72% dos acidentes com colisões traseiras poderiam ser evitados com o uso da tecnologia

A Bosch, uma líder mundial no desenvolvimento de tecnologias e serviços, está sempre buscando desenvolver soluções para uma mobilidade mais segurança e confortável.

Neste sentido, a empresa reforça a importância do movimento mundial Maio Amarelo, que tem como objetivo alertar a sociedade para o índice alarmante de mortes no trânsito em todo mundo e promover a conscientização para redução de acidentes.

Segundo dados da Organização Mundial de Saúde (OMS), cerca de 1,35 milhão de pessoas morrem por ano no trânsito.

A Organização das Nações Unidas (ONU) aponta que os acidentes ocupam a nona posição em causas de morte no mundo todo.

Em 2018 no Brasil, a OMS relata 39 mil fatalidades e o Observatório Nacional de Segurança Viária (ONSV) aponta adicionais 400 mil pessoas sequelas por acidentes de transito.

Somado a isso, a Bosch também está comprometida com os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável da ONU e uma das metas que faz parte da ODS3 é reduzir pela metade as mortes e os ferimentos globais por acidentes em estradas até 2020.

“Acreditamos que as tecnologias de assistência ao condutor são base para tornar o trânsito das cidades e rodovias mais seguro e confortável”, ressalta Michel Braghetto, gerente de Marketing da Divisão Chassis System da Bosch.

“Estudos apontam que mais de 80% dos acidentes de trânsito são causados por algum tipo de falha humana. Exatamente por isso que os sistemas como o Programa Eletrônico de Estabilidade, a Frenagem Automática de Emergência e o Detector de Fadiga do Motorista, por exemplo, são um marco importante para a conquista de uma mobilidade livre de acidentes”, conclui o executivo.

As colisões traseiras e os atropelamentos de pedestres ou ciclistas estão entre os piores incidentes.

A Frenagem Automática de Emergência (AEB – Automatic Emergency Braking) pode prevenir tais colisões totalmente ou, pelo menos, atenuar consideravelmente o impacto desses acidentes.

Se o radar ou a câmera de vídeo detectar obstáculo à frente do veículo, o sistema é preparado para realizar uma frenagem de emergência e o motorista é notificado.

Se o condutor não responder, o sistema realiza uma frenagem parcial e, logo que o motorista pise no freio, o dispositivo aumenta a potência da frenagem a fim de evitar o acidente.

Dados mostram que na Alemanha, cerca de 72% das colisões traseiras poderiam ser evitadas se todos os automóveis fossem equipados com este dispositivo.

O potencial para o Brasil fica evidente.

Segurança ganha espaço no mercado brasileiro-Apenas no Brasil, um estudo realizado pela Bosch identificou que o mercado nacional teve 19 mil veículos equipados com a tecnologia AEB em 2018.

Esse número é ainda maior se levar em consideração os consumidores que adquiriram a tecnologia como item opcional, integrando pacotes de tecnologias de conforto e segurança.

Usualmente presente nos segmentos de SUVs, crossovers e sedans de luxo, os dados também apontam que o AEB está disponível nos segmentos mais populares de veículos como em hatchs, sedans e SW médios – nofim de 2018, 10% de todas versões disponíveis para venda no Brasil possuíam AEB como série e 3% como opcional.

“Isso mostra que os sistemas de assistência ao condutor também estão se popularizando no Brasil, especialmente porque o Programa Eletrônico de Estabilidade, que é a base tecnológica para muitos desses dispositivos, se tornará obrigatório em todos novos projetos de veículos fabricados ou importados a partir de 2020 e para os demais modelos em 2022”, destaca Braghetto.

- Publicidade - Mercedes-Benz