sexta-feira, 21 junho , 2024
28 C
Recife

Aumento do consumo de combustível: como evitá-lo?

Cuidados com manutenção, dirigir de maneira correta e investir em tecnologia pode reduzir o gasto em até 15%

- Publicidade -
          Segundo o Departamento de Trânsito do Distrito Federal (Detran-DF), a frota de veículos do DF aumentou 39% nos últimos oito anos. Ter mais de um ou dois carros por família já é comum na Capital Federal. Esse dado, além de confirmar que o trânsito das cidades está cada vez mais inchado, reflete um novo fator que influencia o orçamento das famílias brasilienses: o gasto com combustível. Diante dessa nova realidade, o cuidado com a manutenção do veículo e a procura por tecnologias que reduzem o consumo de combustível passou a ser tema de interesse da população.

Segundo o Consultor do Sindicato dos Concessionários e Distribuidores de Veículos Autorizados do Distrito Federal (SINCODIV/DF), Antônio Vaz de Oliveira, economizar combustível é um processo simples e que vale a pena ser observado. Calibrar os pneus, alinhar o carro e trocar o filtro de ar a cada 10.000 km, manter o motor regulado, evitar andar com peso morto e objetos desnecessários, não acelerar na troca de marcha e passá-las no tempo certo, são as principais medidas para o consumo racional de combustível.

A tecnologia empregada nesse setor desenvolve aparelhos e peças inteligentes que racionalizam os processos de combustão do motor. No sentido prático, esses recursos têm se mostrado pouco eficientes, porque a economia acaba não sendo significativa para o bolso do consumidor. O mais conhecido deles é um equipamento que pode ser instalado no motor, que organiza e alinha as moléculas do combustível. “Na prática, alinhar ou não as moléculas não interfere no processo mecânico de queima do combustível“, frisa Oliveira.

O ar condicionado causa divergência entre os usuários. Criou-se o mito de que andar com ele ligado ou com o vidro aberto não faz diferença, porque o combustível consumido pelo acionamento do ar é equivalente ao desgaste de força do motor quando os vidros estão abertos. Para Antônio, o ar condicionado consome mais, porque aliada a ele, a força de atrito do vento continua, quase na mesma escala, a exercer força contrária ao veículo.

Oliveira destaca uma nova tecnologia de racionalização do ar condicionado que contribui substancialmente para a economia de combustível. É o Bay Pass, sistema eletrônico que desliga o ar temporariamente, quando o motor exige mais injeção de força e o aciona automaticamente, quando o motor do carro volta ao giro normal.

- Publicidade -

Em relação a tecnologia flex power, que desembarcou com força total no Brasil, basta o consumidor fazer uma conta simples. Se o álcool custar até 70% do valor da gasolina, vale a pena consumir o derivado da cana-de-açúcar.

Ar condicionado: use com moderação

Matérias relacionadas

Clínica de Serviços Chevrolet

Mais recentes

Ofertas Peugeot 208

Destaques Mecânica Online

Powertrain do Futuro: Moldando a jornada para a mobilidade verde

Avaliação MecOn

SACHS - Versátil, abrangente e convincente