Scania lança primeiro ônibus GNV e/ou biometano de fretamento do Brasil

A dependência 100% ao diesel fica cada dia mais difícil de ser defendida do ponto de vista da sustentabilidade para melhorar o planeta. As emissões de CO2 contribuem para o aumento da poluição global.

A Scania, parceira líder na transição para um setor de transporte mais sustentável, faz parte do problema e trabalha para ser parte da solução na busca por alternativas ao diesel. Neste momento, o ideal para o ‘Aqui e Agora’ no Brasil é o ônibus movido a gás, que se enquadra nos três pilares sustentáveis: econômico, social e ambiental.

Neste momento, a Scania anuncia o primeiro ônibus rodoviário movido a gás natural veicular (GNV) e/ou biometano da história do Brasil para o fretamento contínuo. O modelo K 320 4×2 será operado pela Turis Silva no transporte de colaboradores da usina de aços especiais da Gerdau, localizada em Charqueadas (RS), ainda neste primeiro quadrimestre. O veículo está em fase final de certificação e homologação.

A operação de fretamento contínuo, sob responsabilidade da Turis Silva Transportes, será em contrato de demonstração em uma rota de Porto Alegre-Charqueadas-São Jerônimo. O modelo deverá rodar 190 km por dia.

O início do trabalho do primeiro ônibus rodoviário movido a gás para o fretamento do Brasil está nos últimos detalhes do processo de certificação e homologação para receber a autorização de rodagem.

“É um momento singular para Scania, Gerdau, Turis Silva e Marcopolo. Todas entram para a história com a apresentação desta solução mais sustentável. O planeta e a sociedade estão clamando por alternativas ao diesel e esta tecnologia é a ideal para a realidade do mercado brasileiro. Temos certeza absoluta que é o primeiro de muitos”, salienta Fábio D´Angelo, gerente de Vendas de Soluções para Mobilidade da Scania no Brasil.

“Queremos construir, em parceria com nossa cadeia de fornecimento, um futuro mais sustentável, e contribuir com o desenvolvimento da mobilidade urbana a partir da adoção de produtos e soluções inovadoras. Nesses 120 anos de história da Gerdau, sempre consideramos a sustentabilidade um dos eixos centrais do nosso modelo de negócios”, afirma Vinicius Moura, gerente geral de suprimentos da Gerdau.

“A Gerdau nos procurou há dois anos para colocar na frota alternativas sustentáveis. Este momento, enfim, chegou. Estamos muito animados e emocionados para esta pioneira operação. Não dará mais para continuar tendo o diesel como matriz única. Cresce a cada dia os pedidos de contratantes para termos produtos mais verdes, e a sustentabilidade é um caminho sem volta. Tenho convicção que será o primeiro de muitos ônibus a gás para o fretamento”, diz Jaime Silva, fundador e proprietário da Turis Silva Transportes.

O empresário também é o presidente da Associação Nacional dos Transportadores de Turismo e Fretamento (Anttur). A empresa tem 31 anos de mercado, sede em Porto Alegre, presta serviços de fretamento contínuo e eventual, perfila 54 ônibus Scania e vem aumentando a participação da marca a cada ano em sua frota. Em 2020, adquiriu sete chassis da fabricante, além do modelo a gás.

“Com sistema de áudio e vídeo, o modelo se destaca pelo elevado padrão de conforto, comodidade e segurança que oferece para os usuários, além de menores custos operacionais e de manutenção para o cliente”, conta Leandro Sodré, gerente nacional de Vendas Marcopolo.

O modelo K 320 4×2 tem propulsor traseiro Euro 6 (o Brasil está na lei de emissões Euro 5) de 320 cavalos de potência. Seu motor é Ciclo Otto (o mesmo conceito dos automóveis) e movido 100% a gás e biometano, ou mistura de ambos.

Não é convertido do diesel para o gás, tem garantia de fábrica, tecnologia confiável e segura, desempenho consistente e força semelhante ao similar a diesel, além de ser mais silencioso.

