quarta-feira, 21 fevereiro , 2024
28 C
Recife

Revisão de férias

- Advertisement -

Nada mais comum que a relação entre o mês de janeiro e as férias, e por isso preparamos uma seção Seu Automóvel com dicas e informações que vão ser muito útil para que você fique realmente de férias.

Uma viagem de férias é um tempo de prazer, de despreocupação e de alegria. Para que isso aconteça, tudo deve ser programado com antecedência: os locais, a acomodação e o dinheiro necessário.

Veja agora os pequenos cuidados que você deve ter com seu carro, na ida e na volta. Eles podem, até, evitar maiores despesas.

- Advertisement -

1 – Como arrumar a bagagem de modo prático e seguro?

Todo mundo que viaja nas férias – e nos feriados – sabe que o conforto e a segurança dependem muito da arrumação correta da bagagem que será levada. Mas nem todos sabem como distribuí-la.

Vejamos por parte:
Porta-malas – Arrume os volumes de acordo com o tamanho e peso buscando dar melhor equilíbrio ao carro. Procure colocá-los de forma que, em caso de emergência, não seja necessário esvaziar todo o porta-malas, para chegar ao estepe e às ferramentas.

- Advertisement -

Interior do carro – Os pequenos volumes não devem ser colocados de forma a obstruir o ângulo de visão do motorista, pelo retrovisor. Eles também não devem ficar soltos no interior do carro, pois uma curva mais fechada ou uma freada mais brusca podem jogá-los em cima das pessoas.

Bagageiro – É sempre bom lembrar que o bagageiro muda a dinâmica do carro afetando a estabilidade e aumentando o consumo de combustível. Ao usar o bagageiro não esqueça de:
– Amarrar bem tudo que estiver nele.
– Cobrir com plástico, de modo a oferecer uma superfície menos resistente ao ar.
– Levar em conta o aumento de peso e altura. Por isso, tome maior cuidado nas curvas e quando estiver ventando forte. Não exagere no peso e altura.

2 – Dirigir na estrada é mais ou menos perigoso do que na cidade?

Nem uma coisa, nem outra. É apenas diferente. E isso porque a velocidade desenvolvida é, em geral, muito superior à média observada no trânsito de cidades. O motorista menos habituado a dirigir em estrada freqüentemente esquece alguns cuidados muito importantes:

Velocidade e visibilidade – Há uma regra que parece óbvia, mas que nem todos se lembram de observar. É a seguinte: quanto maior a velocidade do tráfego, tanto maior sua distância do carro da frente. Só assim você poderá acompanhar com segurança, e a tempo, as evoluções do tráfego. O campo visual do motorista tem que ser quase total para o veículo que está à sua frente não atrapalhar a visibilidade.

Velocidade nas ultrapassagens: Uma ultrapassagem segura exige, antes de mais nada, uma avaliação correta da distância necessária para fazê-la.

Feita a avaliação imprima maior velocidade ao seu veículo, pois você estará ultrapassando outros que também trafegam em velocidade de estrada.

À medida que você vai se aproximando do carro da frente – e quer ultrapassá-lo – poderá se valer da transparência do pára-brisa desse carro, para observar o movimento dos veículos que estão vindo em sentido contrário.

Você já poderia ter visto o onibús que está se aproximando, há alguns segundos, através do pára-brisa do carro da frente. Mas tudo isso só será possível se você evitar o hábito urbano de andar colado na traseira do carro da frente.

Velocidade ao ser ultrapassado
O motorista que estiver sendo ultrapassado deve facilitar ao máximo essa operação, encostando o mais que puder à direita e aliviando o pé do acelerador se a ultrapassagem ocorrer numa subida. Se for descida, pise no freio levemente para abrir espaço ao outro.

Passagem por cidade
A maioria das estradas atravessam pequenas cidades e lugarejos. É comum você encontrar quebra-molas. Bicicletas também. O melhor é reduzir a velocidade até que a cidade fique para trás.

Às vezes você depara com cavalos e charretes. Se os encontrar, evite usar a buzina, pois poderá assustar os animais.

