabricante de comboios de lubrificação e reboques, irá à Expo Usipa, 20 a 23 de julho, em Ipatinga, MG, no Vale do Aço, forte em transporte na mineração, siderurgia, cerâmica e infra estrutura. Mostrará produtos, fará palestras sobre a importância da lubrificação.

Marca – 1,2M de entrevistas nos EUA sobre a marca mais lembrada pelos consumidores de carros,deu à Ford primeiro lugar, quase a soma de Chevrolet e Honda, 2ª. e 3ª.

Os problemas de qualidade e a falta de explicação técnica sobre seus defeitos,tiraram a Toyota da liderança dos anos anteriores.

Grátis – Campanha assinada pela Raízen, sociedade entre Cosan e Shell, oferece gasolina V Power pelo resto da vida, em equivalentes barras de ouro.

Para concorrer, abastecer 35 litros V Power gasolina ou etanol em posto Shell, e enviar mensagem. Sorteio 26 de agosto.

Realidade – Líder na produção de itens de personalização de veículos, a gaúcha Keko realiza concurso de design para universitários.

Desafio é criar acessórios para personalizar picape leve. Ao ganhador R$ 2 mil e viagem para conhecer a realidade da criação e produção na Keko.
Interessado ? http://www.keko.com.br/projetoK

Diversão – Carros 2, sucesso como sequência e filme, faz crítica aos carros ingleses e seus parafusos de medida única, e aos sem qualidade, como russo Lada e iugoslavo Yugo. Divertido.

Antigos – Fim de semana 18 a 20 de agosto, em Pebble Beach, Ca, dito “ A Meca dos Colecionadores de Automóveis”, um dos pontos altos, o leilão da Russo and Steele, no Monterey Marriott Hotel, promete negócios com 250 carros. Uma das estrelas, Ferrari 330 LWB, 2+2.

Vista prévia sexta, das 10 às 22h; sábado das 10 às 17h. Leilões quinta, sexta e sábado das 17 às 22h. Coçou o bolso? www.russoandsteele.com

Matérias relacionadas

Fiat Fastback

Mais recentes

Fiat Toro

Destaques Mecânica Online

Vem aí o Seminário de Segurança e Conectividade 2024!

Avaliação MecOn

WABCO - Principal fornecedor global de tecnologias para para veículos comerciais