Consórcio Rio Motorsports vence concorrência e construirá autódromo do Rio de Janeiro

O Rio Motorsports foi o vencedor do edital de concorrência para construção do novo autódromo do Rio de Janeiro em Deodoro, que se chamará Rio MotorPark.

Liderado pela empresa americana que dá nome do consórcio, o grupo fica com a concessão do terreno na zona oeste pelos próximos 35 anos e terá a responsabilidade de edificar uma pista com capacidade técnica para receber as principais provas do automobilismo mundial, dentra elas Fórmula 1 e MotoGP.

Além de parque esportivo, o modelo econômico prevê parcerias com empresas do setor de Combustíveis e Lubrificantes de alta perfomance para desenvolvimento e aprimoramento de produtos.

Da mesma forma, o empreendimento contará com espaços voltados para a indústria automobilísticas na realização de testes de automóveis e aperfeiçoamento de peças e outros componentes.

“A conquista de hoje é a contemplação de um trabalho que teve início há mais de 4 anos. Juntamos o que há de melhor no mundo em termos de capacidade técnica para garantir ao Rio de Janeiro um autódromo com o que há de mais moderno no esporte a motor em todo o planeta” garantiu o CEO da empresa, JR Pereira.

O plano apresentado contou com a participação de empresas renomadas no universo esportivo.

O projeto de engenharia e arquitetura ficou à cargo do Tilke Engineers & Architects, do alemão Hermann Tilke, responsável pelo Circuito de Sepang, na Malásia, Circuito das Américas, nos Estados Unidos, Xangai, na China, Sochi, na Rússia, dentre outros.

A concepção de traçado e segurança foi desenhado em coordenação com a MotoGP e  Fórmula-1

“A proposta que trouxemos para o Rio busca apresentar um desenho de uma pista moderna, dinâmica e cheia de emoção. Ao mesmo tempo, pensamos em um espaço com uma multidisciplinaridade que permita uma gama bastante ampla de utilização em outros esportes, atendendo toda comunidade da região”, explicou Tilke.

A construção do empreendimento será efetuada pela construtora espanhola Acciona.

A alemã Sporttotal, experiente na operação de autódromos, como o de Nurburgring, e a brasileira Golden Goal, especializada em gestão e marketing esportivo, também integram o consórcio vencedor na concorrência.

“Esse equipamento será um divisor de águas para o Rio de Janeiro. O potencial de retorno para a população em termos de receita, emprego e desenvolvimento é gigante. Após Copa e Olimpíadas, esse é a principal conquista esportiva do município”, ressaltou Carlos Eduardo Ferreira, CEO da Golden Goal.

O autódromo, que terá capacidade de 80 mil lugares fixos, podendo ultrapassar 135 mil com estruturas provisórias, contará com uma pista de 4,5 km de extensão.

Está prevista uma estrutura com 36 boxes, paddock com para 5 mil VIP’s e centro de imprensa para mais de 400 jornalistas.

O tempo de construção previsto gira em torno de 16, 17 meses, que poderá ser reduzido em um cenário otimista.

- Publicidade - Mercedes-Benz