Neste momento, é o ideal para o ‘Aqui e Agora’, pois se enquadra nos três pilares sustentáveis: econômico, social e ambiental.

Foram instalados oito cilindros de gás na lateral dianteira com uma autonomia de 300 km. Caso um cliente deseje autonomia maior, é possível avaliar a colocação de mais cilindros. Não são necessárias alterações significativas nos projetos das carrocerias.

A segurança é total em caso de acidentes ou explosão. Os cilindros e válvulas são certificados pelo Inmetro (em conformidade com a lei). São três válvulas (vazão, pressão e temperatura) que liberam o gás em caso de anomalia em um destes três quesitos.

Os cilindros são extremamente robustos (o material é de ogivas de mísseis). Em caso de incêndio ou batida o gás é liberado para a atmosfera e se dissolve sem perigo de explosão ao contrário de um veículo similar abastecido a diesel que é mais perigoso, pois o líquido fica no chão ou pode se espalhar ao longo da carroceria.

A Marcopolo escolheu a carroceria Paradiso New G7 1050 para equipar o ônibus histórico. Ele conta com equipamentos e acessórios para garantir o máximo conforto, comodidade e segurança aos clientes, como acesso à internet, TV digital a bordo, poltronas semileito, sistema de monitoramento por câmeras, tomadas USB individuais, sistema de ar-condicionado e monitores no salão de passageiros.

O modelo ainda conta com diferentes soluções da plataforma Marcopolo BioSafe, como sanitário e sistema de ar-condicionado com lâmpadas UV-C para desinfecção dos ambientes; cortinas com material antimicrobianas, e dispenser de álcool em gel na entrada da escada de acesso. A capacidade é para transportar 44 passageiros.

Além do lançamento, a Scania também dispõe em seu portfólio da linha urbana a gás que oferece três modelos: K 280 4×2 (de 12,5 a 13,20 metros e capacidade de 86 a 100 passageiros), K 280 6×2 (15 metros, terceiro eixo direcional e capacidade para até 130 passageiros) e o articulado K 320 6×2/2, de 18,6 metros e capacidade para 160 ocupantes.

Na nova linha não são necessárias alterações significativas nos projetos das carrocerias. As instalações dos cilindros de gás podem ser feitas entre as longarinas do chassi (abaixo do assoalho) ou sobre o teto. Os motores já serão Euro 6 (o Brasil está no Euro 5). A autonomia será de 300 km. Caso seja necessária uma autonomia maior, é possível avaliar a colocação de mais cilindros.

Charrua compra mais seis caminhões Scania e torna frota 100% movida a gás  – A Scania recebeu a encomenda de mais seis caminhões R 410 6×2 movidos a gás do Grupo Charrua para tornar 100% sustentável a frota de uma das empresas do conglomerado, a Charrua Gás, que transporta este mesmo combustível.

Estão nos planos comprar mais unidades alternativas ao diesel para a Transportadora Arco, também integrante do grupo. A Charrua é a primeira companhia do Sul a comprar os veículos.

A entrega está prevista para este primeiro trimestre para atender as demandas dos clientes no Rio Grande do Sul, como indústrias e postos de combustível. A Casa Scania Brasdiesel é a responsável pela negociação e por todo o suporte ao cliente.

A decisão pela frota 100% sustentável da Charrua Gás foi motivada por um conjunto de importantes aspectos: os bons resultados alcançados com o primeiro R 410 a gás, que entrou em operação em junho de 2020, a sustentabilidade do veículo e da operação e o pioneirismo do Grupo, sempre atento às inovações do mercado e do setor de transportes.

Veja também
Scania projeta alta nas vendas de caminhões, ônibus, motores e serviços em 2021
Programas de Manutenção Scania deverão crescer 38% em 2021
Acelerador inteligente aumenta economia de combustível em nova geração Scania

- Publicidade - Cursos Mecânica Online®