3 – Como saber se o carro está agüentando bem a viagem?

Da seguinte forma: observe com regularidade o painel de instrumentos, controlando as indicações de temperatura e as demais luzes de aviso.

Esteja, também, atento aos diferentes cheiros que possam surgir de dentro e de fora do carro. Como o de gasolina, que pode indicar vazamento. Ou borracha queimada, que também é indício de algum problema. O certo é parar e verificar a origem dessas irregularidades. É sempre bom lembrar que o freio deve ser testado durante a viagem.

4 – De que modo planejar as paradas na estrada?

Calculando as necessidades dos passageiros e do seu carro, para organizar o tempo de forma prática e inteligente. Procure coincidir as paradas para ir ao banheiro, ou fazer um lanche, com o reabastecimento do tanque, verificação dos pneus, nível de óleo do motor e da água do radiador.

É sempre bom, também dar uma volta em torno do carro, para examinar se tudo está em ordem. Um corte ou rachadura lateral num dos pneus, um farol quebrado, um pisca-pisca danificado, o cano de escapamento caído, uma palheta de pára-brisa solta ou mesmo um vazamento são problemas que podem ser reparados em paradas planejadas.

Evite refeicões pesadas. Lembre-se que um dos grandes inimigos do motorista, em viagem, é o cansaço. Não dirija por mais de duas horas seguidas. E também, à noite, que exige maior atenção pela redução de visibilidade.

Finalmente, se um trecho da estrada for desconhecido, ou se houver um contra-tempo, procure obter informações sobre a situação do trajeto dali para a frente, com motoristas de caminhão que venham em sentido contrário ou com a Polícia Rodoviária.

5 – Como fazer em caso de enjôo?

Estacione o veículo em lugar seguro e aberto. Faça o passageiro que está enjoado caminhar um pouco e tomar um gole de água. Se estava sentado no banco de trás, passe-o para o da frente, onde terá mais conforto. Ao prosseguir a viagem, evite perguntar sobre seu estado.

Converse sobre outros assuntos procurando distraí-lo. Deixe os vidros abertos, para arejar. Dirija suavemente. Não force nas curvas, nem dê freadas bruscas.

O motorista normalmente é menos afetado por enjôos. Eles ocorrem com maior freqüência entre crianças até 12 anos. De qualquer forma, um passageiro com enjôo pode distrair sua atenção. Só prossiga viagem quando o passageiro estiver bem.

6 – As roupas que uso, em viagem, podem causar algum problema?

Podem. Roupas apertadas prejudicam a circulação do sangue. Quando se dirige, certas partes de nosso corpo como coxas, pernas e pés não se movem. Por isso o sangue circula mal. Para auxiliar a circulação do sangue nessas partes use roupas leves e folgadas. O mesmo se aplica aos sapatos que não devem ser apertados. Chinelos devem ser evitados. Além do que são proibidos para dirigir.

7 – E as crianças? O que devo fazer para não ficarem impacientes?

Quem viaja no fim de férias sabe que ocorrem enervantes engarrafamentos. Para a viagem de volta, sugiro que você prepare uma boa merenda e leve alguns jogos para entreter as crianças, no caso de uma parada forçada e prolongada. Ou procure voltar um dia antes. Você sacrifica um dia de prazer, mas evita aborrecimentos.

Confira antes de viajar, na ida e na volta.
Caixa de primeiros socorros
Taxas rodoviárias
Documentos (condutor e veículo)
Mapas rodoviários
Agenda de telefones
Seguro (apólice)
Estepe (verificar estado e calibrar)
Macaco
Triângulo
Extintor de Incêndio (verificar carga)
Alicate, chaves de fenda, chaves de boca, chave de vela
Toalha para limpar as maõs
Fusíveis
Lâmpadas para o farol e lanternas
Lanterna com pilha
Pedaço de arame (na necessidade caso algum componente solte-se)

Tarcisio Dias é o responsável editorial da Mecânica Online

Matérias relacionadas

Mais recentes

Destaques Mecânica Online

Avaliação MecOn

Lançamentos