quinta-feira, 22 fevereiro , 2024
28 C
Recife

Novo Corsa: motores novos e mais potentes

- Advertisement -

O novo Corsa oferece um excelente conjunto de motor e transmissão, que incorpora significativas evoluções.

Os motores movidos a gasolina são exclusivos, o 1.0 litro “VHC” e 1.8 litro de capacidade volumétrica, ambos de 8 válvulas e derivados da consagrada “Família Um” da Chevrolet.

Mais do que a potência, a engenharia buscou privilegiar o torque no desenvolvimento dos dois motores, proporcionando melhores arrancadas e retomadas e garantindo ao consumidor mais conforto no uso diário do veículo.

- Advertisement -

As duas motorizações disponíveis utilizam o que há de melhor em tecnologia, como o sistema de injeção multiponto digital e ignição direta conjugada (D. I. S.), conhecidos por sua durabilidade e eficiência.

No 1.0 litro “VHC”, por exemplo, os pistões e anéis são de baixo atrito, otimizados quanto à geometria da cabeça do pistão e compatíveis com a câmara de combustão.

Assim, foi possível elevar a taxa de compressão, sem comprometer a resistência termo-mecânica do conjunto e obtendo uma melhoria significativa na eficiência térmica do motor.

- Advertisement -

A linha Corsa conta também com um sensor de detonação, o “Knock Sensor”, disponível nas duas motorizações e que permite a otimização do avanço de ignição em todas as condições de carga e rotação do motor.

O sistema de gerenciamento eletrônico dos motores, efetuado por um módulo de controle eletrônico híbrido de última geração, com capacidade de memória maior e mais resistente ao calor e vibrações que os módulos convencionais, permite sua instalação dentro do compartimento do motor, simplificando sua montagem e manutenções periódicas.

As inovações resultaram em ganho de performance do motor, com maior eficiência no desempenho e também no consumo de combustível, além de redução no nível de emissões.

A eletrônica a bordo do novo Corsa permite a utilização do sistema de autodiagnóstico, que facilita a identificação de qualquer anomalia, e conseqüentemente a sua correção.

Esta anomalia é indicada através de um código de falha que fica registrada na memória, permitindo ser identificada por meio do equipamento Tech 2.

Nos dois conjuntos de motorização, a linha Corsa passa a contar com embreagem com comando hidráulico, que propicia menor esforço no pedal, além de redução do ruído e dos custos de manutenção do sistema.

Eles possuem também o sistema trambulador das transmissões F17 com dispositivo compensador, que elimina a vibração da alavanca de trocas das marchas, reduz as chances de as marchas escaparem, torna o engate mais preciso e reduz o nível de ruídos.

O escalonamento das relações de marchas das transmissões, utilizadas nos dois motores do Corsa, tem como objetivo obter-se uma melhor performance e dirigibilidade dos dois veículos.

Na versão com motor 1.0 encurtou-se a primeira marcha, para uma melhor arrancada do veículo em qualquer condição, incluindo rampa, e manteve a quinta marcha mais longa, para maior economia de combustível.

Os freios dianteiros são a disco ventilados em todas as versões, proporcionando mais segurança nas frenagens.

Já os modelos equipados com motor 1.8 apresentam discos de freios com diâmetros maiores.

1.0 litro “VHC” 8 válvulas, o mais potente do mercado-O motor 1.0 litro “VHC” (8 válvulas) tem potência de 71 cavalos a 6.400 rotações por minuto (rpm) – a maior desta categoria no mercado –, oferece uma excelente performance e torque máximo de 8,8 mkgf (metros quilograma-força) a 3.000 rpm.

Isso tornou-se possível em função de sua elevada taxa de compressão: o novo Corsa utiliza com pioneirismo a exclusiva tecnologia “VHC” (very high compression), que introduz um novo conceito de queima do combustível dentro dos cilindros.

Com isso, consegue-se uma taxa de compressão mais elevada, de 12,6:1 – uma das maiores dentre os motores 8 válvulas –, específica para a gasolina brasileira, que tem uma adição aproximada de 22% de álcool em sua especificação.

Graças à essa tecnologia desenvolvida pela Fiat-GM Powertrain, que aproveita e utiliza a evolução dos sistemas eletrônicos de combustíveis, para um melhor controle da combustão e ignição mesmo a taxas de compressão mais elevadas.

Este motor 1.0 litro “VHC” do novo Corsa apresenta ganho de 11 cv, tornando-o o melhor na categoria. Com esse novo motor, o veículo acelera de 0 a 100 quilômetros horários no tempo de 15s5 e tem velocidade máxima de 157 km/h, a melhor marca de sua categoria.

Esse avanço é tão significativo que a potência final do motor 1.0 “VHC” supera inclusive a da maioria dos motores 1.0 de 16 válvulas.

Esse novo conceito de operação do motor 1.0 litro “VHC” difere, em sua essência, do verificado nos motores atuais.

O processo de combustão foi modificado de forma a permitir o aumento da razão de compressão sem que isso ocasionasse o fenômeno da detonação, vulgarmente conhecido por “batida de pino”.

O aumento da razão de compressão permitiu então o aumento do rendimento do motor, com um resultado excelente, diminuindo o consumo de combustível e os níveis de emissões de gases poluentes.

A maior compressão do motor foi obtida com o emprego de um pistão de cabeça plana, com tratamento superficial a base de estanho.

Foi aplicado um novo conjunto de anéis com espessura reduzida e menor força tangencial, o que possibilitou redução de atrito interno do motor e maior eficiência do sistema de ventilação do cárter.

Motor 1.8: mais torque e potência-O novo motor 1.8 litro SOHC (8 válvulas) oferece potência máxima de 102 cv a 5.200 rpm e torque máximo de 16,8 mkgf a 2.800 rpm. Sua taxa de compressão é de 9,4:1.

Graças à maior cilindrada e avanços na calibragem, o motor 1.8 do Corsa oferece mais torque e potência em rotações mais baixas, proporcionando ao motorista um ganho expressivo em dirigibilidade e conforto.

Em suma, ao dirigir ele sente o carro “mais na mão”, além de conseguir mais força principalmente nas arrancadas. O veículo acelera de 0 a 100 km/h em 10s9 e tem velocidade máxima de 179 km/h.

O motor 1.8 SOHC conta com cárter estrutural em alumínio, fixado diretamente à carcaça de transmissão, reduzindo a vibração do conjunto transmitida para o interior do veículo, com maior conforto ao usuário.

Os pistões e anéis também são de baixo atrito, condição obtida em função da pequena altura dos anéis de compressão. Devido a isso, existe uma melhoria significativa no atrito das peças giratórias e menores níveis de ruídos e vibrações.

Matérias relacionadas

Mais recentes

Destaques Mecânica Online

Avaliação MecOn

Lançamentos