segunda-feira, 4 março , 2024
28 C
Recife

Citroën celebra os 30 anos do Xantia, sedã icônico com mais de 1 milhão de unidades produzidas

Sedã foi lançado em 4 de março de 1993 e mais de 1.300.000 unidades foram produzidas entre 1993 e 2002 na Europa. Reconhecido por seu conforto, segurança e prazer ao dirigir, o Xantia foi o sucessor do BX e apresentou a tecnologia Hydractive II, um sistema de suspensão hidropneumática controlado eletronicamente que reduz o rolamento e melhora a condução

Apresentado ao mundo em março de 1993, durante o Salão do Automóvel de Genebra, o Citroën Xantia está celebrando o seu 30º aniversário e assim passa a se tornar um modelo de coleção em diversos países, incluindo o Brasil. Com exatas 1.326.259 unidades produzidas de 1993 a 2010, em grande parte na fábrica de Rennes–la-Janais, na França, o Xantia é, sem dúvidas, um dos modelos mais icônicos da marca.

Finalizado por Daniel Abramson no centro de estilo Citroën, a partir da proposta do centro de estilo italiano Bertone, ele foi o sucessor do famoso BX dos anos 80. Dinâmico, fluido e robusto, este sedã retoma algumas linhas do XM e impõe uma nova silhueta na linha Citroën. Graças ao seu estilo único, o Xantia foi eleito o melhor carro do ano em 1993, logo após o seu lançamento.

Inovações e conforto – Durante nove anos de produção, o Xantia passou por várias evoluções. Inicialmente, estava disponível em duas versões (SX e VSX), com três motorizações diferentes.

As versões topo de linha eram equipadas com o sistema hidropneumático Hydractive II, sistema de suspensão controlado eletronicamente, que permite reduzir o rolamento e melhorar a dirigibilidade sem deixar o conforto de lado.

Em 1994, foi lançada a versão Activa, incorporando o sistema Hydractive II, complementado por dois cilindros que evitam que o rolamento ultrapasse 0,5°, elevando para 10 o número a bordo dos compartimentos esféricos que acumulam o fluido do sistema.

Pouco tempo depois, em parceria com a Michelin, foi criada uma tecnologia exclusiva para a produção de pneus específicos para o modelo. Em 1997, passou por uma reestilização. E finalmente, em 1998, o Xantia estreou pelo Grupo PSA o novíssimo motor diesel 2.0 HDi, com injeção de diesel de alta pressão.

Conforto, segurança, tecnologia e prazer ao dirigir foram as palavras de ordem do lançamento do Xantia em 1993. Um conforto sem paralelo na época, com uma tapeçaria e bancos que se tornaram uma verdadeira assinatura do sedã e dos modelos que o sucederam. No interior, o Xantia exibia uma verdadeira harmonia entre cores e materiais em um espaço interno privilegiado e mais segurança a bordo.

Suspensão Hydractive II – Em termos de inovação, foi a chegada do Hydractive II, uma tecnologia que combina o poder da hidráulica e a velocidade da eletrônica, o que simbolizou a diferença do Xantia. Sua suspensão hidropneumática é equipada com uma esfera adicional por eixo, que pode ser ativada por meio de válvulas solenoides integradas ao circuito normal com uma esfera por roda.

Isso permite definir dois estados de flexibilidade e amortecimento da suspensão: uma flexível e uma esportiva. Os sensores permitem que o computador escolha entre os dois modos, dependendo da situação de condução. Em ambos os casos, essa tecnologia permite que motoristas e passageiros viajem com muito mais conforto.

Publicidade – O Xantia tem inovações e qualidades, sendo um grande destaque para a publicidade da Citroën.

Uma das campanhas mais marcantes do modelo foi o famoso anúncio de 1995, com Carl Lewis, no qual o esportista é forçado a se tornar um monge por causa de uma aposta. Para ele, era impossível um carro fazer curvas sem se inclinar, o que se tornou realidade com o Xantia.

Em 1999, em um anúncio que reforça essas linhas, uma pirâmide formada por vários Xantia consegue se manter estática, reforçando a estabilidade do modelo em curvas.

Matérias relacionadas

Mais recentes

Destaques Mecânica Online

Avaliação MecOn